Academia Paulista de Letras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Academia Paulista de Letras é uma instituição fundada em 27 de novembro de 1909 por Joaquim José de Carvalho, que foi o seu secretário-geral e primeiro titular da cadeira nº 4. Conta com quarenta membros efetivos que só podem ser brasileiros que moram no estado de São Paulo com obras literárias ou científicas publicadas e de reconhecido valor, ou que sejam personalidades de grande expressão na vida cultural do estado.

Fica no Largo do Arouche e usa como símbolo a "rosa de cinco pétalas", a eglantina.

O Papa Bento XVI foi nomeado mais um membro dos da Academia ("honoris causa") durante sua visita a São Paulo em maio de 2007. Título entregue pelos acadêmicos Ives Gandra da Silva Martins e Antônio Ermírio de Moraes, junto com outros[1] .

Acadêmicos[editar | editar código-fonte]

Membros fundadores em 1909 e primeiros titulares[editar | editar código-fonte]

  1. Brasilio Machado
  2. Dino Bueno
  3. José Mindlin
  4. Luís Pereira Barreto
  5. Joaquim José de Carvalho
  6. Ulisses Paranhos
  7. João Vampré
  8. Milton Vargas
  9. Freitas Guimarães
  10. Prisciliana de Almeida
  11. Venceslau de Queirós
  12. Eduardo A. R. Guimarães
  13. Mons. Francisco de Paula Rodrigues
  14. Alberto Seabra
  15. Erasmo Braga
  16. Martim Francisco Filho
  17. Alberto Faria
  18. Carlos de Campos
  19. Silvio de Almeida
  20. Benedito Otavio
  21. Claudio de Souza
  22. Reinaldo Porchat
  23. Almeida Nogueira
  24. Estevam de Almeida
  25. Monsenhor Manfredo Leite
  26. Carlos Augusto Ferreira
  27. Antônio de Oliveira
  28. P. Gomes Cardim
  29. Gama Cerqueira
  30. Rubião Meira
  31. Valdomiro Silveira
  32. Eugênio Egas
  33. Hipólito da Silva
  34. Ezequiel Ramos Júnior
  35. Amadeu Amaral
  36. Basílio de Magalhães
  37. José Vicente Sobrinho
  38. Raul Soares de Moura
  39. Rafael Correia
  40. Adolfo Pinto
  41. Pedro Manuel de Toledo
  42. José Feliciano

Membros atuais[editar | editar código-fonte]

  1. José Cretella Júnior
  2. Miguel Reale Júnior
  3. Júlio Medaglia
  4. Célio Debes
  5. Gabriel Chalita
  6. Luiz Carlos Lisboa
  7. Anna Maria Martins
  8. Juca de Oliveira
  9. Ada Pellegrini Grinover
  10. Paulo Nogueira Neto
  11. Eros Grau
  12. Paulo Nathanael Pereira de Souza
  13. Myriam Ellis
  14. Walcyr Carrasco[2]
  15. José Gregori
  16. Bolívar Lamounier
  17. Massaud Moisés
  18. Jorge Caldeira
  19. Erwin Theodor Rosenthal
  20. Renata Pallotini
  21. Paulo José da Costa Júnior
  22. Inezita Barroso[3]
  23. Antônio Ermírio de Moraes
  24. Mauricio de Sousa
  25. José Goldemberg
  26. José Fernando Mafra Carbonieri
  27. Fábio Lucas
  28. Lygia Fagundes Telles
  29. José Pastore
  30. Raul Cutait
  31. Ives Gandra Martins
  32. Antônio Penteado Mendonça
  33. Francisco Marins
  34. Tércio Sampaio Ferraz Júnior
  35. Paulo Bomfim
  36. Dom Fernando Figueiredo
  37. Ignácio de Loyola Brandão
  38. Ruth Rocha[4]
  39. Benedito Lima de Toledo
  40. José Renato Nalini

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. O Estado de São Paulo
  2. Walcyr Carrasco passa a ocupar uma cadeira na Academia Paulista de Letras ("Contigo", 23/08/2008)
  3. Aos 89, Inezita Barroso é eleita para a Academia Paulista de Letras (¨Folha de São Paulo¨, 02/11/2014)
  4. Ruth Rocha é imortal da Academia Paulista ("O Estado de S.Paulo", 26/10/2007)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre academias é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.