Sumaré (bairro de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sumaré
Sumaré São paulo2.jpg
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Imigração predominante:  Canadá e  Estados Unidos
Distrito: Perdizes
Subprefeitura: Lapa
Região Administrativa: Oeste

Sumaré é um bairro nobre da cidade de São Paulo localizado na zona oeste, no distrito de Perdizes. Está localizado em uma das regiões mais altas da cidade, chamada de Espigão da Paulista.

História[editar | editar código-fonte]

O bairro-jardim é resultado do loteamento original da Sociedade Paulista de Terrenos e Construções Sumaré Ltda., moldado com extensa porcentagem de área verde e solo permeável, apresentando também traçado viário tortuoso. Seu nome se deve a uma espécie de orquídea de nome científico Cyrtopodium puntactum.

Vista parcial do bairro, da Torre Cultura e do Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

No mesmo foi inaugurado o primeiro canal de televisão da América Latina, a TV Tupi, em 1950.[1] Em 1983 foi construída ali a primeira sede da Rede Manchete em São Paulo, idealizada por Oscar Niemeyer.[1] No ano de 1991 o SBT reativou seus estúdios no bairro, onde foram gravadas algumas de suas novelas, além do talk-show Jô Soares Onze e Meia. Esses estúdios foram parcialmente abandonados em 1996, quando a emissora mudou-se para o CDT da Anhanguera.[1]

Vista parcial do bairro a partir da Rua Heitor Penteado.

Sediou a primeira escola de samba da zona oeste, Tom Maior, fundada em 1973 e na época com sede e ensaios realizados na Rua Oscar Freire, justamente onde hoje encontra-se a estação de Metrô que leva o nome do bairro, onde existiu a Feira Moderna até meados de 1976 quando foi construída a Avenida Paulo VI.

Moradores e ex-moradores[editar | editar código-fonte]

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Avenida Pompéia e os sobrados e edifícios do bairro.

Ainda hoje, o bairro é lembrado e caracterizado pelas diversas antenas de transmissão cortando sua paisagem, composta também por muitas árvores e ruas sinuosas e inclinadas, além de casas de alto-padrão, vielas grafitadas, prédios de poucos andares - característicos da década de 1950, casinhas geminadas e pequenas vilas. É classificado pelo CRECI como "Zona de Valor B", assim como: Brooklin, Alto da Lapa e Vila Madalena.[2]

No bairro, há grandes exemplares da arquitetura moderna paulista, como o Edifício Jaraguá, de autoria de Paulo Mendes da Rocha, o Spazio 2222, de Décio Tozzi, e residências de Vilanova Artigas.

O Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima é muito procurado pela colônia portuguesa, notadamente no mês de maio. Nele foi gravada a última cena da novela Éramos Seis, da autoria da escritora Maria José Dupré, pelo SBT.[1]

Em virtude deste aparato arquitetônico o Sumaré é tombado pelo CONDEPHAAT, e com isso sua área está preservada da verticalização e de mudanças no traçado das ruas, mantendo as características originais do mesmo.[3] [4] A população do Sumaré é bairrista, fato comprovado no ano de 2003, quando a mesma impediu a construção de um prédio de oito andares nos territórios do bairro.[5]

Encontram-se no bairro as sedes da Pró-TV[1] , Ajato[1] , ESPN Brasil[6] e Abril Radiodifusão, situada no mesmo prédio da extinta TV Tupi.[7] Apresenta também uma quantidade considerável de antenas de transmissão de emissoras nacionais, exemplos das torres: Cultura, Bruxelas da Rede TV!, Victor Civita do Grupo Spring e Assis Chateaubriand do SBT localizada no Estúdio S.[1] Este estúdio é a base operacional de transporte da rede de Sílvio Santos, sendo alugado também pela ESPN Brasil.

Suas vias principais são Rua Heitor Penteado, Rua Apinagés, Avenida Sumaré, Avenida Doutor Arnaldo e Avenida Professor Alfonso Bovero, por onde circulam linhas de ônibus para as zonas Oeste, Sul e Norte de São Paulo. Além disso, o bairro é servido por duas estações de metrô da Linha 2 - Verde: Estação Sumaré e Estação Vila Madalena.

Referências



Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.