Ataques em Teerã em 2017

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ataques em Teerã em 2017
Soldados do Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica atrás do prédio do parlamento.
TehranAttacks2017 OpenStreetMap.jpg
Local dos ataques.
Local Parlamento do Irã e Mausoléu de Ruhollah Khomeini em Teerã
 Irão
Data 7 de junho de 2017
10:50–14:14
Tipo de ataque Ataque suicida, tiroteios e reféns
Arma(s) Bombas e fuzis
Mortes 23 (18 civis, 5 suspeitos)
Feridos 52
Responsável(is) Flag of the Islamic State of Iraq and the Levant2.svg Estado Islâmico[1]

Em 7 de junho de 2017, dois ataques foram realizados simultaneamente contra o parlamento iraniano e o Mausoléu de Ruhollah Khomeini, deixando 18 pessoas mortas e 52 feridas.[2][3][1][4] O Estado Islâmico do Iraque e do Levante reivindicou a responsabilidade por ambos os ataques. As autoridades iranianas confirmaram que os militantes iranianos do grupo terrorista realizaram o evento. Os tiroteios foram os primeiros ataques terroristas em Teerã em mais de uma década[5] e o primeiro grande ataque no país desde as explosões em Zahedan em 2010.[6]

Contexto[editar | editar código-fonte]

O governo iraniano tem lutado contra o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIS) por mais de três anos com tropas terrestres lutando com militantes do grupo no Iraque e na Síria. O ISIS, cuja religião se baseia na doutrina wahhabi do islamismo sunita, vê os xiitas, o maior grupo populacional muçulmano do Irã, como não-muçulmanos e inimigos do Islã.[1][7] No entanto, o ISIS ainda não realizou nenhum ataque ao Irã.[8] Nos meses anteriores ao ataque, o grupo aumentou seus esforços de propaganda em persa para influenciar a minoria sunita do Irã.[8]

Ataques na sede do parlamento.

Ataque ao parlamento[editar | editar código-fonte]

De acordo com uma declaração dada por Hossein Zolfaghari, vice-ministro iraniano do Interior, à Radiodifusão Islâmica do Irã, quatro militantes entraram no prédio administrativo do parlamento iraniano disfarçado de mulheres.[9] Vários dos pistoleiros estavam carregando rifles AK-47.[8] Os homens armados abriram fogo, deixando sete a oito pessoas feridas.[8] Os militantes teriam tomado algumas pessoas como refém,[9] embora o governo iraniano tenha negado isso.[8]

O edifício foi posteriormente cercado por forças de segurança. O governo iraniano declarou mais tarde que quatro homens armados foram mortos. Um membro iraniano do parlamento disse que uma de suas equipes estava entre as vítimas.[8] A televisão estatal iraniana informou que um dos atacantes se explodiu no prédio do parlamento enquanto o parlamento estava em sessão.[1] A Associated Press informou que jornalistas no local haviam visto policiais snipers nos telhados próximos. As lojas no bairro estavam fechadas. Testemunhas oculares disseram que os homens armados estavam atirando contra as pessoas na rua a partir do quarto andar do edifício do parlamento.[1]

Ataque ao mausoléu[editar | editar código-fonte]

O ataque ao mausoléu teria deixado uma pessoa morta e cinco pessoas feridas. Ambos os ataques ocorreram ao mesmo tempo e parecem ter sido coordenados. Um homem-bomba suicida teria detonado uma bomba no mausoléu de acordo com a BBC.[8] Uma militante do sexo feminino foi capturada viva.[10]

Os funcionários do governo mais tarde alegaram ter frustrado um terceiro ataque.[8]

Responsabilidade[editar | editar código-fonte]

O Estado Islâmico do Iraque e do Levante reivindicou a responsabilidade pelos ataques.[11] Alguns observadores são céticos sobre a reivindicação de responsabilidade do ISIS e suspeitam que a Organização dos Mujahidin do Povo Iraniano esteja por trás disso, que é um grupo que clama por uma queda violenta[12][13] do governo.[14][15] Se o ISIS fosse de fato for o responsável, seria o primeiro ataque do grupo no Irã.[8] A agência de notícias Aamaq, relacionada ao ISIS, lançou um vídeo de 24 segundos que mostra um corpo sem vida de um homem, enquanto uma voz diz em árabe diz: "Você acha que vamos sair? Nós permaneceremos, se Deus quiser."[1]

Referências

  1. a b c d e f «Islamic State claims attacks on Iran parliament, shrine». The Associated Press. 7 de junho de 2017 
  2. Erdbrink, Thomas (7 de junho de 2017). «Islamic State Claims Deadly Iran Attacks on Parliament and Khomeini Tomb». The New York Times 
  3. «Shootings reported at Iranian parliament and Khomeini shrine». The Guardian. France-Presse Agence. 7 de junho de 2017. Consultado em 7 de junho de 2017 
  4. «Iran shootings: Parliament and shrine attacked». BBC. 7 de junho de 2017 
  5. Cumming, Jason; Abdelkader, Rima. «Iran Parliament, Khomeini's Mausoleum Attacked; ISIS Claims Responsibility». Consultado em 7 de junho de 2017 
  6. «Iran attacks: Twin assaults on parliament and shrine rock Tehran». CNN. Consultado em 7 de junho de 2017 
  7. Wood, Graeme (Março de 2015). «What ISIS Really Wants». The Atlantic. Consultado em 7 de junho de 2017 
  8. a b c d e f g h i «Iran attacks: 'IS' hits Parliament and Khomeini mausoleum». BBC. 7 de junho de 2017. Consultado em 7 de junho de 2017 
  9. a b «Shooting at Parliament and the Mausoleum of Imam». Mashregh News (em persa). 7 de junho de 2017. Consultado em 7 de junho de 2017 
  10. «Invasion four terrorist to Khomeini Shrine/ One woman was captured». fa.alalam.ir (em persa). Consultado em 7 de junho de 2017 
  11. «IS-claimed attacks on Iran's parliament, shrine kill 12». 7 de junho de 2017 
  12. Frank Bolz, Jr., Kenneth J. Dudonis, David P. Schulz (2016). The Counterterrorism Handbook: Tactics, Procedures, and Techniques. Col: Practical Aspects of Criminal and Forensic Investigations 4 ed. [S.l.]: CRC Press. p. 459. ISBN 1439846685 
  13. Jonathan R. White (2011). Terrorism and Homeland Security 7 ed. [S.l.]: Cengage Learning. p. 371. ISBN 1133171184 
  14. «FT: Isis claims responsibility for fatal attacks in Iran». www.ft.com (em inglês). Consultado em 7 de junho de 2017 
  15. (www.dw.com), Deutsche Welle. «Twin attacks strike Iran's parliament, Khomeini's tomb | News | DW | 07.06.2017». DW.COM (em inglês). Consultado em 7 de junho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre o Irã é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.