Patrick Friesacher

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Patrick Friesacher
Friesacher no GP dos EUA de 2005.
Informações pessoais
Nacionalidade Áustria Austríaca
Registros na Fórmula 1
Temporadas 2005
Equipes Minardi
GPs disputados 11
Títulos 0
Vitórias 0
Pódios 0
Pontos 3
Pole positions 0
Voltas mais rápidas 0
Primeiro GP GP da Austrália de 2005
Último GP GP da Grã-Bretanha de 2005

Patrick Friesacher (Wolfsberg, 26 de Setembro de 1980), é um piloto austríaco.[1]

Correu em 2005 pela Minardi, no último ano da equipe na categoria, porém, assim como a equipe, teve modestos resultados.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O início[editar | editar código-fonte]

Friesacher começou a carreira precocemente no kart. Em 1998, ele mudou-se para o campeonato francês de Fórmula Campus. Em 1999, ele passa para o campeonato francês de Fórmula 3 da classe B, antes de passar para o certame alemão de F-3 na série 2000.

A Fórmula 2000[editar | editar código-fonte]

Em 2001, Friesacher chegou à Fórmula 3000, pilotando para a equipe Red Bull Junior Team. Ele ficou na equipe ao longo dos próximos dois anos, ganhando uma corrida em Hungaroring em 2003, após se recuperar de um braço quebrado, em decorrência de um acidente em uma corrida na temporada anterior. Mais tarde, ele ingressou na Super Nova Racing. Em 2004, ele ganhou uma outra corrida (novamente na Hungria), desta vez pilotando para a equipe Coloni.

Chegada à F-1[editar | editar código-fonte]

Friesacher teve seu primeiro contato com um F-1 em novembro de 2004, pela Minardi. Ele testou no circuito de Misano, impressionando Paul Stoddart. Em 14 de Fevereiro de 2005, ele assinou um contrato de um ano, tendo como companheiro de time o holandês Christijan Albers, outro ex-piloto de F-3000 e um novato na categoria principal do automobilismo. Martin Brundle, comentarista da ITV, comentou que não sabia se Patrick parecia um verdadeiro piloto de Fórmula 1.

O GP dos EUA foi o grande momento de Friesacher na F-1. Ele terminou em sexto (e último) lugar, pois apenas as equipes que corriam com pneus Bridgestone (Ferrari, Jordan e Minardi) competiram, já que as demais equipes saíram devido a um problema com os pneus da Michelin.

Em 19 de Julho, foi anunciado que Friesacher tinha sido sacado da Minardi, devido ao fracasso de seus patrocinadores pessoais. Ele foi substituído por outro holandês, Robert Doornbos, que completou o resto da temporada para a Minardi, que foi vendida para a Red Bull e se converteu na Scuderia Toro Rosso em 2006.

A1GP[editar | editar código-fonte]

Em 2006, Friesacher chegou à A1 Grand Prix, representando seu país natal, a Áustria, no GP do México, se classificando em 18ª em sua primeira sessão. Ele termina as duas corridas em 10ª e 9ª, pontuando 3 vezes. Ele também foi piloto de teste do novo chassi da A1GP. Durante uma sessão de teste do circuito de Magny-Cours em agosto de 2008, Friesacher sofreu um acidente, tendo três vértebras levemente esmagadas.

ALMS[editar | editar código-fonte]

No início de 2008, a equipe Risi Competizione, que corre na American Le Mans Series, anunciou que Friesacher tinha sido contratado para co-dirigir o Ferrari F430. Em parceria com Harrison Brix, Friesacher fez sua estréia na série Acura Sports Car Challenge de São Petersburgo, um evento realizado em um curso na cidade, próxima a Miami, na Flórida. Ele perdeu parte da temporada devido aos ferimentos sofridos nos testes da A1 GP.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Patrick Friesacher ESPN F1.