Fitogeografia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Junho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Portal A Wikipédia possui o portal:

Fitogeografia, corologia ou geobotânica é uma disciplina multidisciplinar que versa sobre a distribuição geográfica dos vegetais e de comunidades nas diversas regiões do globo conforme as zonas climáticas e factores que possibilitam a sua adaptação, principalmente fatores do meio físico. A fitogeografia pode ser dividida em fitogeografia florística e fitogeografia ecológica. A fitogeografia florística estuda a distribuição de um táxon específico em função de sua história evolutiva, já a fitogeografia ecológica estuda a distribuição de comunidades de plantas ou de um táxon em decorrência das condições atuais do ambiente.

A fitogeografia atualmente adquiriu novos métodos de investigação utilizando-se de técnicas de geoprocessamento e cartografia para mostrar a dinâmica dos vegetais e da cobertura vegetal no espaço geográfico. Seus estudos são realizados principalmente por ecólogos, botânicos e geógrafos.

A distribuição das plantas e de suas comunidades depende de vários fatores como: luz, água, temperatura, solo, ventos e interações biológicas. A ação do homem tem modificado as paisagens naturais do planeta desde tempos imemoriais, influenciando a distribuição de organismos em toda parte da Terra.

De uma forma geral as comunidades, conhecidas como biomas, podem ser assim descritas numa escala global: Floresta tropical úmida, floresta tropical decídua ou seca, savana, matas secas espinhentas, matagais esclerófilos da zona mediterrânea e de outras partes da Terra, floresta temperada decídua, floresta temperada úmida, floresta temperada mista de angiospermas e coníferas, floresta de coníferas, estepe, pradaria, ervas e arbustos de deserto e a tundra. Dentro destes biomas e na interface deles com outros biomas existem diferentes comunidades de transição e, possuem várias denominações regionais. Existem também comunidades de transição entre os grandes ambientes da biosfera, ou seja, entre o meio terrestre e o marinho, há mangues, pauís, ervas e arbustos de dunas e restingas, etc.

Há climas secos, úmidos, alternadamente úmidos e secos, quentes, frios, temperados e uma variedade de climas entre estes tipos. Os diferentes tipos de clima têm reflexos na cobertura vegetal e influenciam na formação das folhas, na espessura do tronco, na altura das plantas, na fisionomia da vegetação, etc.

As plantas segundo o grau de umidade, formas da folha e sua dinâmica podem ser classificadas em:

  • Higrófilas: plantas que vivem em ambiente úmido;
  • Hidrófilas: plantas que vivem em ambiente aquático;
  • Xerófilas: plantas adaptadas à aridez;
  • Tropófilas: plantas adaptadas a uma estação seca e outra úmida;
  • Acicufoliadas: possuem folhas em forma de agulhas, como pinheiros. Quanto menor a superfície das folhas, menos intensa é a Transpiração e maior a retenção de água pela planta;
  • Latifoliadas: plantas de folhas largas, de regiões muito úmidas, com intensa transpiração;
  • Caducifólias ou decíduas (folhas caducas): plantas que perdem suas folhas durante as estações do ano.
  • Perenifólias: plantas que não perdem suas folhas durante as estações do ano.