Couto de Magalhães

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
General Couto de Magalhães Exército Brasileiro
Couto de Magalhães por Almeida Júnior (1888).
53.º Presidente da Província de São Paulo
Período de governo 10 de junho de 1889 até
16 de novembro de 1889
Antecessor(a) Antônio Pinheiro de Ulhoa Cintra
Sucessor(a) Junta governativa paulista de 1889
Presidente da Província de Mato Grosso
Período de governo 2 de fevereiro de 1867 até
13 de abril de 1868
Antecessor(a) Albano de Sousa Osório
Sucessor(a) João Batista de Oliveira
Presidente da Província do Pará
Período de governo julho de 1864 até
8 de maio de 1866
Antecessor(a) João Maria de Morais
Sucessor(a) Antônio Lacerda de Chermont
Presidente da Província de Goiás
Período de governo 8 de janeiro de 1863 até
5 de abril de 1864
Antecessor(a) João Bonifácio Gomes de Siqueira
Sucessor(a) João Bonifácio Gomes de Siqueira
Vida
Nascimento 1 de novembro de 1837
Diamantina, MG
Morte 14 de outubro de 1898 (60 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Dados pessoais
Partido Partido Liberal[1]
Religião Católico
Profissão Militar, escritor

José Vieira Couto de Magalhães (Diamantina, 1 de novembro de 1837Rio de Janeiro, 14 de setembro de 1898) foi um político, militar, escritor e folclorista brasileiro.

Iniciou os estudos no Seminário de Mariana. Estudou matemática na Academia Militar do Rio de Janeiro e freqüentou o curso de Artilharia de Campanha em Londres. Bacharelou-se pela Faculdade de Direito de São Paulo, em 1859, doutorando-se em direito em 1860.

Couto de Magalhães conhecia bem o interior do Brasil e foi o iniciador da navegação a vapor no Planalto Central. Foi conselheiro do Estado e deputado por Goiás e Mato Grosso. Foi presidente das províncias de Goiás, de 8 de janeiro de 1863 a 5 de abril de 1864, Pará, de 29 de julho de 1864 a 8 de maio de 1866, Mato Grosso, de 2 de fevereiro de 1867 a 13 de abril de 1868, e São Paulo, de 10 de junho a 16 de novembro de 1889, presidência que ocupava quando foi proclamada a república. Preso e enviado ao Rio de Janeiro, foi liberado em reconhecimento da sua enorme cultura e ações em pról do desbravamento dos sertões brasileiros.

Homem inteligente, falava francês, inglês, alemão, italiano, tupi e numerosos dialetos indígenas. Foi quem iniciou os estudos folclóricos no Brasil, publicando O selvagem (1876) e Ensaios de antropologia (1894), entre outros.

Fundou em 1885 o primeiro observatório astronômico do estado de São Paulo, na sua chácara em Ponte Grande, às margens do rio Tietê.

É o patrono nas seguintes Academias de Letras

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Viagem ao rio Araguaia (1863)
  • O selvagem (1876)
  • Ensaios de antropologia (1894)

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. Sobre Couto de Magalhães
  2. Relatório com que o presidente da província de Goiás, o exmo. sr. dr. José Vieira Couto de Magalhães, entregou a administração da mesma ao exmo. sr. dr. João Bonifácio Gomes de Siqueira
  3. Obras de Couto de Magalhães na Biblioteca Digital Curt Nimuendaju
Precedido por
João Bonifácio Gomes de Siqueira
Presidente da província de Goiás
18631864
Sucedido por
João Bonifácio Gomes de Siqueira
Precedido por
João Maria de Morais
Presidente da província do Pará
18641866
Sucedido por
Antônio Lacerda de Chermont
Precedido por
Albano de Sousa Osório
Presidente da província de Mato Grosso
18671868
Sucedido por
João Batista de Oliveira
Precedido por
Antônio Pinheiro de Ulhoa Cintra
Presidente da província de São Paulo
1889
Sucedido por
Junta governativa paulista de 1889
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.