Matterhorn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Matterhorn/Cervino
O Matterhorn/Cervino visto de Zermatt
Matterhorn/Cervino está localizado em: Alpes
Matterhorn/Cervino
Coordenadas 45° 58' 35" N 7° 39' 30" E
Altitude 4478 m (14692 pés)
Proeminência 1040 m
Cume-pai: Weisshorn
Listas 4000s dos Alpes
Localização Fronteira  Itália/ Suíça
Cordilheira Alpes Peninos
Primeira ascensão 14 de julho de 1865 por Edward Whymper e equipe
Rota mais fácil Escalada

O Matterhorn ou Cervino (em francês: Cervin em italiano: Cervino) é talvez a montanha mais conhecida dos Alpes, a par do Monte Branco. Localizado na fronteira da Suíça com a Itália, a sua graciosa silhueta domina a cidade suíça de Zermatt e a cidade italiana de Breuil-Cervinia, no Valtournenche.

Foi a última grande montanha dos Alpes a ser escalada, talvez devido aos receios que provocava em muitos montanhistas. A sua primeira ascensão marca o final da idade de ouro do alpinismo de meados do século XIX. Apesar de se destacar com um desnível alto e forma triangular bem definida, não possui um valor elevado de proeminência topográfica pois muitos montes mais altos são próximos e unidos por tergos de altitude elevada (casos do Monte Rosa, Dom, Liskamm e Weisshorn). O seu cume-pai é o Weisshorn.

A sua vertente norte é uma das "grandes vertentes norte dos Alpes".

A sua forma inspirou a cultura ocidental em numerosas ocasiões, desde o formato do chocolate Toblerone, ao batismo de outros montes de forma semelhante (como o Machapuchare, o Matterhorn do Nepal), à decoração de capas de álbuns dos grupos Depeche Mode e Goldfrapp.

Características[editar | editar código-fonte]

Este acidente geográfico faz parte da divisória de águas entre o mar Adriático e o mar Mediterrâneo, e com 4478 m faz parte dos cumes dos Alpes com mais de 4000 m.

História da primeira escalada[editar | editar código-fonte]

Foi apenas em 14 de julho de 1865, que depois de muitas tentativas falhadas, que Edward Whymper e o guia Peter Taugwalder tentaram seguir a chamada rota Hörnli, e conseguir subir ao cume do Matterhorn/Cervino, tendo sido surpresos pela facilidade do percurso.

Na realidade a cordada que completa era formada pelo guia Michel Croz que acompanhava Charles Hudson, Lord Francis Douglas, Robert Hadow e pelo guia Peter Taugwalder pai, acompanhado pelo seu filho também chamado Peter, e por Edward Whymper, ganhou o cotovelo pela aresta de Hörnli. Mais acima dirigiram-se para a face norte. Edward Whymper foi o primeiro a atingir o cume e para esse fim cortou a corda e poder assim, quase correndo, ser o primeiro a lá chegar. Foi seguido pelo seu guia Michel Croz de Chamonix, que achou por bem não o deixar partir em solitário. Mais lentamente foram chegando os outros composto pelo reverendo Charles Hudson, Lord Francis Douglas, Douglas R. Hadow, o grupo dos ingleses, assim que Peter Taugwalder e o filho.

Uma descida trágica[editar | editar código-fonte]

A tragédia do Monte Cervino em 14 de julho de 1865 - gravura de Gustave Doré

Na descida os quatro primeiros da cordada Croz, Hadow, Hudson e Douglas, fizeram uma queda mortal ao longo da face norte, acima do famoso "cotovelo". As pesquisas feitas por um descendente de Robert Hadow junto da Biblioteca Bodleiana de Oxford descobriu um livro escrito pelo presidente do Alpine Club para celebrar o centenário da conquista do Cervino (Ver ref RTS à partir de 1 h 15 do início da emissão) e no qual ele descreve que Whymper tinha cortado a corda quando o cimo estava à vista, e que foi esse pedaço de corda que faltou para ligar as duas cordadas uma vez que havia a corda de muito boa qualidade usada pelo grupo do Alpine Club que amarrava os primeiros da cordada, a corda normal francesa que amarrava o segundo grupo e a corda de reserva que ligava estes dois grupos e que teve de ser usada devido ao que aconteceu no fim da subida.

Ficou assim comprovada a culpabilidade de Wymper que portanto havia no livro que escreceu intitulado 'Ascent of the Matterhorn' culpabilisava Peter Taugwalder pai, que aliás nunca mais se restabeleceu dessa acusação [1] . Os corpos de todos salvo o de Douglas foram descobertos mais tarde e foram enterrados em Zermatt.

e depois[editar | editar código-fonte]

O Matterhorn refletido no Riffelsee

Três dias depois, em 17 de julho, um grupo conduzido por Jean-Antoine Carrel alcançou o cume pelo lado italiano. Julio Elliott realizou a segunda subida pelo lado de Zermatt em 1868 e pouco depois Juan Tyndall também. Em 1871 Lucy Walker foi a primeira mulher a chegar ao topo, e semanas mais tarde também a sua rival Meta Brevoort o conseguiu.

Todas as arestas e faces do Matterhorn/Cervino já foram escaladas, em todas as estações do ano, e os guias de montanha acompanham centenas de pessoas pela rota Hörnli em cada Verão. Segundo os padrões modernos, a subida é técnica mas fácil, e os passos mais delicados têm colocadas seguranças permanentes para simplificar a subida. A rota mais seguida é iniciada em Zermatt por teleférico para continuar a marcha até ao Hörnli-hütte (3260 m.), um grande edifício de pedra na base da aresta de Hörnli, onde se passa uma noite. De madrugada bem cedo, (às 2-3 da madrugada), parte-se para ter tempo de alcançar o cume e descer antes que apareçam as nuvens e as tempestades da tarde.

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Matterhorn

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Matterhorn

Referências

  1. RTS. Cervin 1865, une première tragique (em francês). Visitado em 02 mars 2015. "A 01h15m do início do documento"