Voo 77 da American Airlines

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Voo 77 da American Airlines
Esta imagem, divulgada pelo governo estadunidense mostra o momento do impacto do Voo 77 contra o Pentágono.
Sumário
Data 11 de setembro de 2001 (13 anos)
Causa Sequestro aéreo
Local  Estados Unidos
Pentágono, Washington, DC
Coordenadas 38° 52' 15.42" N 77° 3' 29.77" O
Origem Aeroporto Internacional Washington Dulles
Destino Aeroporto Internacional de Los Angeles
Passageiros 58
Tripulantes 6
Mortos 64
Sobreviventes 0
Aeronave
Modelo Boeing 757-223
Operador Estados Unidos American Airlines
Prefixo N644AA
Primeiro voo 1991

O Voo 77 da American Airlines foi o terceiro voo sequestrado nos ataques de 11 de setembro de 2001 aos Estados Unidos, e foi deliberadamente arremessado contra o Pentágono, sede do Departamento de Defesa do país. A aeronave, que fazia a ligação entre os aeroportos de Washington-Dulles e de Los Angeles, foi sequestrada por cinco jihadistas sauditas 35 minutos após a decolagem. Os sauditas entraram na cabine e obrigaram os passageiros a irem para a parte traseira da aeronave. Hani Hanjour, um dos sequestradores, assumiu o controle da aeronave como piloto. Escondido dos sequestradores, apenas um passageiro pode fazer uma ligação telefônica à sua família informando-os do acontecido.

A aeronave acabou se chocando contra o lado ocidental do Pentágono às 9h37min (UTC−5), ocasionando a morte de 64 pessoas a bordo (dois pilotos, quatro comissários de bordo e 58 passageiros) e de 125 pessoas no edifício. Foram testemunhas do ocorrido dezenas de pessoas, e poucos minutos depois os telejornais começaram a noticiar o impacto. Além disso, o impacto danificou uma grande parte do edifício e ocasionou um incêndio (o incêndio resultou no colapso parcial do Pentágono), que foi combatido pelos bombeiros durante vários dias. A parte destruída do edifício foi reconstruída em 2002, e os funcionários voltaram a ocupá-la em 15 de agosto do mesmo ano. No entanto, apesar de todos os testemunhos e evidências, ainda persistem as teorias que sustentam a ideia de que o Pentágono teria sido atingido por um míssil, e não uma aeronave.[1]

As 184 vítimas do ataque são lembradas no Memorial do Pentágono, ao lado do Pentágono. O memorial tem uma área de 1,93 hectares (19.300 ) e contém um banco de parque para cada uma das vítimas, organizados de acordo com o ano de nascimento de cada um, com idades que vão desde 3 anos (nascido em 1998) a 71 anos (nascido em 1930). A trajetória do voo 77 passou por onde hoje é o memorial. Foi aberto ao público em 11 de setembro de 2008.[2]

Os destroços da aeronave.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. ¿Fue un avión o un misil? (em espanhol) 20 minutos (17 de maio de 2006). Página visitada em 12 de outubro de 2012.
  2. The Pentagon Memorial (em inglês) Washington Headquarters Services. Página visitada em 12 de outubro de 2012.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Voo 77 da American Airlines
Ícone de esboço Este artigo sobre os ataques de 11 de setembro de 2001 é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.