Teoria microbiana das doenças

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Robert Koch descobriu que a bactéria Bacillus anthracis estava na origem do antraz, uma doença altamente contagiosa causada por um microorganismo.

A teoria microbiana das doenças é uma teoria científica que sustenta que os microorganismos são a causa de inúmeras doenças. Embora bastante controversa quando inicialmente proposta, a teoria microbiana foi confirmada no final do século XIX e é hoje parte integrante da microbiologia clínica e medicina modernas, estando na origem de inovações importantes como os antibióticos e hábitos de higiene.

História[editar | editar código-fonte]

A visão histórica defendia que uma patologia tinha origem na geração espontânea, e não como uma consequência da acção de micoorganismos que crescem no corpo hospedeiro e se multiplicam através da reprodução.[1] Já em 1546 Girolamo Fracastoro propôs que as doenças epidémicas seriam causadas por entidades semelhantes a sementes, capazes de transmitir infecções por contacto directo ou indirecto, ou mesmo sem qualquer contacto e a longas distâncias. A primeira referência escrita a uma teoria microbiana das doenças é atribuída ao Italiano Girolamo Fracastoro, com base nas suas observações nas doenças dos bichos-da-seda. Em 1835, atribuiu inequivocamente a causa da morte dos insectos a um agente vivo e contagioso, visível a olho nú sob a forma de esporos, que seria posteriormente designado por Beauveria bassiana.[2]


Os microorganismos foram observados directamente pela primeira vez por Anton van Leeuwenhoek, considerado o pai da microbiologia. Com base no seu trabalho, o médico Nicolas Andry defendeu em 1700 que os microorganismos a que chamava vermes eram responsávéis pela varíola, entre outras doenças.[3]

Robert Koch foi o primeiro investigador a criar uma série de exames destinados a confirmar a teoria microbiana das doenças. Em 1890 publicou os Postulados de Koch, com base no seu trabalho de demonstração da bactéria Bacillus anthracis como causa do antraz. Estes postulados são ainda hoje usados para determinar se uma nova doença tem causa em microorganismos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Madigan M, Martinko J (editors).. Brock Biology of Microorganisms. 11th ed. ed. [S.l.]: Prentice Hall, 2005. ISBN 0131443291
  2. Martins, Roberto. Contágio: história da prevenção das doenças transmissíveis. São Paulo: Moderna, 1997.
  3. (1888) "The History of the Germ Theory". The British Medical Journal 1 (1415).


Ligações externas[editar | editar código-fonte]