António Costa Lobo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
António da Costa Lobo, c. 1892.

António de Sousa da Silva da Costa Lobo (Porto, 1840 - Lisboa, 1913) foi um historiador e escritor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Costa Lobo frequentou a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, concluindo os estudos em 1864. Além de historiador, foi membro da Câmara dos Pares, dignidade em que sucedeu a seu pai. Em 1892 assumiu a pasta dos Negócios Estrangeiros e pertenceu ao Conselho de D. Manuel II de Portugal, tendo honras de ministro de Estado honorário.

Como historiador e escritor projectou uma trilogia dramática que resumisse a história de Portugal, da qual veio apenas a publicar o drama em verso intitulado Afonso de Albuquerque, em 1886, e o auto dramático Portugal Sebastianista, em 1909. A sua vida e obra foi marcada pelas ideias krausistas. Foi também um estudioso do sebastianismo.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • 1864 - O Estado e a Liberdade de Associação
  • 1886 - Afonso de Albuquerque
  • 1893 - Descargo da Minha Responsabilidade de Ministro
  • 1904 - História da Sociedade em Portugal no Século XV
  • 1906 - Portugal e Miguel Ângelo Buonarróti
  • 1909 - História e Prefiguração Dramática
  • 1909 - Origens do Sebastianismo
  • 1909 - Portugal Sebastianista