Mirmecologia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde abril de 2008)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Mirmecologia é a ciência que se ocupa do estudo específico das formigas. Esta palavra vem do grego (myrmex, eko = formiga + logos = tratado + ia). A mirmecologia estuda a biologia, ecologia, fisiologia, evolução, taxonomia, sistemática, filogenia, biogeografia e importância econômica das formigas. É uma subdisciplina da entomologia e está inserida na categoria da zoologia.

Mirmecologistas célebres[editar | editar código-fonte]

Entre os mirmecologistas mais proeminentes, destacam-se, no passado, Pierre André Latreille, que deu nome à família Formicidae, W. M. Wheeler, F. Santschi, A. Forel, C. Emery, W. W. Kempf, G. Mayr, T. Borgmeier entre outros.

Mais recentemente, destacam-se William Brown Jr., Barry Bolton, B. Holldobler, Fernando Fernández, J. E. Lattke, D. Agosti, Alexander Wild, Philip Ward, H.G. Fowler, Jacques H.C. Delabie, Carlos R.F. Brandão e E. O. Wilson, considerado o mais proeminente biólogo vivo.

Entre os mirmecologistas que trabalharam no Brasil, destacam-se, no passado, T. Borgmeier, W. W. Kempf e Cincinnato Gonçalves quanto à taxonomia; Mário Autuori, que desvendou detalhes importantes da biologia das saúvas, em especial a fundação de colônias e a transmissão vertical do fungo na primeira metade do século XX; Elpídio Amante, Virgílio e Francisco Mariconi e colaboradores quanto à biologia e combate de saúvas.

Atualmente, o Brasil conta com vários nomes influentes na mirmecologia, em especial Jacques Hubert Charles Delabie do CEPEC e Carlos Roberto Brandão do Museu de Zoologia da USP. Mas destacam-se também, Terezinha M.C. Della Lucia, Ana Harada e Odair Bueno.

Referências gerais[editar | editar código-fonte]

  • AGOSTI, D. & jOHNSSON, N.F, F. La nueva taxonomia de hormigas. In: FERNÁNDEZ, F. (Ed.). Introducción a las hormigas de la región Neotropical. Bogotá-COL: Instituto de Investigación de Recursos Biológicos Alexander Von Humboldt, 2003d. p. 371-378.
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.