Biogeografia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Frontispício do livro The Geographical Distribution of Animals de Alfred Russel Wallace

Biogeografia é o estudo da distribuição das espécies e ecossistemas no espaço geográfico e através do tempo geológico. Organismos e as comunidades biológicas variam de uma forma altamente regular ao longo de gradientes geográficos de latitude, altitude, isolamento e área de habitat. Conhecimento da variação espacial nos números e tipos de organismos é tão vital para nós hoje como foi para nossos primeiros ancestrais humanos, como se adaptar a ambientes heterogêneos, mas geograficamente previsíveis. Biogeografia é um campo integrador de investigação que une conceitos e informações de ecologia, biologia evolutiva, geologia e geografia física.Pesquisas biogeográficas modernas combinam informações e idéias de muitos campos, desde as limitações fisiológicas e ecológicas sobre a dispersão do organismo aos fenômenos geológicos e climatológicos que operam em escalas espaciais globais e prazos evolutivas.

A biogeografia, para fins didáticos, é geralmente dividida em duas subáreas:

  • Biogeografia Histórica: Estuda como os processos ecológicos que ocorrem a longo prazo atuam sobre o padrão de distribuição dos organismos; Explica a distribuição dos seres vivos em função de fatores históricos.
  • Biogeografia Ecológica: Estuda como os processos ecológicos que ocorrem a curto prazo atuam sobre o padrão de distribuição dos organismos; Analisa a distribuição dos seres vivos em função de suas adaptações às condições atuais do meio.


Introdução[editar | editar código-fonte]

Os padrões de distribuição de espécies em áreas geográficas geralmente pode ser explicado por uma combinação de fatores históricos, tais como: a especiação, extinção; deriva continental; glaciação, e as variações do nível do mar, as vias fluviais e habitat e captura de rio, em combinação com as restrições geográficas de áreas massa de terra e isolamento, e as fontes de energia do ecossistema disponíveis.

Durante os períodos de mudanças ecológicas, biogeografia inclui o estudo de espécies animais na planta e:. Seu passado e / ou presente de vida refúgio habitat; seus locais de vida provisórios e / ou suas localidades de sobrevivência [[1] ] Como o escritor David Quammen colocá-lo ", biogeografia ... faz mais do que perguntar qual espécie, e onde. Ele também pede por quê? e, o que às vezes é mais importante, por que não? ". [[2] ]

Biogeografia moderna, muitas vezes emprega o uso de Sistemas de Informações Geográficas (GIS), para entender os fatores que afetam a distribuição dos organismos, e prever as tendências futuras na distribuição organismo. [ [3] ].

Biogeografia é cuidadosamente estudada nas ilhas de todo o mundo. Estes habitats são muitas vezes áreas de estudo muito mais manejáveis​​, porque eles são mais condensados do que os ecossistemas maiores dos continente. [[4] ] Ilhas também são locais ideais porque elas permitem que os cientistas olhem para habitats que novas espécies só recentemente colonizaram e podem observar como elas dispersam por toda a ilha, o sucesso que consegue nesses lugares, e eles podem então aplicar essa informação para habitats semelhantes do continente. As ilhas são muito diferentes em seus biomas, que vão desde o tropical de climas árticos. Esta diversidade no habitat permite para uma vasta gama de espécies de estudo em diferentes partes do mundo.

Um cientista que reconheceu a importância destes locais geográficos foi Charles Darwin que dedicou dois capítulos de A Origem das Espécies à distribuição geográfica.

História[editar | editar código-fonte]

A teoria científica da biogeografia cresceu com a contribuição dos trabalhos de Alexander von Humboldt (1769-1859)[[5] ], Hewett Cottrell Watson (1.804-1.881) [[6] ], Alphonse de Candolle (1806-1893) [[7] ], Alfred Russel Wallace (1823-1913) [[8] ], Philip Lutley Sclater (1829-1913) e outros biólogos e exploradores. [[9] ]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Biogeografia é uma ciência sintética, relacionados à geografia, biologia, ciência do solo, geologia, climatologia, ecologia e evolução.

Alguns conceitos fundamentais em biogeografia incluem:

  • Evolução - mudança na composição genética de uma população
  • Extinção - o desaparecimento de uma espécie
  • Dispersão - o movimento das populações de distância de seu ponto de origem, relativos à migração
  • Áreas endêmicas
  • Geodispersão - a erosão das barreiras à biótica [desambiguação necessário] dispersão e fluxo gênico, que permite a expansão da área e da *fusão de biotas previamente isoladas
  • Alcance e distribuição
  • Vicariância - a formação de barreiras à dispersão biótica e fluxo gênico, que tendem a subdividir as espécies e biotas, levando à especiação e extinção

Padrões e Processos[editar | editar código-fonte]

Para compreender o padrão de distribuição dos organismos é preciso estar consciente de que este padrão decorre da interação de dois tipos de processos. Estes são os processos espaço-temporais dos organismos vivos (bióticos) e do planeta (abióticos); são processos que ocorrem diversamente no espaço ao longo do tempo. Os processos são de três tipos principais: extinção, dispersão e vicariância:

  1. A extinção é o processo onde a população é dividida após um evento de extinção central que, de certa forma, isola as populações restantes e estas podem sofrer especiação por quebra de fluxo gênico.
  2. Dispersão é um conjunto dos processos que possibilitam a fixação de indivíduos de uma espécie num local diferente daquele onde viviam os seus progenitores, e pode ocorrer através da colonização de áreas afastadas e promover uma especiação por quebra de fluxo genético.
  3. Vicariância é um processo evolutivo que é desencadeado pela ocorrência de um ou mais eventos geológicos em uma área habitada por um determinado grupo. Se este grupo for dividido e perder totalmente contato genético (sexual), pode sofrer especiação.

Regiões biogeográficas terrestres[editar | editar código-fonte]

As grandes regiões biogeográficas A Antárctida não é mostrada

A biogeografia divide a parte continental da Terra em oito grandes regiões biogeográficas:

O conjunto da região paleártica e neoártica constitui a região holárctica ou o holárctico.

Regiões biogeográficas marinhas[editar | editar código-fonte]

As regiões biogeográficas marinhas são delimitadas por zonas climáticas e por correntes oceânicas, que podem servir de fronteiras para vários tipos de seres vivos.

Estas grandes regiões podem ainda ser subdivididas e recentemente usa-se o conceito de grande ecossistema marinho como a unidade de estudo e conservação das espécies marinhas.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre ecologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Erro de citação: existem marcas <ref>, mas falta adicionar a predefinição {{referências}} no final da página