Santa Maria delle Grazie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Igreja e convento dominicano de Santa Maria delle Grazie *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Milano Grazie 1.JPG
Igreja e convento dominicano de Santa Maria delle Grazie
País Itália
Critérios (i) (ii)
Referência 93
Coordenadas N45 27 57.2 E9 10 13.8
Histórico de inscrição
Inscrição 1980  (4ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Santa Maria delle Grazie ("Santa Maria da Graça", em italiano) é uma igreja e convento dominicano em Milão, norte da Itália, incluído na lista dos Patrimônios Mundiais[1] pela UNESCO.

A igreja é famosa pela pintura da A Última Ceia de Leonardo da Vinci , que foi pintada na parede do refeitório do convento. Diferente do que se pensa A Última Ceia, não foi pintada pela técnica de afresco, ( onde a pintura é aplicada sobre uma base de massa ainda fresca ) deve-se a isso seu atual estado bem desgastado pelo tempo. A pintura também sofreu várias restaurações.

História[editar | editar código-fonte]

O duque de Milão Francesco Sforza ordenou a construção de um convento da Ordem Dominicana e uma igreja no local onde uma foi erguida uma pequena capela dedicada a Santa Maria da Graça .

O principal arquiteto foi Guiniforte Solari, o convento foi concluído em 1469, enquanto a igreja demorou mais tempo. O novo duque Ludovico Sforza decidiu que a igreja seria lugar do enterro da família Sforza e reconstruiu o claustro e a abadia, que foram concluídas após 1490.[2]

A esposa de Ludovico Beatriz, foi sepultada na igreja em 1497.

A abside da igreja é amplamente reconhecida como sendo de autoria de Donato Bramante. No entanto, não há nenhuma evidência real do fato, além de que Bramante viveu em Milão na época, e ele é citado uma vez nos atos da igreja (a entrega de mármore em 1494). Ele continuou o estilo gótico da primeira parte, mas misturado com influência românica.

Em 1543, uma capela lateral recebeu uma pintura de Ticiano, A Coroação de Espinhos . Este foi levado pelas tropas francesas em 1797, após a sua conquista do Milão, e se encontra no Museu do Louvre.

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Nave gótica da igreja.

Durante a Segunda Guerra Mundial, na noite de 15 de agosto de 1943, bombas lançadas por aviões americanos e britânicos atingiram a igreja e o convento. Grande parte do refeitório foi destruído, mas algumas paredes sobreviveram, incluindo aquela onde está a Última Ceia, que tinha sido cercada de sacos de areia para proteção.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. UNESCO (1980). Church and Dominican Convent of Santa Maria delle Grazie. Página visitada em 9 de março de 2011.
  2. H. HEYDENREICH, Ludwig. Arquitetura na Itália: 1400-1500. 1998. Página visitada em 9 de março de 2011.