À Flor do Mar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a curta-metragem de Ricardo Costa, veja À Flor do Mar (curta-metragem).
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde maio de 2015). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
À Flor do Mar
Portugal Portugal
1986 •  cor •  137 min 
Realização João César Monteiro
Produção Instituto Português de Cinema
Argumento João César Monteiro
Género drama, romance
Música trechos de Bach, Bellini, Mozart e Verdi
Figurino Mariana Meirelles
Distribuição Atalanta Filmes
Lançamento 21 de Junho de 1996
Idioma português

À Flor do Mar é um filme português, de 1986, dirigido por João César Monteiro.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Uma italiana (Laura) vive em Tavira após a morte do seu marido. No dia em que um dirigente palestiniano é assassinado no Algarve, numa reunião de partidos e organizações socialistas, Laura encontra na praia um homem ferido. Sem pensar duas vezes resolve ajudá-lo. A presença do desconhecido cria quase uma desordem sentimental na casa onde vive com as cunhadas Sara e Rosa. Laura trata do ferido, que diz chamar-se Robert Jordan, e esconde-o no estúdio do falecido marido, um pintor morto em circunstâncias estranhas. Entretanto, a casa é assaltada por um grupo de homens armados que procuram Jordan.

Enquadramento histórico[editar | editar código-fonte]

O enredo ficcional do filme entrelaça-se com um acontecimento real: o assassinato de um dirigente palestiniano da OLP, Issam Sartawi, morto num hotel em Albufeira onde participava num congresso da Internacional Socialista. O atentado foi reivindicado pela organização de Abu Nidal, uma facção extremista dentro da OLP. O atirador acabou por escapar às buscas policiais.

Ficha artística[editar | editar código-fonte]

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Realização – João César Monteiro
  • Assistente de realização - Pedro Ruivo
  • Produção - Monteiro & Gil
  • Fotografia – Acácio de Almeida
  • Direcção Artística - Teresa Mota e Vera Pinto
  • Som - Joaquim Pinto e Vasco Pimentel
  • Montagem – Manuela Viegas, Leonor Guterres e Marina Carvalho
  • Formato – 35 mm cor 35mm
  • Laboratório de imagem : Tóbis Portuguesa
  • Ante-estreia – Cinemateca Portuguesa, Lisboa, a 2 de outubro de 1986
  • Estreia – Lisboa, Coimbra e Braga, a 21 de junho de 1996

Festivais e projecções especiais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]