The Kennedys

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde Agosto de 2011).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.


The Kennedys
Informação geral
Formato Minissérie
Gênero Drama
Duração 1 hora
País de origem  Estados Unidos
Idioma original Inglês
Produção
Diretor(es) Jon Cassar
Produtor(es) Joel Surnow
Elenco Greg Kinnear
Katie Holmes
Barry Pepper
Tom Wilkinson
Exibição
Emissora de
televisão original
Estados Unidos ReelzChannel
Transmissão original Estados Unidos 3 de abril de 2011
Reino Unido 7 de abril de 2011
Canadá 10 de abril de 2011
República da Irlanda 21 de maio de 2011
Portugal 22 de maio de 2011
Brasil 3 de julho de 2011
França 5 de julho de 2011
N.º de temporadas 1
N.º de episódios 8

The Kennedys é uma minissérie televisiva vencedora do Emmy que conta a história da família Kennedy com seus triunfos e tragédias pela qual passaram. Greg Kinnear, Katie Holmes, Barry Pepper e Tom Wilkinson dão vida aos personagens principais. Foi dirigida por Jon Cassar e tem produção de Joel Surnow.

Originalmente The Kennedys seria transmitida no Canadá e nos Estados Unidos pelo canal de televisão History, porém, em janeiro de 2011 o canal anunciou que não iria mostrar a série. Depois de muito impasse e várias recusas de outras emissoras, os direitos de transmitir a minissérie acabaram sendo comprados pelo canal ReelzChannel, que passou os dois primeiros episódios em 3 de abril de 2011. A minissérie estreou no Reino Unido em 7 de abril de 2011, no Canadá em 10 de abril, Irlanda em 21 de maio, em Portugal no dia 22 de maio, no Brasil em 3 de julho e, em 5 de julho estreou na França.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Críticas antecipadas[editar | editar código-fonte]

The Kennedys foi alvo de inúmeras críticas antes mesmo de sua estreia, por parte de historiadores que acusavam a minissérie de imprecisão histórica e por mostrar a família de uma maneira pouco elogiosa. Em 16 de fevereiro de 2010, o cineasta Robert Greenwald registrou o site Stop Kennedy Smears em resposta as críticas que a produção vinha recebendo.

Em 24 de fevereiro de 2010, Dave Itzroff do The New York Times, relatou que o historiador David Talbot, autor do livro usado como fonte de material para a minissérie, aderiu às críticas preventivas a minissérie. Ted Sorense, ex-redator dos discursos de JFK, descreveu o script da minissérie como um “assassinato do caráter”. Na época de toda essa crítica a minissérie ainda não havia sequer sido lançada.

Joel Surnow, abordou as críticas recebidas pela minissérie, em uma entrevista para o The Los Angeles Times em 17 de junho de 2010, dizendo: “eles olharam para os primeiros rascunhos do script, que nem sequer lembram o projeto final. Era muito cedo para que se pronunciassem sobre ele”.

Produção[editar | editar código-fonte]

A minissérie foi filmada em Toronto, entre junho e setembro de 2010, e foi produzida pelo estúdio canadense Muse Entertainmente Enterprises e pela empresa de produção de Joel Surnow. The Kennedys é o primeiro roteiro de uma série original feito para o canal History. O orçamento de The Kennedys foi de 25 milhões de dólares, embora relatos mais tarde descrevessem-na como uma produção de 30 milhões. A minissérie foi escrita principalmente por Steve Kronish, que já trabalhou anteriormente com Surnow e Cassar.

Steven M. Gillon, autor do livro O Assassinato de Kennedy - 24 horas depois, e Roberto Dallek, foram os historiadores que apoiaram a produção.

Transmissão e incertezas[editar | editar código-fonte]

Em 7 de janeiro de 2011, o canal de televisão History anunciou o cancelamento da estreia de The Kennedys nos Estados Unidos.

O diretor Jon Cassar disse em um encontro no Television Critics Association em Los Angeles, que ele acredita que a razão pela qual a minissérie não foi mostrada pelo History e por outras emissoras nos Estados Unidos, é porque pessoas poderosas dentro dos Estados Unidos ligadas à família Kennedy, usaram sua influência política e outros meios para impedir que a minissérie fosse ao ar.

Joel Surnow, produtor executivo da série, atribuiu o cancelamento à pressão exercida pelos Kennedys no conselho de proprietários do History. Surnow declarou: “… Foi o que aconteceu em nível de diretoria, e eu não quero mencionar ninguém pelo nome. É muito simples dizer que certos membros do conselho são amigos da família Kennedy”. Outros relatos apontaram membros da família Kennedy, como Maria Shriver e Caroline Kennedy como as líderes da campanha pelo cancelamento da transmissão da série.

Em 14 de janeiro de 2011, foi noticiado que DirecTV’s e A Rede 101 estavam considerando adquirir a minissérie. Entretanto, em 1 de fevereiro de 2011, ReelzChannel adquiriu os direitos de transmissão nos Estados Unidos de The Kennedys e anunciou sua intenção de mostrar a minissérie entre 3 de abril e 10 de abril de 2011.

Mediaweek informou que os donos da ReelzChannel, assumiram um grande risco ao comprar os direitos de transmissão da minissérie, pagando cerca de US$ 7 milhões de dólares pelos direitos de transmissão e gastando mais US$ 10 milhões em publicidade.

Em 16 de dezembro de 2010, a Shaw Média anunciou que haveria uma sessão especial da minissérie em 3 de março de 2011 em Toronto. A Canadian Broadcasting Corporation informou em 13 de janeiro de 2011 que a Shaw Media mostraria The Kennedys em março de 2011, mas que estavam incertos sobre se transmitiriam no canal History ou em outro canal como o Showcase. A minissérie tinha sido programada para passar no canal History durante duas horas seguidas a partir das 21:00 h, com início em 6 de março de 2011 e continuaria pelos três domingos subsequentes. John Doyle, crítico de televisão do The Globe and Mail, informou em 26 de janeiro de 2011, que The Kennedys seria mostrada no canal History, a partir de 9 de março de 2011. Seis dias depois, foi relatado que Stan Hubbard, diretor executivo da ReelzChannel, afirmou que parte de seu acordo de aquisição dos direitos de transmissão nos Estados Unidos, é que esses direitos seriam exclusivos, o que acabou forçando um atraso na estreia da série, que estava programada inicialmente para ir ao ar em março de 2011 no canal History no Canadá. Em 1 de fevereiro a Shaw Media, anunciou seu calendário revisto, em que a exibição da minissérie seria no canal de televisão History, em quatro segmentos de duas horas, com início em 10 de abril de 2011.

No Reino Unido, o canal History do Reino Unido, programou a estreia da minissérie em 7 de abril de 2011. Tom Davidson, diretor da AETN-UK afirmou no site do History: “O atraso na estreia britânica de The Kennedys é um grande golpe para o canal History, pois a série está trazendo à vida a história da família mais emblemática da América, é um drama ousado e épico que conta a história da dinastia Kennedy e estamos muito satisfeitos que os telespectadores do Reino Unido vão começar a vê-la”.

Em 17 de junho de 2011, a BBC, também no Reino Unido, começou a mostrar a série com Definição Standard e HD.

A série começou a ser transmitida na Sérvia pela B92, em 6 de maio de 2011, na Irlanda pela RTE One, em 21 de maio de 2011, e na Austrália pela ABC1, em 22 de maio de 2011.

Recepção crítica[editar | editar código-fonte]

As opiniões da crítica dos Estados Unidos variaram bastante, e a minissérie recebeu uma pontuação média entre críticas mistas ou médias.

Alessandra Stanley do The New York Times escreveu uma revisão conjunta de The Kennedys e The Borgias, que estreou no mesmo dia. Stanley achou a minissérie bem feita embora às vezes extravagante, mas que o seu ponto mais forte é Tom Wilkinson como Joseph Kennedy, a quem ela descreve, em conjunto com Rodrigo Borgia, como "O implacável, tirânico (que) se agarra no poder, promovendo seus filhos para estabelecer seu governo e seu legado”.

Hank Stuever do Washington Post escreveu sobre a minissérie: “tudo acaba por ser tão inofensivo quanto um jogo de bonecas Kennedy”, “e os assassinatos foram retratados muito gentilmente, considerando como foram violentos”. Stuever descreve o roteiro como desajeitado e a minissérie mal feita, e adverte os que apreciam a história que eles podem se sentir perturbados assistindo a história "através de Surnow e o seu olhar mesquinho”.

John Doyle da The Globe and Mail escreveu, "é horrível, assustadoramente tediosa". "A série (feita no Canadá) parece barata e se aproxima do nível de uma novela da tarde." Doyle criticou a escolha do elenco predominantemente canadense e que esperam receber um impulso da carreira, mas que a minissérie foi "impulsionada por uma controvérsia falsa" e acredita que "o Canal History Americano caiu porque é uma televisão ruim."

Audiência nos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Episódio(s) Título(s) Data Espectadores
(Original)
Espectadores
(Original + extras)
1 & 2 A Father's Great Expectations
Shared Victories, Private Struggles
3 de abril de 2011 1,300,000[1] 1,900,000[2]
3 Failed Invasion, Failed Fidelity 5 de abril de 2011 841,000[3] 1,773,000
4 Broken Promises and Deadly Barriers 6 de abril de 2011 806,250[4] 1,716,915
5 Moral Issues and Inner Turmoil 7 de abril de 2011 737,237[5] 1,600,000
6 On the Brink of War 8 de abril de 2011 TBA TBA
7 & 8 The Countdown to Tragedy
The Aftermath: A Family's Curse of Misfortune and Heartbreak
10 de abril de 2011 1,400,000[6] 1,900,000

Audiência no Reino Unido[editar | editar código-fonte]

A série foi exibida no Reino Unido pelo History Channel em abril de 2011, e em junho de 2011, na BBC 2 e BBC HD. A resposta do público em geral, foi positiva.

Episódio Data Espectadores
Episódio 1 17 de junho de 2011 2,64 milhões[7]
Episódio 2 17 de junho de 2011 2,36 milhões[7]
Episódio 3 24 de junho de 2011 1,35 milhões[8]
Episódio 4 1 de julho de 2011 1,32 milhões[9]
Episódio 5 1 de julho de 2011 1,25 milhões[9]
Episódio 6 8 de julho de 2011 1,41 milhões[10]
Episódio 7 8 de julho de 2011 1,41 milhões[10]
Episódio 8 15 de julho de 2011 988 mil[11]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Associação Categoria Resultado
2011 63º Emmy Awards Melhor cabelo de Minissérie ou Filme Venceu
Melhor maquiagem em Minissérie ou Filme[12] Venceu
Melhor mixagem de som em Minissérie ou Filme[12] Venceu
Melhor Minissérie[12] Indicado
Melhor ator em Minissérie ou Filme — Greg Kinnear[12] Indicado
Melhor ator em Minissérie ou Filme — Barry Pepper[12] Venceu
Melhor ator coadjuvante em Minissérie ou Filme — Tom Wilkinson[12] Indicado

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

The Kennedys está programado para ser lançado em DVD e Blu-Ray no Reino Unido em 18 de julho de 2011. Será lançado nos Estados Unidos e Canadá em 20 de setembro de 2011.

Referências

  1. Seidman, Robert (4 de abril de 2011). Updated - Premiere of "The Kennedys" (em inglês + Encore Averages 1.9 Million on Reelz Channel, Sets Network Ratings Records) TV By The Numbers. Página visitada em 9 de abril de 2011.
  2. 'The Kennedys' posts record ratings on Reelz (em inglês) Inside TV. Entertainment Weekly (4 de abril de 2001). Página visitada em 4 de abril de 2011.
  3. Seidman, Robert (6 de abril de 2011). "The Kennedys" Third Episode Averages 841,000 Viewers for Reelz in First Telecast (em inglês) TV By The Numbers. Página visitada em 9 de abril de 2011.
  4. Predefinição:Cite pressrelease
  5. [1] (em inglês) broadcastingcable.com.
  6. [2] (em inglês) Broadcastingcable.com.
  7. a b [3] (em inglês) Digitalspy.co.uk.
  8. [4] (em inglês) Digitalspy.co.uk.
  9. a b [5] (em inglês) Digitalspy.co.uk.
  10. a b [6] (em inglês) Digitalspy.co.uk.
  11. [7] (em inglês) Digitalspy.co.uk.
  12. a b c d e f 2011 Primetime Emmy Award nominations (em inglês) USA Today. Página visitada em 14 de julho de 2011.
Ícone de esboço Este artigo sobre séries de televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.