Junta Provisória de Governo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Governos do Segundo Liberalismo (Monarquia Constitucional)
Brasão de armas do reino de Portugal.svg
António Bernardo da Costa Cabral, principal líder do golpe que restaurou a Carta e figura destacada da Junta Provisória de Governo.

A Junta Provisória de Governo foi um órgão revolucionário criado a 27 de janeiro de 1842,[1] na sequência do golpe cartista que restaurou a Carta Constitucional portuguesa de 1826. Era composta por António Bernardo da Costa Cabral, pelo barão da Ponte de Santa Maria, por Marcelino Máximo de Azevedo e Melo e por António Pereira dos Reis.[1] O governo de Joaquim António de Aguiar foi forçado pelo golpe a demitir-se, sendo substituido por um governo de transição chefiado pelo Duque de Palmela intitulado Governo do Entrudo, por ter coincidido com o Carnaval. Este governo esteve no poder entre os dias 7 e 8 de fevereiro de 1842, sendo substituído oficialmente apenas no dia 9 de fevereiro pelo segundo governo do Duque da Terceira. Entre os dias 8 e 9, a Junta Provisória de Governo deteve o poder executivo, sendo chefe de governo de Portugal, a título provisório.

Precedido por
Duque de Palmela
Chefe de governo de Portugal
1842
Sucedido por
Duque da Terceira

Referências

  1. a b Maltez, José Adelino. «Governo de Joaquim António de Aguiar (1841–1842)». Politipédia — Repertório Português de Ciência Política. Observatório Político. Consultado em 17 de julho de 2013