Liaquat Ali Khan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Liaquat Ali Khan

Liaquat Ali Khan, لیا قت علی خان em urdu/pashto (2 de outubro de 189616 de outubro de 1951), foi um político paquistanês e Primeiro Ministro do Paquistão.

Estudou na Universidade Muçulmana de Aligarh e em Oxford. Ganhou proeminência política como membro da Liga Muçulmana (All India Muslim League), nos anos 1930. Teve um papel influente na partição da Índia e criação do Paquistão. Em 1947, tornou-se primeiro-ministro do Paquistão, posição em que se manteve até ser assassinado, em outubro de 1951. No Paquistão, é considerado como o braço direito de Muhammad Ali Jinnah, o líder da Liga Muçulmana e primeiro governador-geral do Paquistão independente, considerado como "O Pai da Nação".

Acredita-se que tenha persuadido Jinnah a voltar para a Índia, evento que marcou o início da ascensão da Liga Muçulmana e pavimentou o caminho para a autonomia paquistanesa.

Em 1947, a Índia foi dividida em dois Estados - Índia e Paquistão. Como Primeiro Ministro do Paquistão, Liaquat foi responsável pela condução do país nos seus primeiros anos. Após a partição, a Índia e o Paquistão entraram em conflito sobre o destino da Kashmir. Liaquat negociou longamente com o Primeiro Ministro indiano, Jawaharlal Nehru, e pressionou para que o problema fosse levado ao referendo das Nações Unidas.

Durante seu mandato, o Paquistão manteve estreitos laços com o Reino Unido e os Estados Unidos. Como resultado da independência do Paquistão também houve distúrbios políticos internos e mesmo um confuso golpe militar contra seu governo. Após a morte de Jinnah, Liaquat assumiu um papel mais influente no governo e passou uma resolução precursora da Constituição do Paquistão.

Em 16 de outubro de 1951, Liaquat deveria fazer um importante pronunciamento em comício da Liga Muçulmana no Parque Municipal de Rawalpindi. Durante o evento Liaquat recebeu dois tiros no peito. O assassino foi imediatamente morto pela polícia, tendo sido identificado como um afegão - Saad Akbar. O exato motivo do assassinato de Liaquat nunca foi completamente esclarecido.

O Parque Municipal foi renomeado, passando a chamar-se Liaquat Bagh. Em 27 de dezembro de 2007, a ex-primeira ministra Benazir Bhutto também foi morta do lado de fora do mesmo parque.

Liaquat recebeu postumamente os títulos de Quaid-e-Millat (Líder da Nação) e Shaheed-e-Millat (Mártir da Nação).