Aborto na Austrália

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mapa da Austrália mostrado a aplicação em cada estado
  Legal a pedido
  Legal em caso de violação, risco da morte da mãe, saúde, doença mental, factores socioeconómicos ou defeitos do feto
  Legal em caso de violação, risco da morte da mãe, saúde, doença mental ou defeitos do feto
  Legal em caso de risco da morte da mãe, saúde, ou doença mental
.

O aborto na Austrália é legal desde a década de 1970. Em 2010, o governo chegou a investir 51 milhões de dólares australianos num programa de aconselhamento à gestante com prevenção do aborto[1][2][3][4]. Contudo, em tempos recentes essa política foi abandonada, com a legislação se tornando mais pró-escolha em alguns estados em 2019 (por exemplo, New South Wales).

Em 1985, estima-se que foram executados na Austrália 66 mil abortos. Esse número foi estimado em torno de 71mil abortos em 1987, 83 mil em 1991, 92 mil em 1995, estabilizando-se em torno de 88 mil por ano até 2002. Levando em conta o crescimento populacional, a taxa de abortos diminuiu nos últimos períodos.

As estimativas foram extraídos da página eletrônica do Medical Journal of Australia [1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Help-line furore widens - National - theage.com.au». Consultado em 29 de Dezembro de 2010 
  2. «Catholic group to give abortion counselling». Perth Now. Consultado em 29 de Dezembro de 2010 
  3. «Abbott announces counselling service». Herald Sun. Consultado em 29 de Dezembro de 2010 
  4. «Anger at church abortion role». Herald Sun. Consultado em 29 de Dezembro de 2010 
Ícone de esboço Este artigo sobre o aborto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.