A Princesa Prometida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Princess Bride
A Princesa Prometida (PT/BR)
Pôster de divulgação.
 Estados Unidos
1987 •  cor •  87 min 
Direção Rob Reiner
Produção Rob Reiner
Andrew Scheinman
Norman Lear
Roteiro William Goldman
Baseado em William Goldman
Narração Peter Falk
Elenco Cary Elwes
Robin Wright Penn
Mandy Patinkin
Chris Sarandon
André the Giant
Fred Savage
Wallace Shawn
Billy Crystal
Gênero Aventura
Romance
Música Mark Knopfler
Cinematografia Adrian Biddle
Edição Robert Leighton
Companhia(s) produtora(s) ACT III Communications
Distribuição 20th Century Fox
Lançamento Estados Unidos 25 de setembro de 1987
Idioma Inglês
Orçamento US$ 16 milhões
Receita US$ 30.857.814[1]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

The Princess Bride (A Princesa Prometida[2][3]) é um filme estadunidense, dirigido por Rob Reiner, baseado no romance de 1973 de William Goldman, combinando aventura, comédia, romance e fantasia. O filme é anunciado como um clássico cult.[4] A Princesa Prometida inicialmente foi um sucesso razoável,[5] arrecadando 30,8 milhões de dólares nos Estados Unidos e no Canadá,[1] com um orçamento de produção de US$ 16 milhões.[6]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Narrativa moldura[editar | editar código-fonte]

História principal[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na narrativa moldura, um idoso lê o livro A Princesa Prometida para seu pequeno neto que está ligeiramente enfermo. As cenas da narrativa ocasionalmente interrompem a história principal, principalmente quando o neto fala para o avô pular as "partes de beijo".

Na história do livro, a jovem mulher aristocrática chamada Buttercup conhece um camponês no Condado de Florin chamado Westley que sempre atende seus pedidos com a frase "como desejar" ("as you wish"). Os dois se apaixonam mas Westley resolve partir em busca de fortuna para poder se casar com ela. Pouco tempo depois, Buttercup fica sabendo que o barco que Westley viajava fora atacado pelo sanguinário Pirata Roberts. Como o vilão é conhecido por não deixar sobreviventes, Buttercup pensa que Westley está morto e adoece em desespero. Cinco anos depois, Buttercup relutantemente concorda em se casar com o Príncipe Humperdinck, herdeiro do trono de Florin. Antes do casamento ela é raptada pelo trio de malfeitores formado por um chefão siciliano chamado Vizzini, um gigante chamado Fezzik e um mestre espadachim espanhol chamado Inigo Montoya. A intenção do rapto é fazer com que os habitantes de Florin acreditem que seus vizinhos de Guilder tenham sido os mandantes e com isso causar uma guerra entre os dois reinos. Mas os planos dos bandidos são atrapalhados quando surge um habilidoso guerreiro mascarado vestido de preto.

Produção[editar | editar código-fonte]

Foram feitas muitas tentativas de adaptar o romance para o cinema. Em 1973, a 20th Century Fox pagou a Goldman 500 mil dólares pelos direitos e elaborou um roteiro [7]. Richard Lester foi contratado para dirigir o filme que por pouco foi realizado, mas então o líder da produção da Fox foi despedido e o projeto sofreu um hiato. Goldman subsequentemente comprou de volta os direitos com seus próprios recursos [8]. O filme quase conseguiu financiamento por muitas vezes até que na década seguinte o ator Christopher Reeve mostrou interesse em interpretar Westley[9]—depois Rob Reiner conseguiu financiamento de Norman Lear[10].

O "Penhasco da Insanidade" é na verdade os Penhascos de Moher no Condado Clare na Irlanda

O filme teve locações em vários cenários naturais da Irlanda e Inglaterra:

Cary Elwes e Mandy Patinkin aprenderam esgrima com ambas as mãos para o filme (noticiou-se que gastavam todo o tempo livre durante as filmagens praticando com os instrutores de esgrima Bob Anderson e Peter Diamond, e entre si). Eles realmente realizaram todas as cenas de lutas com espadas, exceto as duas cambalhotas que foram feitas por dublês [12].

O popular lutador wrestler André o Gigante tinha se submetido a cirurgia nas costas antes das filmagens e, apesar do grande tamanho e força, não podia suportar o peso de Cary Elwes durante a cena de luta deles ou o de Robin Wright na cena do salto na parte final do filme. Na cena de luta, quando Elwes fingiu segurar André pelas costas, na verdade usava uma série de rampas colocadas embaixo das câmeras durante os close-ups. Para as tomadas abertas, um dublê substituiu André [13]. Quando ele aparentemente carregava Wright, na verdade ela estava suspensa por cabos [14].

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora original foi composta por Mark Knopfler, e distribuida pela Warner Bros. Records nos Estados Unidos e pela Vertigo Records internacionalmente em novembro de 1987. O disco contém a canção "Storybook Love", cantada por Willy DeVille e produzida por Mark Knopfler. Foi indicada ao Oscar de "Melhor Canção Original" [15].

Em comentários sonoros sobre o filme na edição especial de DVD, o diretor Rob Reiner afirmou que apenas Mark Knopfler do Dire Straits poderia criar uma trilha sonora que capturasse a natureza peculiar ainda que romântica do filme. Reiner era admirador de Knopfler mas não o conhecia antes desse trabalho. Ele enviou o roteiro na esperança de que Knopfler concordasse em musicar o filme. O músico concordou com uma condição: que em algum momento do filme Reiner incluísse um boné de beisebol do CV-43 (que tivesse modificado para ser lido "USS Ooral Sea OV-4B") como usara como Marty DiBergi em This Is Spinal Tap. Reiner não tinha como produzir o boné original, então incluiu um similar no quarto do neto. Knopfler mais tarde disse que estava brincando.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

O filme teve inicialmente um sucesso modesto [16] arrecadando 30.8 milhões de dólares nos Estados Unidos e Canadá [17] para um orçamento de 16 milhões de dólares [18].

Crítica[editar | editar código-fonte]

The Princess Bride recebeu críticas elogiosas. No Rotten Tomatoes, o filme conseguiu 97% de aprovação ("Certified Fresh"), baseado em 63 resenhas, com uma média de 8.3/10. O consenso do site foi: "Um delicioso conto de fadas pós-moderno, A Princesa Prometida é uma ágil e inteligente mistura de luta de espadas, romance e comédia que pega a velha história da donzela em perigo e transforma em algo novo "[19]. No Metacritic, o filme consegui a nota 77%, baseado em 20 críticas, apontando "resenhas geralmente favoráveis"[20].

Gene Siskel e Roger Ebert deram ao filme "dois polegares para cima" em seu programa de televisão [21]. Ebert também escreveu uma resenha impressa muito favorável em sua coluna no Chicago Sun-Times [22]. Richard Corliss da Revista Time disse que o filme era divertido para toda a família [23] e mais tarde, foi listado como um dos melhores de 1987 [24]. Janet Maslin do The New York Times elogiou o elenco e a doçura do filme [25].

Legado[editar | editar código-fonte]

The Princess Bride não teve um grande sucesso no lançamento, mas se tornou um cult classic após seu lançamento em vídeo. O filme é amplamente homenageado com eminentes citações [26][27].

Em 2000, os leitores da revista Total Film elegeram The Princess Bride como a 38ª maior comédia de todos os tempos. Em 2006, o roteiro de William Goldman foi selecionado por Writers Guild of America como o 84º melhor de todos os tempos; repetiu a classificação na atualização de 2013 [28]. O filme foi selecionado como o número 88 na lista da AFI - American Film Institute "AFI's 100 Years... 100 Passions" sobre as cem maiores histórias de amor de todos os tempos.

Listas do American Film Institute
  • AFI's 100 Years...100 Laughs – Indicado como melhor comédia [29]
  • AFI's 100 Years...100 Passions – No. 88
  • AFI's 100 Years...100 Movie Quotes - melhores citações:
    • "Hello. My name is Inigo Montoya. You killed my father; prepare to die!" (Tradução livre:"Olá. Meu nome é Inigo Montoya. Você matou meu pai; prepare-se para morrer!")– Indicado [30]
  • AFI's 10 Top 10 – Indicado a filme de fantasia [31]

Em dezembro de 2011, o diretor Jason Reitman apresentou uma leitura do roteiro de The Princess Bride no Museu de Artes de Los Angeles (LACMA), com Paul Rudd como Westley; Mindy Kaling como Buttercup; Patton Oswalt como Vizzini; Kevin Pollak como Max Miraculoso; Goran Visnjic como Inigo Montoya; Cary Elwes como Humperdinck; o diretor Rob Reiner como o avô; e Fred Savage reprisando seu papel de neto [32].

Em 2013, o diretor Ari Folman lançou uma animação/live action, The Congress, diretamente referenciando o filme, estrelando Robin Wright como a atriz clonada digitalmente.

Em 2015, uma coleção de ensaios sobre o filme e o romance foram publicados com o título The Princess Bride and Philosophy [33].

Referências

  1. a b «The Princess Bride». Box Office Mojo. Consultado em 8 de janeiro de 2012. 
  2. «A Princesa Prometida» (em português). Sapo. Consultado em 8 de janeiro de 2012. 
  3. «A Princesa Prometida (The Princess Bride)». Interfilmes. Consultado em 8 de janeiro de 2012. 
  4. «"The Princess Bride" becomes part of the Midnight Madness at the Rialto». Consultado em October 31, 2011. 
  5. Gray Streeter, Leslie (2007-12-09). «'The Princess Bride' Turns 20». The Palm Beach Post [S.l.: s.n.]  Texto "[w]as a modest hit[...]" ignorado (Ajuda)
  6. Clark, Mike (1987-09-25). «Reiner's 'Princess' is charming». USA Today [S.l.: s.n.] «Despite a $16 million budget, [...]» 
  7. Schlesinger to Direct West Work. Haber, Joyce. Los Angeles Times (1923-Atual) [Los Angeles, Calif] 19 de setembro de 1973: d12.
  8. Goldman, 2000 p 25-26
  9. William Goldman, The Big Picture?: Who Killed Hollywood and Other Essays, Applause, 2000 p 189
  10. Goldman, 2000 p 27
  11. Kent Film Office. «Kent Film Office The Princess Bride Film Focus». 
  12. Reiner, Rob. The Princess Bride. Comentários no DVD. Dirigido por Rob Reiner. 1987; Santa Monica, CA: MGM Home Entertainment, 2001
  13. Reiner, Rob. The Princess Bride. Comentários do DVD. Directed by Rob Reiner. 1987; Santa Monica, CA: MGM Home Entertainment, 2001.
  14. «Wright: 'Giant Was In So Much Pain On The Princess Bride Set'». Contactmusic.com. 10 de março de 2010. Consultado em 20-10-2015. 
  15. «The Princess Bride». Allmusic. Consultado em 23-11-2011. 
  16. Gray Streeter, Leslie (9 de dezembro de 2007). «'The Princess Bride' Turns 20». The Palm Beach Post [S.l.: s.n.] «[w]as a modest hit[...]» 
  17. «The Princess Bride (1987». Box Office Mojo. Consultado em 27-09-2011. 
  18. Clark, Mike (25 de setembro de 1987). «Reiner's 'Princess' is charming». USA Today [S.l.: s.n.] «Despite a $16 million budget, [...]» 
  19. «The Princess Bride (1987)». Rotten Tomatoes. Flixster. Consultado em 17-03-2015. 
  20. «The Princess Bride». Metacritic. CBS. 
  21. «''At the Movies with Gene Siskel and Roger Ebert'' review». Bventertainment.go.com. Arquivado desde o original em 1 de abril de 2007. Consultado em 05-08-2010. 
  22. Roger Ebert (9 de outubro de 1987). «The Princess Bride». Chicago Sun-Times. 
  23. Richard Corliss (21 de setembro de 1987). «Errol Flynn Meets Gunga Din THE PRINCESS BRIDE». Time. 
  24. "Best of '87", Time, 4 de janeiro de 1988.
  25. Janet Maslin (25 de setembro de 1987). «New York Times review». 
  26. «‘Princess Bride’ Reunion, Thanks to Entertainment Weekly Magazine». Consultado em 1 de novembro de 2011. 
  27. «Berardinelli's All-Time Top 100». 4 de janeiro de 2002. Consultado em 8 de dezembro de 2013. 
  28. Savage, Sophia (27 de fevereiro de 2013). «WGA Lists Greatest Screenplays, From 'Casablanca' and 'Godfather' to 'Memento' and 'Notorious'». Consultado em 28 de fevereiro de 2013. 
  29. AFI's 100 Years...100 Laughs Nominees
  30. AFI's 100 Years...100 Movie Quotes Nominees
  31. «AFI.com Error» (PDF). afi.com. 
  32. Breznican, Anthony (30 de dezembro de 2011). «'The Princess Bride' Comes Alive!». Entertainment Weekly [S.l.: s.n.] Consultado em 7 de abril de 2012. 
  33. Greene, Richard; Robinson-Greene, Rachel, : (2015). The Princess Bride and Philosophy (Hoboken: Wiley-Blackwell). ISBN 978-0812699142. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]