Teofilacto de Ácrida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Teofilacto de Ácrida
Teofilacto de Ácrida
Nascimento ca. 1055 em Euripo (?)
Veneração por Igreja Ortodoxa
Festa litúrgica 31 de dezembro
Gloriole.svg Portal dos Santos

Teofilacto Hephaistos' (em grego: Θεοφύλακτος Ηφαιστος; em búlgaro: Теофилакт Охридски; 1055 - 1107), também conhecido como Teofilacto de Ácrida, Teofilacto da Bulgária ou Teofilacto de Ohrid, foi um arcebispo grego de Ácrida (atual Ohrid) e um comentarista bíblico.

Vida[editar | editar código-fonte]

Teofilacto nasceu provavelmente em Euripo, na Eubeia, por volta da metade do século XI. Se tornou um diácono em Constantinopla e pupilo de Miguel Pselo e conquistou grande reputação como estudioso, tornando-se tutor de Constantino Ducas, filho do imperador bizantino Miguel VII Ducas, para quem escreveu "A Educação de Príncipes".[1] [2] [3] [4] Por volta de 1078, foi para a Bulgária para se tornar o arcebispo de Ácrida. Era uma das cidades principais da Bulgária, conquistada ao Império Bizantino sessenta anos antes. Na posição de arcebispo de um território conquistado na fronteira com o Império Bizantino, ele levou adiante seus deveres pastorais pelos próximos vinte anos, com uma postura enérgica e precisa. Mesmo sendo um bizantino (grego) de criação e aparência, foi um diligente pastor da recém-nascida Igreja da Bulgária, defendendo seus interesses e autonomia (do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla). Agiu com vigor para proteger sua arquidiocese dos ensinamentos considerados heréticos dos paulicianos e bogomilos.[5]

Em suas cartas, ele reclama muito sobre as maneiras rudes dos búlgaros e tentou se livrar do cargo, sem contudo ter sucesso. "Suas cartas de Ácrida são uma fonte valiosa para o história política, econômica e social da Bulgária e da prosopografia bizantina. Elas estão repletas de reclamações convencionais sobre o círculo "bárbaro" à volta de Teofilacto, ainda que a realidade fosse a de que ele estava profundamente envolvido no desenvolvimento cultural local, produzindo um encomium de quinze mártires de Tiberiópolis e uma Vita de Clemente de Ácrida."[4] Ele também relatou (em suas cartas) como as constantes guerras do Império Bizantino contra os pechenegues, os magiares e os normandos haviam destruído boa parte do alimento da região e provocado a fuga de muitos da cidade para as florestas da região. Ele morreu depois de 1107.[6] As Igrejas Sérvia, Búlgara, Grega e Russa o consideram como santo e comemoram sua festa em 31 de dezembro.[7]

Obras[editar | editar código-fonte]

Seus comentários sobre os Evangelhos, Atos dos Apóstolos, as Epístolas Paulinas e os profetas menores estão fundamentados nos de Crisóstomo, mas merecem o considerável espaço que mantém na literatura exegética por suas sobriedade, acuracidade e sensatez. Suas outras obras que chegaram até nós incluem 530 cartas e várias homilias e orações, uma Vita de Clemente de Ácrida e outras obras menores. Uma edição com quase todas as suas obras, em grego e latim, com uma dissertação preliminar, foi publicada por JFBM de Rossi (4 vols. fol., Veneza) e é esta edição que foi republicada por Migne na Patrologia Graeca (PG CXXIII - CXVI, 1869).

No início do século XVI, seus comentários sobre as escrituras tiveram uma importante influência sobre o Novum Testamentum e as Annotationes de Erasmo de Roterdão, embora Erasmo tenha erroneamente se referido a ele como Vulgarius nas primeiras edições de seu Novo Testamento. Traduções contemporâneas dos comentários de Teofilacto estão disponíveis em grego moderno, russo, sérvio, búlgaro e romeno, refletindo a ampla influência que sua obra exegética teve na Igreja Ortodoxa e além dela. Um bispo de Ohrid já nos tempos modernos, Nikolai Velimirovic, escreveu: "Os comentários de Teofilacto sobre os quatro evangelhos e outros livros do Novo Testamento [... ] são as melhores obras do tipo depois de São João Crisóstomo e são lidas até hoje, com benefícios para os leitores". A primeira tradução para uma língua europeia moderna e ocidental foi para o inglês, dos comentários de Teofilacto sobre o Novo Testamento (The Explanation of the Gospels).[8]

Referências

  1. Lawler 2004, p. 286
  2. Kolbaba 2000, p. 185
  3. Blessed Theophylact - Archbishop of Ochrid and Bulgaria (em inglês). Página visitada em 8 de outubro de 2013.
  4. a b Kazhdan 1991, p. 2068
  5. Obolensky 1988, p. 34-82
  6. THEOPHYLACT (d. c.. 1110) (em inglês). Página visitada em 8 de outubro de 2013.
  7. Velimirovic 1985, p. 393
  8. Chrysostom Press (em inglês). Página visitada em 8 de outubro de 2013.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Kazhdan, Alexander Petrovich. The Oxford Dictionary of Byzantium (em inglês). Nova Iorque e Oxford: Oxford University Press, 1991. ISBN 0-19-504652-8
  • Kolbaba, Tia M.. The Byzantine Lists: Errors of the Latins. [S.l.]: University of Illinois Press, 2000. ISBN 025202558X
  • Lawler, Jennifer. Encyclopedia of the Byzantine Empire. Universidade da Califórnia: McFarland & Company Incorporated Pub, 2004. ISBN 0786415207
  • Velimirovic, Nikolai. The Prologue From Ochrid. Inglaterra: Lazarica Press, Birmingham, 1985. vol. 4.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]