Raymond Domenech

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Raymond Domenech
Raymond Domenech.jpg
Informações pessoais
Data de nasc. 24 de janeiro de 1952 (62 anos)
Local de nasc. Lyon,  França
Apelido Le Boucher
Informações profissionais
Clube atual Sem clube
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1969–1977
1977–1981
1981–1982
1982–1984
1984–1988
França Lyon
França Strasbourg
França PSG
França Bordeaux
França Mulhouse
Total
255 (10)
138 0(4)
019 0(1)
047 0(3)
013 0(0)
472 (18)
Seleção nacional
1973–1979 Bandeira da França França 008 0(0)
Times que treinou
1985–1989
1989–1993
1993–2004
2004–2010
França Mulhouse
França Lyon
Bandeira da França França Sub-21
Bandeira da França França

Raymond Domenech (Lyon, 24 de janeiro de 1952) é um ex-futebolista e atual treinador francês.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Começou a jogar no Lyon, onde permaneceu por quase dez anos, se tornando ídolo no clube. Depois se consagrar também no Strasbourg, passou ainda por Paris Saint-Germain, Bordeaux e Mulhouse, antes de encerrar a carreira, em 1988.

Pela Seleção Francesa, disputou apenas oito partidas.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Logo após se aposentar como jogador, passou a treinar o mesmo Mulhouse. Chegou ao Lyon em 1989, ficando por quatro anos. Em 1993, assumiu a Seleção Francesa Sub-21, comandando os garotos por onze anos, obtendo grande êxito.

Em 12 de julho de 2004, assumiu o comando da Seleção principal. Levou a França à final da Copa do Mundo FIFA de 2006, na Alemanha, sendo derrotada pela Itália nos pênaltis.

Antes da Copa de 2010, no entanto, já havia sido definido que deixaria o cargo depois do mundial. Seu substituto seria o ex-zagueiro do time campeão mundial de 1998 e então técnico do Bordeaux, Laurent Blanc.[1] . Na disputa do certame, o desempenho da sua equipe foi pífio, sendo eliminada na fase de grupos, tendo conquistado apenas um ponto.

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Durante a carreira, Domenech acumulou polêmicas dentro e fora dos gramados. Ainda como jogador, ele assumiu no lugar de um colega a culpa por uma entrada que encerrou a carreira de um adversário por acreditar ser interessante aparecer no noticiário. Mais adiante, ao se transferir do Lyon para o Strasbourg, esnobou torcedores de seu novo clube na apresentação.

Técnico da Seleção Francesa[editar | editar código-fonte]

Ao longo de sua passagem pela seleção, Domenech se envolveu em uma série de intrigas, quase todas relacionadas à sua confiança na astrologia. O critério afastou da equipe nomes como Robert Pires e Ludovic Giuly por serem do signo de Escorpião. Para o treinador, atletas com esse signo poderiam prejudicar o ambiente do seu grupo no Mundial da Alemanha.

Além de questões astrológicos. Entrou em conflito com outros jogadores, tais como o ídolo e capitão Zinedine Zidane, que discordava da táctica usada com somente 1 atacante. Nicolas Anelka, sem chances, afirmou que não atuaria com o treinador. David Trezeguet, sentia-se desvalorizado e Karim Benzema, estrela em ascensão à época, não se conformava com a falta de oportunidades (por fim, foi preterido da convocação final da França para o Mundial da África do Sul). [1]

Após a eliminação da Copa do Mundo de 2010 ele se recusou a cumprimentar o técnico da Seleção Sul-Africana, Carlos Alberto Parreira. [2]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um treinador de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.