Michael Spence

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Michael Spence Medalha Nobel
Economia
Nacionalidade Estados Unidos Estadunidense
Nascimento 7 de novembro de 1943 (71 anos)
Local Montclair
Atividade
Campo(s) Economia
Instituições Universidade Harvard, Universidade Stanford
Alma mater Universidade Harvard (Ph.D.), Universidade de Oxford (B.A.), Universidade de Princeton (B.A.)
Prêmio(s) Medalha John Bates Clark (1981), Nobel prize medal.svg Nobel de Economia (2001)

Andrew Michael Spence (Montclair, 7 de Novembro de 1943) é um economista estadunidense.

Foi laureado com o Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel de 2001. Ele defende a ideia que o sistema financeiro extorque dinheiro de prefeituras e governos estaduais no mundo todo.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Michael Spence é mais conhecido pelo trabalhado desenolvido no modelo de sinalização para o mercado de trabalho. Neste artigo de 1973, o economista considerou o papel da educação como instrumento de sinalização importante utilizado pelos empregados para convencerem os empregadores a serem contratados.[2]

Frequentou o ensino básico e secuntário na University of Toronto Schools da Universidade de Toronto. Em 1966, concluiu uma licenciatura em Filosofia na Universidade de Princeton e foi premiado com uma bolsa de estudos Rhodes para estudar matemática na Universidade de Oxford.[3]

Obras[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
James Heckman e Daniel McFadden
Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel
2001
com George Arthur Akerlof e Joseph Stiglitz
Sucedido por
Daniel Kahneman e Vernon Smith



Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) economista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Governments Using Swaps Emulate Subprime Victims of Wall Street
  2. Michael Spence (Agosto 1973). Job Market Signaling Oxford University Press.
  3. A. Michael Spence - Biographical Nobel Prizes and Laureates (2001).