Rodovia Americana-Paulínia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estrada Municipal Ivo Macris (em Americana)
Estrada Municipal Raphael Perissinoto (em Paulínia)
(nome oficial, Municipal)
"Estrada Americana-Paulínia"
"Estrada do Sobrado Velho[1] "
Extensão 14,47[2] km
Projetado: 14,47 km
Tipo Rodovia Municipal
Limite oeste Avenida Nicolau João Abdalla, Americana, SP
Limite leste Rua Raphael Perissinoto, Paulínia, SP
Concessão Prefeituras
Commons-logo.svg Imagens

Rodovia Americana-Paulínia é o nome genérico dado a um conjunto de estradas vicinais que ligam as cidades brasileiras de Paulínia e Americana, no interior de São Paulo.

Vista da Rodovia em Americana

Em Paulínia o trecho corresponde ao trecho da PLN-346 denominado Estrada Municipal Raphael Perissinoto. No município de Americana a rodovia corresponde ao trecho pavimentado da Estrada Municipal Ivo Macris (que liga o município diretamente a Paulínia, mas através de um trecho sem pavimentação) e a um trecho sem denominação oficial. A rodovia ainda passa pelo município de Cosmópolis, dando acesso a esse através de uma estrada rural.[3]

A Lei paulinense n° 2306, de 4 de novembro de 1999, oficializou a denominação Raphael Perissinoto para a via,[4] enquanto em Americana a denominação Ivo Macris foi atribuída através da Lei n° 4922, de 15 de dezembro de 2009.[5]

A Rodovia Americana-Paulínia possui 14,47 km de extensão, totalmente pavimentados e sinalizados. A pavimentação foi realizada pelo governo do estado de São Paulo,[2] [3] através de convênios realizados entre o DER-SP e as prefeituras de Paulínia e Americana, que não acarretaram custos diretos às respectivas prefeituras.[6] [7]

Problemas[editar | editar código-fonte]

Caminhão caído na cratera aberta após fortes chuvas

A via não possui acostamentos e em muitos trechos não há área disponível nas margens da rodovia, o que pode acarretar problemas em caso de acidentes.[3] Além disso, um trecho em Americana cedeu devido às fortes chuvas que acometeram a região no início de 2011, e até hoje nenhuma obra foi feita no local, com exceção de uma desvio improvisado para carros leves, mas utilizado também por veículos pesados. O governo estadual liberou 1,6 milhões de reais para a construção de uma ponte, mas a prefeitura de Americana alega serem necessários 2 milhões para a obra. A cratera provocou dois acidentes, um envolvendo um caminhão e outro uma motocicleta, cujo piloto acabou morrendo.[8]

A rodovia é utilizada como rota de fuga por motoristas que querem evitar os pedágios instalados na Rodovia Anhanguera, em Nova Odessa e na Rodovia Professor Zeferino Vaz (antiga Gal. Milton Tavares de Sousa), em Paulínia. Em 2010 a AutoBan, concessionária responsável pela administração do sistema Anhanguera-Bandeirantes, contratou um serviço de consultoria para fazer um levantamento da quantidade e tipos de carros passavam pela rodovia. A empresa negou que o levantamento fosse pelo fato da via ser usada como rota de fuga, e sim um trabalho sobre as rodovias concessionadas. Mas apesar do governo do estado realizar obras na rodovia, ela não era administrada pela empresa, e sim pelos municípios.[9] Outra polêmica envolveu a Usina Ester, que fechou uma estrada que passava por suas terras e dava acesso a Cosmópolis a partir da rodovia Americana-Paulínia supostamente para evitar a rota de fuga, entretanto há outro acesso àquela cidade, através de outra estrada, em condições inferiores à estrada bloqueada. Foi sugerido por vereadores de Cosmópolis a desapropriação de parte das terras da Usina Ester, incluindo a ponte de alvenaria localizada sobre o Rio Jaguari, para permitir a construção de uma rota alternativa à SP-332.[10]

Referências

  1. Pauta da 10ª Sessão Ordinária Quarto Ano Legislativo da 14ª Legislatura 27 de março de 2008 – 14 horas (html) (em português) p. 9 de 10. camaramericana.sp.gov.br. Visitado em 30/10/2012.
  2. a b Diário Oficial - Poder Legislativo de São Paulo (pdf) (em português) 1. Departamento de Estradas de Rodagem – DER (Investimentos na Infra-estrutura física) p. 35. jusbrasil.com.br (31/05/2011). Visitado em 28/10/2012.
  3. a b c Rodovia Americana-Paulínia (html) (em português) paulinia.net. Visitado em 28/10/2012.
  4. Lei Ordinária de Paulínia-SP, nº 2306 de 04/11/1999 (html) (em português) leismunicipais.com.br. Visitado em 28/10/2012.
  5. Lei Ordinária de Americana-SP, nº 4922 de 15/12/2009 (html) (em português) leismunicipais.com.br. Visitado em 28/10/2012.
  6. Lei Ordinária de Americana-SP, nº 4669 de 04/07/2008 (html) (em português) leismunicipais.com.br. Visitado em 28/10/2012.
  7. Lei Ordinária de Paulínia-SP, nº 2995 de 11/05/2009 (html) (em português) leismunicipais.com.br. Visitado em 28/10/2012.
  8. Cratera em rodovia de Americana completa 22 meses sem solução (html) (em português) g1.com.br (25/10/2012). Visitado em 28/10/2012.
  9. AutoBAn "ficha" carros em rota de fuga do pedágio. (html) (em português) sindicamp.org.br (22/01/2012). Visitado em 28/10/2012.
  10. Requerimento N.º 146/2010 (html) (em português) camaracosmopolis.sp.gov.br (27/05/2010). Visitado em 28/10/2012.


Ícone de esboço Este artigo sobre uma rodovia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.