33.º governo da Monarquia Constitucional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Governos do Segundo Liberalismo (Monarquia Constitucional)
Brasão de armas do reino de Portugal.svg

O 33.º governo da Monarquia Constitucional, ou 12.º governo da Regeneração, nomeado a 29 de outubro de 1870 e exonerado a 13 de setembro de 1871, foi presidido pelo marquês de Ávila.

A sua constituição era a seguinte:[1][2][3]

Cargo Detentor Período
Presidente do Conselho de Ministros Marquês de Ávila 29 de outubro de 1870 a 13 de setembro de 1871
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios do Reino
António Alves Martins 29 de outubro de 1870 a 30 de janeiro de 1871
Marquês de Ávila (interino) 30 de janeiro de 1871 a 1 de março de 1871
Marquês de Ávila 1 de março de 1871 a 13 de setembro de 1871
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios Eclesiásticos e de Justiça
Augusto Saraiva de Carvalho 29 de outubro de 1870 a 30 de janeiro de 1871
José de Melo Gouveia (interino) 30 de janeiro de 1871 a 1 de março de 1871
José Marcelino de Sá Vargas 1 de março de 1871 a 13 de setembro de 1871
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios da Fazenda
Carlos Bento da Silva 29 de outubro de 1870 a 13 de setembro de 1871
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios da Guerra
José Maria de Morais Rego (interino) 29 de outubro de 1870 a 13 de setembro de 1871
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios da Marinha e Ultramar
José de Melo Gouveia 29 de outubro de 1870 a 13 de setembro de 1871
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios Estrangeiros
Marquês de Ávila 29 de outubro de 1870 a 9 de janeiro de 1871
Marquês de Ávila (interino) 9 de janeiro de 1871 a 13 de setembro de 1871
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios das Obras Públicas, Comércio e Indústria
Marquês de Ávila 29 de outubro de 1870 a 1 de março de 1871
Visconde de Chanceleiros 1 de março de 1871 a 12 de julho de 1871
Carlos Bento da Silva (interino) 12 de julho de 1871 a 13 de setembro de 1871
Ministro e Secretário de Estado dos
Negócios da Instrução Pública
António Alves Martins 29 de outubro de 1870 a 31 de dezembro de 1870[Nota 1]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. O Ministério da Instrução Pública foi extinto pela Lei de 27/12/1870, publicada em Diário do Governo no dia 28 de dezembro. Contudo António Alves Martins foi apenas exonerado no dia 31 de dezembro.

Referências

  1. Maltez, José Adelino. «Governo de Ávila». Centro de Estudos do Pensamento Político — Repertório Português de Ciência Política. Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Consultado em 17 de setembro de 2013 
  2. Imprensa Nacional (1871). «Noticia dos ministros e secretarios d'estado do regimen constitucional nos 41 annos decorridos desde a regencia installada na ilha terceira em 15 de março de 1830 até 15 de março de 1871». Consultado em 1 de setembro de 2013 
  3. Santos, Manuel Pinto dos. Monarquia constitucional: organização e relações do poder governamental com a Câmara dos Deputados, 1834–1910. [S.l.]: Assembleia da República, Divisão de Edições, 1986. Capítulo: I Parte – Organização do poder governamental; 3. Do poder executivo – 3.2. Elencos ministeriais.
Ícone de esboço Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.