Niagara (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Niagara
Niagara (PT)
Torrente de Paixão (BR)
Pôster de Niagara.jpg
 Estados Unidos
1953 • cor • 92 min 
Direção Henry Hathaway
Produção Charles Brackett
Roteiro Richard L. Breen
Charles Brackett
Walter Reisch
Narração Joseph Cotten
Elenco Marilyn Monroe
Joseph Cotten
Jean Peters
Max Showalter
Género Suspense, Film noir
Idioma Inglês
Música Sol Kaplan
Direção de arte Joseph MacDonald
Edição Barbara McLean
Estúdio 20th Century Fox
Lançamento Estados Unidos 21 de Janeiro de 1953
Orçamento US$ 1,670,000[1]
Receita US$ 2.35 milhões (EUA/Canadá)[2]
Página no IMDb (em inglês)

Niagara (br.:Torrente de Paixão / pt.: Niagara) é um filme do gênero Suspense e de Film noir dirigido por Henry Hathaway, enquanto que sua escrita foi feita por Richard L. Breen, Charles Brackett e Walter Reisch. O filme foi lançado pela 20th Century Fox e estrelado por Marilyn Monroe, Joseph Cotten, Jean Peters e Max Showalter.[3] A música do filme foi inteiramente produzida por Sol Kaplan. Ao contrário de outros filmes noir da época, Niagara foi filmado em Technicolor e foi um dos maiores sucessos de bilheteria da 20th Century Fox do ano.[4]

O filme é considerado o primeiro grande faturamento de Monroe no cinema, que a levou a ganhar o status de estrela em Hollywood e se tornar uma das atrizes de maior bilheteria. Seus dois filmes seguintes, Gentlemen Prefer Blondes com Jane Russell e How to Marry a Millionaire com Betty Grable e Lauren Bacall tiveram um sucesso de faturamento ainda maiores.[5]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Ray e Polly Cutler (Max Showalter e Jean Peters) estavam em uma lua de mel atrasada em Niagara Falls, e encontram sua cabine reservada ocupada por George e Rose Loomis (Joseph Cotten e Marilyn Monroe). Rose diz que George tinha recentemente saído de um hospital psiquiátrico e precisava dormir. Os Cutlers educadamente aceitam o outro casal na cabine, e assim os dois casais se familiarizam.

Monroe como Rose Loomis.[6]
Monroe como Rose Loomis.[6]
Polly Cutler e George Loomis.
Polly Cutler e George Loomis.

George e Rose têm um casamento conturbado. Ela é mais jovem e muito atraente. Ele é ciumento, deprimido e irritável. Enquanto visitava a Niagara Falls no dia seguinte, Polly vê Rose apaixonadamente beijando outro homem, Patrick, seu amante. Rose se junta a uma festa improvisada e pede a reprodução de um disco específico, no qual George entra em sua cabine e quebra o disco, porque ele suspeita que a música tem um significado secreto para Rose.

O que George não sabe é que Rose e Patrick estão planejando assassiná-lo. No dia seguinte, Polly pede para que George a siga para um túnel turista e escuro debaixo da Niagara Falls para contar sobre o plano. E é aí que Patrick vai matá-lo. Antes disso, Rose e Patrick tramaram uma música para ser tocada depois que George morresse. Para fazer com que Rose fique sabendo da morte de George, ele solicita uma canção especifica. A música é tocada no carrilhão e Rose concluí que George morreu.

Na verdade, George quem matou Patrick, e joga seu corpo na Niagara Falls, antes disso, ele se veste com roupas de Patrick. Isto leva a polícia a acreditar que George é a vítima. O corpo é recuperado e os policiais trazem Rose para identificar o corpo de George. Quando ela vê o rosto de Patrick, ela entra em colapso e é internada em um hospital.

O gerente do motel move os pertences de Cutler para a cabine dos Loomises. George vem para a cabana para matar Rose em vingança, mas encontra Polly lá em vez disso. Ela acorda e o vê por lá e liga para os policiais dizendo que foi um arrastão.

Durante a segunda visita dos Cutlers a Niagara Falls, George encontra Polly sozinha por um momento. Tentando escapar, ela escorrega e ele a salva de cair sobre a borda na cachoeira. Ele explica a ela que matou Patrick em auto defesa e suplicante diz: "Por favor... deixe-os pensar que eu morri". Polly não responde. Mais tarde naquele dia, ela diz ao detetive da polícia que ela acredita que George está vivo. Rose, assustada, deixa o hospital com a intenção de voltar para os Estados Unidos. George a espera na fronteira de Niagara Falls, ela corre e tenta se esconder no carrilhão do sino da torre. George a pega e estrangula-a sob os sinos, que permanecem em silêncio. Em remorso, ele diz: "Eu amei você, Rose. Você sabe disso."

Os Cutlers vão pescar com amigos em um trecho do rio Niagara acima das cataratas. Quando o barco é amarrado na beira do solo para que Ray vá as compras com os amigos, George rouba o barco com Polly a bordo. A polícia é notificada e começa uma perseguição ao barco. O barco fica sem gasolina durante a perseguição. George tenta levar Polly a um túnel, mas Polly é resgatado da rocha por helicóptero.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Marilyn Monroe Rose Loomis
Joseph Cotten George Loomis
Jean Peters Polly Cutler
Max Showalter Ray Cutler
Denis O'Dea Inspetor Starkey
Richard Allan Patrick
Don Wilson Mr. Kettering
Lurene Tuttle Mrs. Kettering
Russell Collins Mr. Qua
Will Wright Barqueiro

Temas noir[editar | editar código-fonte]

Um dos temas principais é de sexo e sua destrutividade.[7] Rose é uma femme fatale, sedutora vestida com roupas apertadas, relevando sua figura sensual. Seu relacionamento com George é contatado como hipócrita e que é uma relação unicamente sexual. Ray Cutler não deixar de notar os encantos sexuais de Rose, mas a reação de ambos Ray e Polly a suas interações com George e Rose demonstrar a convencionalidade de suas atitudes.[8]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica da crítica[editar | editar código-fonte]

Abertura do filme

Quando o filme foi lançado, o jornal The New York Times elogiou o filme. Eles escreveram: "Obviamente, ignorando a idéia de que existem Sete Maravilhas do Mundo, a Twentieth Century-Fox descobriu mais dois e aumentou-as com Technicolor em Niagara. Foi um grande acerto para os produtores que estão fazendo bom uso das cataratas, bem como a grandeza de Monroe no filme. Talvez, senhorita Monroe não é a atriz perfeita neste momento, mas nem o diretor e seus telespectadores precisam se preocupar com isso. Niagara Falls pode não ser o lugar para visitar durante a lua de mel, mas a atuação de Monroe torna algo muito bom de se ver".[9]

O crítico Robert Weston também elogiou o filme e escreveu que: "Niagara é um bom filme para os fãs de noir que anseiam por algo um pouco diferente. Esteja avisado, o filme foi rodado em um glorioso Technicolor, não preto e branco, mas ainda possui uma ampla participação das sombras e estilo... Sem dúvida, a melhor razão para ver Niagara é a participação de Monroe, mas também sem esquecer a paisagem da Niagara Falls.[10]

Os funcionários da Variety, escreveu: "Niagara é uma expedição de clichê que mostra a luxúria de uma mulher e o desejo de assassinato para ficar com seu amante. O ponto alto do filme, é, sem dúvidas Marilyn Monroe, que usa toda sua sedução para entrar de férias com seu marido e assassina-lo... a câmera fica focada sobre os seus lábios sensuais a maior parte do tempo do filme e brevemente ofusca até mesmo a Niagara Falls".[11]

Legado[editar | editar código-fonte]

Nas semanas após a morte de Monroe, em agosto de 1962, Andy Warhol usou uma foto de publicidade de Niagara como base para uma de suas pinturas, mostrando várias imagens do rosto de Monroe.[12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Solomon, Aubrey. Twentieth Century Fox: A Corporate and Financial History (The Scarecrow Filmmakers Series). Lanham, Maryland: Scarecrow Press, 1989. ISBN 978-0-8108-4244-1. p248
  2. 'The Top Box Office Hits of 1953', Variety, January 13, 1954
  3. Churchwell, p. 233.
  4. Riese and Hitchens, p. 336.
  5. Churchwell, p. 62.
  6. Russell, p. 138.
  7. Silver, Alain & Elizabeth Ward, Film Noir (1979). The Overlook Press: Woodstock, New York.
  8. Riese and Hitchens, p. 222.
  9. The New York Times. "Niagara Falls Vies With Marilyn Monroe," film review, January 22, 1953. Last accessed: December 27, 2007.
  10. Weston, Robert. Film Monthly, film review and analysis, August 24, 2001. Last accessed: June 27, 2010.
  11. Variety. Film review, 1953. Last accessed: February 2, 2008.
  12. W., A.. "Niagara (1952) Niagara Falls Vies With Marilyn Monroe", January 22, 1953. Página visitada em November 27, 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Niagara (filme)