Operação Eagle Claw

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Operação Eagle Claw
Crise de reféns no Irã
Eagle Claw wrecks at Desert One April 1980.jpg
Destroços de aeronaves americanas no deserto do Irã.
Data 24 e 25 de abril de 1980
Local  Irã
Desfecho Missão não cumprida

Operação Eagle Claw[1] foi uma operação militar norte-americana ordenada pelo presidente Jimmy Carter com o objetivo de tentar pôr fim à crise de reféns no Irã pelo resgate de 53 americanos mantidos em cativeiro na embaixada dos Estados Unidos em Teerã, em 24 de abril de 1980. O seu fracasso, e a humilhação pública que se seguiu, danificou o prestígio americano em todo o mundo e é considerado por muitos, incluindo o próprio Carter, como um dos motivos de sua derrota na eleição presidencial de 1980.[2]

A operação previa um mínimo de seis helicópteros, mas oito foram enviados.[3] Um teve problemas hidráulicos, outro sofreu uma avaria numa das pás e um terceiro não pôde navegar através de uma nuvem de areia muito fina (a haboob), o que obrigou um dos helicópteros a fazer um pouso forçado e os outros a voltar ao porta-aviões USS Nimitz (CVN-68).

Durante o planeamento foi decidido que a missão seria abortada se restassem menos de 6 helicópteros, isto apesar de apenas quatro serem considereados absolutamente necessários.[3] Numa opção que ainda hoje é discutida nos círclulos militares, os comandante pediram ao Presidente Carter permissão para abortar a missão e Carter acedeu ao pedido.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.