São Gonçalo do Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde novembro de 2011).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Município de São Gonçalo do Pará
Matriz

Matriz
Bandeira de São Gonçalo do Pará
Brasão de São Gonçalo do Pará
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1º de janeiro de 1949
Gentílico são-gonçalense
Prefeito(a) Antônio André Guimarães
(2013–2016)
Localização
Localização de São Gonçalo do Pará
Localização de São Gonçalo do Pará em Minas Gerais
São Gonçalo do Pará está localizado em: Brasil
São Gonçalo do Pará
Localização de São Gonçalo do Pará no Brasil
19° 58' 58" S 44° 51' 32" O19° 58' 58" S 44° 51' 32" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Oeste de Minas IBGE/2008[1]
Microrregião Divinópolis IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Igaratinga, Divinópolis, Carmo do Cajuru, Conceição do Pará, Nova Serrana
Distância até a capital 129 km
Características geográficas
Área 265,578 km² [2]
População 10 405 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 39,18 hab./km²
Altitude 750 m
Clima tropical de altitude
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,744 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 91 557,134 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 8 362,15 IBGE/2008[5]
Página oficial

São Gonçalo do Pará é um município brasileiro localizado no Centro-oeste do estado de Minas Gerais.

História[editar | editar código-fonte]

Matriz de São Gonçalo , no centro de São Gonçalo do Pará.

A criação do povoado de São Gonçalo do Pará teve ligação muito estreita com os surtos revolucionários dos mineradores da Capitania de Minas Gerais, em 1717. Felipe de Freitas Mourão-(Árvore Genealógica), português, faiscador de ouro, trabalhava nas minas de Pitangui na época colonial. Por estar envolvido em movimentos revolucionários contra a cobrança de impostos sobre ouro, fugiu junto com sua esposa, Estefânia de Mourão Bravo. Subiram em direção à nascente do Rio Pará e encontraram com portugueses fugitivos de Vila Rica (Pero Gonçalves de Amaranto e Estácio Campos de Borgonha).

Felipe de Freitas foi convidado pelos portugueses para ser capataz de escravos. Dava ordens nos garimpos e nas roças; depois, saía em busca de vestígio de ouro. Ele e alguns escravos enveredaram pelas matas próximas ao rio Pará explorando o terreno, chegaram a um ribeirão cujas terras onde ficavam suas margens eram boas para o cultivo de plantações. Deram ao lugar o nome de ribeirão dos Morais. Construíram ranchos de pau-a-pique com reboco e recobertos de sapé.

Terminadas as construções no ribeirão, para lá se transferiram em 18 de dezembro de 1723. Entronizaram numa capela recém-construída a imagem de São Gonçalo do Amarante, que traziam em suas bagagens. Era o santo a quem os portugueses tinham uma grande devoção.

Felipe prolongou suas andanças, levando consigo escravos, e chegou a um local com uma grande reserva de madeira de lei. Neste local, iniciaria a formação do primitivo arraial, que futuramente levaria o nome de São Gonçalo do Pará. Em 1735, deram por encerradas todas as construções, inclusive de uma capela com a imagem de São Gonçalo do Amarante. Houve a sugestão de se chamar este local de Pará Acima. Felipe de Freitas afirmou ter feito uma parada naquele local, perto das margens do Rio Pará, quando viera de Pitangui; por isso, o povoado receberia o nome de Paragem do Pará em 7 de setembro de 1735.

De 1751 a 1755, uma nova igreja foi construída no mesmo local da antiga capela, com estilo barroco. Em 1750 o povoado passou a se chamar São Gonçalo do Pará, fazendo referência ao Rio Pará, o mesmo que trouxe os fundadores e hoje é linha divisória do atual município. Em 1870, o arraial de São Gonçalo do Pará foi feito distrito de Pitangui e anexado a Vila de Nossa Senhora da Piedade (Atual Pará de Minas).

Finalmente, a emancipação política veio a ser realizada em 1º de janeiro de 1949.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Praça Juscelino Kubitschek , no centro de São Gonçalo do Pará.

Como atrações turísticas o município apresenta a antiga igreja matriz, um cemitério de pedra bruta, construído pelos escravos e datado de 1855, a cachoeira existente no Ribeirão dos Morais e uma bela lagoa, formada por uma barragem.

Usina no Ribeirão dos Morais
Escola Estadual Benedito Valadares
Lagoa artificial no bairro Lago Azul
Santuário de Nossa Senhora Aparecida
Imagem de São Gonçalo do Amarante no altar da Igreja Matriz

Caracterização[editar | editar código-fonte]

  • Altitude
    • Máxima: 970 m
    • Local: Cabec.Corrego Tamanduá
    • Mínima: 736 m
    • Local: Foz Corrego Conquista
    • Ponto central da cidade: 750 m
  • Temperatura:
    • Média anual: 21,8 C
    • Média máxima anual: 28,7 C
    • Média mínima anual: 15,8 C
  • Índice médio pluviométrico anual: 1272 mm
  • Relevo:
    • Topografia %
      • Plano: 30
      • Ondulado: 60
      • Montanhoso: 10

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio Pará
  • Ribeirão dos Morais
  • Bacia do rio São Francisco

Economia[editar | editar código-fonte]

  • Arrecadação Municipal: ($R)
ANOS
ICMS
OUTROS
TOTAL
2001
752.748
407.671
1.160.419
2002
718.088
554.882
1.272.970
2003
1.024.118
494.787
1.518.905
2004
1.560.710
1.203.716
2.764.426

População[editar | editar código-fonte]

  • População Residente
ANOS
URBANA
RURAL
TOTAL
1970
3.844
2.485
6.329
1980
4.426
1.803
6.229
1991
5.682
1.859
7.541
2000
6.214
1.758
7.972
2005
-
-
8.237
2007
-
-
10.308
  • População Ocupada por Setores Econômicos: (2000)
SETORES
No. DE PESSOAS
Agropecuário, extração vegetal e pesca
495
Industrial
1.282
Comércio de Mercadorias
432
Serviços
1.045
TOTAL
3.254

Saúde[editar | editar código-fonte]

  • Serviços de Saúde 2005
SETORES
Estabelecimento
Estab. de Saúde total 12
Estab. de Saúde público total 10
Estab. de Saúde público municipal 10
Estab. de Saúde privado total 2
Estab. de Saúde privado com fins lucrativos 2
Estab. de Saúde sem internação total 10
Estab. de Saúde com apoio à diagnose e terapia total 2
Estab. de Saúde sem internação público 10
Estab. de Saúde com apoio à diagnose e terapia privado 2
Estab. de Saúde especializado sem internação total 4
Estab. de Saúde com especialidades sem internação total 1
Estab. de Saúde geral sem internação total 7
Estab. de Saúde especializado sem internação público 2
Estab. de Saúde com especialidades sem internação público 1
Estab. de Saúde geral sem internação público 7
Estab. de Saúde especializado sem internação privado 2
Estab. de Saúde SUS 10
Estab. de Saúde plano de terceiros 2
Estab. de Saúde próprio 2
Estab. de Saúde único total 12
Estab. de Saúde único público 10
Estab. de Saúde único privado 2
Eletrocardiógrafo 1 equipamentos
Estab. de Saúde com atend. ambul. total 10
Estab. de Saúde com atend. ambul. sem atendimento médico 2
Estab. de Saúde com atend. ambul. com atendimento médico em especialidades básicas 8
Estab. de Saúde com atend. ambul. com atendimento odontológico com dentista 3
Estab. de Saúde que prestam serviço ao SUS Ambulatorial 10

Transportes[editar | editar código-fonte]

  • Frota (2006)
Veículos
Quantidade
Automóvel 1.200
Caminhão 132
Caminhão trator 15
Caninhonete 135
Micro-ônibus 6
Motocicleta 815
Motoneta 78
Ônibus 9
Trator de rodas 0

Agropecuária[editar | editar código-fonte]

  • Principais Produtos Agrícolas: (2006)
Produto
Área colhida (ha)
Produção (t)
Rendimento médio (kg/ha)
Banana (2003)
3
24
8.000,00
Cana-de-acucar (2003)
40
2.000
50.000,00
Café (2003)
5
4
800,00
Feijão (2006)
15
15
16.000,00
Laranja (2003)
15
120
8.000,00
Mandioca (2003)
40
400
10.000,00
Milho (2006)
250
1.125
262.000,00
  • Principais Efetivos: (2005)
ESPECIFICAÇÃO
No. DE CABEÇAS
BOVINOS
15.124
CAPRINOS
50
EQUINOS
500
GALINACEOS
260.000
SUINOS
5.000

PIB[editar | editar código-fonte]

  • Produto Interno Bruto (PIB) a preços correntes $R(mil)
ANO
AGROPECUÁRIO
INDUSTRIA
SERVIÇO
TOTAL
1998
2.961
15.387
13.610
31.958
1999
3.140
13.439
13.768
30.347
2000
3.275
16.102
14.716
34.093
2001
3.227
15.731
16.464
35.422
2002
5.315
17.354
17.866
40.535
2004
7.968
42.338
24.896
77.277

Concessionárias de Serviços Públicos[editar | editar código-fonte]

  • Telefone: TELEMAR
  • Energia Elétrica: CEMIG
  • Água: COPASA
  • Esgoto: Prefeitura

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Site da cidade: ligação externa
  • Instituto de Geociências Aplicadas - IGA
  • Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE
  • Secretaria de Estado da Fazenda
  • Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais
  • Ferrovia Centro Atlântica - FCA
  • Estrada de Ferro Vitória Minas
  • Diretoria de Eletrônica e Proteção ao Vôo / Ministério da Aeronáutica
  • Fundação João Pinheiro - FJP
  • Centro de Estatística e Informações - CEI
  • Secretaria da Cultura em 1 de outubro de 1999
  • Companhia de Saneamento de Minas Gerais
  • Companhia Energética de Minas Gerais - CEMIG
  • Telecomunicações de Minas Gerais S.A.
  • Texto "História" : Helmo Amaral, sintetizado a partir das obras "Histórias e Estórias de Minha terra", de Geraldo Moreira, e "História de São Gonçalo do Pará:À Beira do Rio Pará" de Manoel Ferreira do Amaral.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.