Ontogenia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os estágios iniciais da embriogenia humana.

Ontogenia ou ontogênese (do grego ὀντογένεση, composto de ὄντος, transl. ontos, 'ser, ente' e γένεσις génesis, 'criação') é o estudo das origens e desenvolvimento de um organismo desde o embrião (ovo fertilizado) até atingir sua forma plena, passando pelos diferentes estágios de desenvolvimento. A ontogenia é estudada em biologia do desenvolvimento. Em termos gerais, ontogenia também é definida como a história das mudanças estruturais de uma determinada unidade - que pode ser uma célula, um organismo ou uma sociedade de organismos -, sem que haja perda da organização que permite a existência daquela (Maturana e Varela, 1987, p.74).

Mais recentemente o termo ontogenia tem sido usado na biologia celular para descrever o desenvolvimento de vários tipos celulares num determinando organismo.

Ontogenia e Filogenia[editar | editar código-fonte]

A ideia de que a ontogenia recapitula a filogenia, isto é, de que o desenvolvimento de um organismo individual reflete de alguma forma o desenvolvimento biológico da espécie ou das espécies tem sido intensamente discutida. O estudo de Stephen Jay Gould, Ontogenia e Filogenia (1977), sistematiza e discute esta questão, apontando que essa idéia pode ser encontrada desde os estudos de Aristóteles. Os dois principais estudos que desenvolveram inicialmente esta questão foram os dos cientistas Ernst Haeckel, publicados entre os anos de 1862 e 1905, e Karl Ernst von Baer, publicados entre os anos de 1814 e 1897.

Teoria de personalidade[editar | editar código-fonte]

Segundo a psicologia comportamental e a psicologia evolucionista, a personalidade é formada pela interação entre filogenia (características da espécie), ontogenia (histórico de desenvolvimento e aprendizagem) e contexto sociocultural. [1] A ontogenia é especialmente importante, no ser humano, para a formação do comportamento, pois ele passa por um longuíssimo período de imaturidade e dependência - o mais longo do reino animal. [2]

Referências

  1. MARTINS, Gabriela Dal Forno e VIEIRA, Mauro Luís. Desenvolvimento humano e cultura: integração entre filogênese, ontogênese e contexto sociocultural. Estudos de Psicologia (Natal) vol. 15 n°1. Natal, jan.-abr. 2010, pp. 63-70. ISSN 1413-294X
  2. Bjorklund, D. F., & Pellegrini, A. D. (2000). "Child development and evolutionary psychology". Child Development, 71(6), 1687-1708.
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.