Perfeccionismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O perfeccionismo é um distúrbio neurótico no qual a pessoa sente constante insatisfação com seu desempenho e dúvidas sobre a qualidade de seu trabalho, levando o indivíduo a escrupulosidade, verificações de pormenores, obstinação, prudência e rigidez excessivas prejudicando a sua pontualidade e eficiência. Caso seja um traço de personalidade que cause prejuízo significativo a si mesmo e/ou aos outros passa a ser considerado como transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva.[1]

Definição[editar | editar código-fonte]

É descrito que existem dois tipos de perfeccionismo: o "normal" (quando a pessoa se esforça para fazer algo bem feito (segundo alguns, isso nem pode ser considerado perfeccionismo) e o neurótico (quando a pessoa tem um comportamento compulsivo excessivo de esforço, chegando níveis monumentais e inúmeras quantidades de repetições da mesma atividade).

É listado no livro "16 Fatores de Personalidade", de Raymond Cattel, sendo descrito como "organizado, disciplinado, sentimental, sem vida social e exageradamente compulsivo."

É muito comum pessoas descritas como perfeccionistas entrarem em depressão por pequenos erros. Muitas vezes o perfeccionista não busca o primor ou a excelência, mas simplesmente a falta de erros, num processo vicioso e repetitivo. Em suma, o objetivo do perfeccionista é ser perfeito.[2]

Um erro muito comum é confundir Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e perfeccionismo, sendo ambos, apesar de parecidos, consideravelmente diferentes em sua expressão.

No livro "Never Good Enough: Freeing Yourself From the Chains of Perfectionism", nós somos apresentados a dois tipos de perfeccionistas: o introspectivo (que apresenta pouca auto-estima e confiança. No mundo deles, qualquer erro cometido é terrível) e o extropectivo (que não apresenta baixa auto-estima, mas não confia nas habilidades ou capacidades do restante do grupo de trabalho e exige deles o perfeccionismo cobrado a si mesmo)[carece de fontes?]

Fatores Positivos

O perfeccionismo pode ter seus fatores positivos, por exemplo: por ter normalmente ter grande qualidade, trabalhos vindos de perfeccionistas normalmente são os melhores e mais premiados. Raramente uma pessoa dentro deste quadro fracassa.

Aspectos Negativos

Exige uma grande carga emocional e física, por sempre buscar a excelência. Por vezes a mesma coisa é repetida inúmeras vezes até ficar "aceitável" por um perfeccionista (e normalmente, aos olhos de um não-perfeccionista, está excelente). Os riscos de quando alguém perfeccionista fracassa, como já dito, são críticos, variando entre uma simples depressão e até mesmo a morte

Segundo o jornal "The Boston Herald" o perfeccionismo é visto como a "fobia de cometer erros"[3] . No ponto de vista das outras pessoas, perfeccionismo é visto como sinônimo de sucesso, mas, muitas vezes, o perfeccionismo causa baixa produtividade[3]

Referências

  1. http://www.psiqweb.med.br/site/DefaultLimpo.aspx?area=ES/VerDicionario&idZDicionario=82
  2. Hugo Lapa (2007), Perfeccionismo: uma ponte para a depressão, Página visitada em 28 fevereiro de 2010
  3. a b Carey Goldberg (2009), The Boston Herald, When perfectionism becomes a problem, Página visitada em 28 fevereiro de 2010