Tratado de Bucareste (1812)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O sudeste europeu após o tratado de Bucareste: a Bessarábia em verde claro

O tratado de Bucareste foi um tratado internacional firmado em 28 de maio de 1812, em Bucareste, entre o Império Otomano e o Império Russo, e que pôs fim à guerra russo-turca (1806-1812)1 .

O tratado foi firmado pelo comandante chefe das tropas russas, Mikhail Kutuzov, sendo ratificado pelo czar Alexandre I somente na véspera da invasão da Rússia por Napoleão. O tratado estabelecia que o rio Prut seria a fronteira natural entre os dois impérios, de modo que a Bessarábia passava a ser parte do Império Russo. Além disso, a Rússia obteve direitos comerciais sobre o rio Danúbio. O tratado também estabeleceu uma trégua com os rebeldes sérvios, concedendo autonomia à Sérvia. Na Transcaucásia, os otomanos renunciaram às suas aspirações sobre a maior parte da Geórgia ocidental, mas mantiveram o controle sobre Akhalkalaki, Poti e Anapa, que haviam sido tomadas por tropas russo-georgianas durante a guerra. O principal objeto do pacto foi opor-se a Rússia ao ataque de Napoleão, de cujos preparativos tivera notícia, assim como das instruções dadas pela França a seu embaixador Andreossy para que procurasse intensificar as hostilidades entre a Rússia e a Turquia o mais possível para deixar esta última desguarnecida.

Referências

  1. Robarts, Andrew (2008). "Bucharest, Treaty of". Encyclopedia of the Ottoman Empire. Facts On File. ISBN 978-0-8160-6259-1 
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Rússia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.