Lépido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Março de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Lépido
Estátua de Lépido em Reggio Emilia
Vida
Nome completo Marco Emílio Lépido

Marco Emílio Lépido (em latim Marcus Æmilius Lepidus; ca. 90 a.C.12 a.C.) foi um político romano do século I a.C.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Denário com a efígie de Marco Emílio Lépido.

Lépido era filho de Marco Emílio Lépido; sua mãe pode ter sido uma filha de Lúcio Apuleio Saturnino. Exercia a função de pretor em 49 a.C., quando Júlio César, com seu apoio, foi proclamado ditador. Em 46 a.C., foi eleito cônsul. Após a morte de Júlio César (44 a.C.), apoiou Marco Antônio, que o designou para o cargo de sumo sacerdote (pontifex maximus) e o indicou para governar a Gália Narbonense. Quando, derrotado durante a guerra com o senado, Antônio retirou-se para a Gália, Lépido acolheu-o e juntou-se a ele (29 de maio de 43 a.C.), sendo declarado inimigo público pelos senadores.

Ao lado de Antônio marchou com seu exército para a península Itálica, onde se encontrou com as forças de Otaviano. Por proposição de Lépido, acertou-se a partilha do poder entre os três, em um acordo que ficaria conhecido como o segundo triunvirato.

Os triúnviros entraram em Roma em 29 de novembro de 43 a.C., e decretaram a proscrição de seus inimigos políticos. [Nota 1] . Cerca de 300 senadores e 2000 cavaleiros foram caçados e mortos por toda a península itálica.

Lépido permaneceu em Roma enquanto Antônio e Otaviano enfrentavam as forças de Caio Cássio Longino e Marco Júnio Bruto, na província romana da Macedônia. Após a vitória [Nota 2] , os três acordaram repartir entre si as províncias romanas, cabendo a Lépido as africanas, sem potencial militar real.

Quando Sexto Pompeu se refugiou na Lacetânia e,[1] a partir de lá, reuniu tropas e derrotou Caio Asínio Polião em Cartagena,[2] Lépido, governador da Hispânia, fez um acordo com ele, para que Sexto Pompeu recuperasse as terras de seu pai; este acordo foi aprovado por Marco Antônio, por amizade a Lépido e hostilidade a Otaviano.[3]

No ano de 36 a.C., Sexto Pompeu (filho de Pompeu Magno), que se havia estabelecido na Sicília e na Sardenha, foi derrotado e executado por Antônio. Lépido havia invadido a Sicília, para combater Sexto, e ao fim da luta pretendeu conservá-la sob seu controle. Porém, Otávio apresentou-se na ilha e, obtendo a deserção das tropas de Lépido, acusou-o de traição, afastando-o do triunvirato. Desprovido de poder, Lépido contentou-se com o cargo de pontifex maximus, que exerceu até sua morte,[4] em fins de 13 a.C. ou início de 12 a.C.

Casou-se com Júnia Segunda, filha de Décimo Júnio Silano e Servília Cepião (a mãe de Marco Júnio Bruto, um dos assassinos de César), conseguindo evitar que sua esposa e a mãe dela fossem executadas após a batalha de Filipos. Lépido e Júnia, irmã de Bruto, foram os pais de Marco Emílio Lépido Menor,[5] executado por planejar o assassinato de Otaviano.[6]

Notas e referências

Notas

  1. Lépido teria oferecido leve resistência a essa ação sanguinária, porém acabou cedendo à vontade de Antônio e Otávio.
  2. Batalha de Filipos.

Referências

  1. Dião Cássio, História de Roma, Livro XLV, 10.1
  2. Dião Cássio, História de Roma, Livro XLV, 10.2-5
  3. Dião Cássio, História de Roma, Livro XLV, 10.6
  4. Suetónio, Vidas dos Doze Césares, Vida de Augusto, 31.1
  5. Marco Veleio Patérculo, Compêndio da História romana, Livro II, 88.1
  6. Marco Veleio Patérculo, Compêndio da História romana, Livro II, 88.3

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Holland, Tom. Rubicon.The Triumph and Tragedy of the Roman Republic. Abacus, 2004, ISBN 0-349-11563-X, 316.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Lépido
Precedido por
Quinto Fúfio Caleno e
Públio Vatínio
Cônsul da República Romana
com Júlio César

46 a.C.
Sucedido por
Júlio César
sem colega
Precedido por
Aulo Hírcio e
Caio Víbio Pansa Centroniano
Cônsul da República Romana
com Lúcio Munácio Planco

42 a.C.
Sucedido por
Públio Servílio Vácia Issaúrico e
Lúcio Antônio
Precedido por
Júlio César
Pontífice Máximo
44 a.C.13/12 a.C.
Sucedido por
Otaviano
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.