Gahnita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gahnite-Spinel-3d33c.jpg

A gahnita é um mineral do grupo dos espinélios, cuja fórmula química é ZnAl2O4. Em alguns casos o ferro ferroso (Fe3+) e o manganês (Mn) podem substituir o zinco (Zn), o ferro férrico (Fe2+) e o alumínio (Al).

Cristalografia[editar | editar código-fonte]

Pertence ao sistema isométrico, também chamado cúbico. Isométrica, hexaoctaédrica. Comumente octaédrica com faces estriadas paralelamente à aresta entre o dodecaedro e o octaedro. Dodecaedros e cubos bem desenvolvidos são menos freqüentes.

Propriedades físicas[editar | editar código-fonte]

Aspectos diagnósticos[editar | editar código-fonte]

O espinélio de zinco caracteriza-se por sua forma cristaliza (octaedros estriados) e dureza. Quando muito pequeno o brilho, a coloração e a associação mineralógica (granada e esfalerita) podem ser de grande auxílio.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

A Gahnita é um mineral raro. Ocorre em rochas metamórficas como gnaisses, mármores e pegmatitos graníticos, pode estar associada a filões metassomáticos em depósitos de zinco e também em calcários cristalinos ao redor do mundo.

Ensaios[editar | editar código-fonte]

Infusível. O fino, fundido com carbonato de sódio sobre o carvão, dá uma auréola branca, não volátil, de óxido de zinco.

Nome[editar | editar código-fonte]

Foi nomeada como homenagem ao químico sueco, Johan Gottlieb Gahn, o descobridor do manganês.

Ícone de esboço Este artigo sobre um mineral ou mineraloide é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.