Regente Feijó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Regente Feijó
"Cidade do Poeta e Pérola da Alta Sorocabana"
Bandeira de Regente Feijó
Brasão de Regente Feijó
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 28 de junho
Fundação 1922 (91–92 anos)
Gentílico regentense
Lema Paulista por mercê de Deus
Prefeito(a) Marco Rocha (PTB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Regente Feijó
Localização de Regente Feijó em São Paulo
Regente Feijó está localizado em: Brasil
Regente Feijó
Localização de Regente Feijó no Brasil
22° 13' 15" S 51° 18' 10" O22° 13' 15" S 51° 18' 10" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Presidente Prudente IBGE/2008[1]
Microrregião Presidente Prudente IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Indiana, Martinópolis, Presidente Prudente, Anhumas e Taciba[2]
Distância até a capital 547 km[3]
Características geográficas
Área 265,087 km² [4]
População 18 496 hab. (SP: 257°) –  Censo IBGE/2010[5]
Densidade 69,77 hab./km²
Altitude 504 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,797 alto PNUD/2000[6]
PIB R$ 248 179,582 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 14 044,46 IBGE/2008[7]
Página oficial

Regente Feijó é um município brasileiro do estado de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

A história do município paulista de Regente Feijó está intimamente ligada à Estrada de Ferro Sorocabana, que inaugurou sua estação em Memória (nome primitivo do lugar, em alusão ao ribeirão Memória) em 1919, e possui como principais fundadores: Capitão Francisco Witaker, Augusto Vieira, Antônio Vieira e Joaquim Lúcio Fortunato.

A fundação do município deu-se em 1922 (91–92 anos) quando a Companhia São Paulo-Mato Grosso, com a liderança de Francisco Witaker, separou uma gleba de 10 alqueires, dividiu-as e vendeu-as, formando o Patrimônio Memória, justamente onde localizava-se um pouso de descanso e alimentação para peões e boiadas transportadas do Mato Grosso. Em 1925, o vilarejo, que até então possuía 30 casas, foi elevado a Distrito de Paz de Presidente Prudente. A emancipação político-administrativa deu-se em 28 de junho de 1935 por decreto do então governador Armando de Salles Oliveira e o Coronel Augusto César Pires foi nomeado o primeiro prefeito. É assim batizado em homenagem a Diogo Feijó, primeiro regente uno do Império do Brasil.

Após a criação do município de Regente Feijó, houve a incorporação do distrito de Espigão, antiga Mandaguari (1948) e os desmembramentos dos seguintes distritos que obtiveram emancipação política: Martinópolis, antiga José Teodoro (1938); Indiana (1948); Caiabu (1953) e Taciba, antiga Formiga (1953).

Ex-prefeitos[editar | editar código-fonte]

Pontos de destaque[editar | editar código-fonte]

  • Fonte Luminosa
  • Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida
  • Praça Luiz Buzinari
  • Praça dos Pioneiros
  • Anfiteatro Municipal
  • Centro Esportivo Zé do Prato
  • Igreja São Braz
Fonte Luminosa.
Anfiteatro e Prefeitura Municipal.


Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 22º13'17" sul e a uma longitude 51º18'10" oeste, estando a uma altitude de 504 metros. Sua população estimada em 2004 era de 18.042 habitantes. Possui uma área de 265,087 km².

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 16.998

  • Urbana: 15.266
  • Rural: 1.732
  • Homens: 8.504
  • Mulheres: 8.494

Densidade demográfica (hab./km²): 64,12

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 12,17

Expectativa de vida (anos): 73,32

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,00

Taxa de alfabetização: 88,98%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,797

  • IDH-M Renda: 0,722
  • IDH-M Longevidade: 0,805
  • IDH-M Educação: 0,865

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. Título não preenchido, favor adicionar.
  3. Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Página visitada em 27 de janeiro de 2011.
  4. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  5. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  6. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]