Albita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Albita
Classificação Strunz VIII/J.07-20
Cor Incolor,branco ou esverdeado
Fórmula química NaAlSi3O8
Propriedades cristalográficas
Sistema cristalino Triclínico
Hábito cristalino Tabular
Classe de simetria pinacoidal
Parâmetros da célula a=8,144 b=12,787 c=7,16
Grupo espacial C1
Propriedades físicas
Densidade 2,62
Dureza 6 - 6½
Clivagem [001] perfeita, [010] boa
Fratura Irregular; concóide
Brilho Vítreo
Risca Branco

A albita (português brasileiro) ou albite (português europeu) é um mineral, pertencente à família dos feldspatos plagioclásicos. É o extremo sódico da série das plagioclases, não contendo mais de 10% de anortita. Quando pura tem composição química NaAlSi3O8. É um tectossilicato. Quase sempre exibe maclas, geralmente sob a forma de estrias na face do cristal. Ocorre frequentemente na forma de segregações paralelas finas alternando com microclina nas pertites como consequência de exsolução durante o arrefecimento. Ocorre em massas graníticas e pegmatitícas e por vezes em filões hidrotermais.

Descrita pela primeira vez em 1815 na Suécia. O seu nome deriva do latim albus, que quer dizer branco.

Há excelentes depósitos de albita na região do monte Branco, na Suíça, no Tirol austríaco e em todo o norte da Itália. Os belos cristais de origem brasileira ocorrem com maior incidência em algumas regiões do estado de minas gerais.

A indústria cerâmica faz amplo uso deste mineral para produzir artefatos refratários, dada a sua alta resistência ao calor.

Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

Ficha Técnica
Classe: Silicatos Fluorescência: Ausente
Grupo: Feldspatos Clivagem: Perfeita em {010}, boa em {010} e má em {110}
Subclasse: Tectossilicatos Dureza: 6,6 - 5 (escala de Mohs)
Fórmula Química: (Na 1-0,9, Ca 0-0,1) Al (Al 0-0,1, Si 1-0,9)

Si2O8 silicato de alumínio e sódio

Densidade: 2,63
Composição: 11.19% de Na2O, 1.07% de CaO,

20.35% de Al2O3, 67.39% de SiO2

Hábito: Tabular
Propriedades Ópticas: Biaxial positivo Índice de refração: 1.527 - 1.538
Brilho: Vítreo a nacarado Cristalografia: Tríclinico
Cor: Incolor, branco ou esverdeado Classe: Pinacoidal
Símbolo Fonte Referência
Ab IMA–CNMNC Warr, LN (2021). Símbolos minerais aprovados pelo IMA–CNMNC. Revista Mineralogia, 85(3), 291-320. doi:10.1180/mgm.2021.43
Ab Kretz (1983) Kretz, R. (1983) Símbolos de minerais formadores de rocha. Mineralogista americano, 68, 277-279.
Ab Siivolam & Schmid (2007) Siivolam, J. e Schmid, R. (2007) Recomendações da Subcomissão IUGS sobre a Sistemática de Rochas Metamórficas: Lista de abreviaturas minerais. Versão Web 01.02.07. Comissão IUGS sobre a Sistemática em Petrologia. download
Ab Whitney e Evans (2010) Whitney, DL e Evans, BW (2010) Abreviaturas para nomes de minerais formadores de rocha. Mineralogista Americano, 95, 185–187 doi:10.2138/am.2010.3371
Ab O Mineralogista Canadense (2019) O mineralogista canadense (2019) A lista do mineralogista canadense de símbolos para minerais formadores de rochas e minérios (30 de dezembro de 2019). download
Ab Guerra (2020) Warr, LN (2020) Abreviaturas recomendadas para os nomes de minerais de argila e fases associadas. Clay Minerals, 55, 261-264 doi: 10.1180/clm.2020.30

Ponto de fusão: 1100 - 1120 ºC ( 2010 - 2050 ºF)

Associação - Pode estar associada a minerais alcalinos, quartzo, moscovite etc.

Propriedades Diagnósticas - Índice de refração menor que o do quartzo, biaxial (+) com 2V grande, birrefringência levemente superior à do quartzo, extinção entre 10°-22º, e associação mineralógica.

Estrutura - Anéis de (SI,Al)O4 unidos uns aos outros, essa organização tridimensional pode ser considerada uma rede de anéis de quatro tetraédricos (SI,Al)O4 pois, formam laminas paralelas e cada lamina é constituída por anéis paralelos entre si. Esse esqueleto possui grandes interstícios que são lacunas para átomos monovalentes e bivalentes.

Ocorrência - Mineral típico de rochas magmáticas alcalinas e ácidas (sienitos, fonólitos, tinguaitos, traquitos, granitos, riólitos, pegmatitos graníticos ou sieníticos etc. Ocorre também em veios hidrotermais e em rochas metamórficas de grau baixo, de temperaturas inferiores a 480 °C e normalmente superior a 350 °C.

Usos - Vidrado de louças e porcelanas, fabricação do vidro, fabricação de porcelanatos etc.

Referências:

NAVARRO, G. R. B. et al. Museu de Minerais, Minérios e Rochas Heinz Ebert. 2017. Disponível em: <https://museuhe.com.br/site/wp-content/uploads/2018/04/Museu-HE-TECTOSSILICATOS.pdf>. Acesso em: 28 mai. 2022.

Kirsh, Y., Shoval, S., Townsend, P. D., Kinetics and Emission Spectra of Thermoluminescence in the Feldspars Albite and Microcline, Phys. Stat. Sol.,

vol. 101, p.253-262,1987

Ícone de esboço Este artigo sobre um mineral ou mineraloide é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.