Beverly Hills Cop

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Beverly Hills Cop
O Caça-Polícias (PRT)
Um Tira da Pesada (BRA)
 Estados Unidos
1984 •  cor •  105[1] min 
Direção Martin Brest
Produção Don Simpson
Jerry Bruckheimer
Roteiro Daniel Petrie Jr.
História Danilo Bach
Daniel Petrie Jr.
Elenco Eddie Murphy
Judge Reinhold
John Ashton
Lisa Eilbacher
Steven Berkoff
Gênero comédia de ação
policial
Música Harold Faltermeyer
Cinematografia Bruce Surtees
Edição Arthur Coburn
Billy Weber
Companhia(s) produtora(s) Don Simpson/Jerry Bruckheimer Films
Eddie Murphy Productions
Distribuição Paramount Pictures
Lançamento Estados Unidos 5 de outubro de 1984
Portugal 1 de março de 1985
Brasil 8 de março de 1985
Idioma inglês
Orçamento US$ 15 milhões[2]
Receita US$ 316,4 milhões[3]
Cronologia
Beverly Hills Cop II

Beverly Hills Cop (bra: Um Tira da Pesada;[4] prt: O Caça-Polícias[5]) é um filme estadunidense de comédia de ação de 1984, dirigido por Martin Brest, escrito por Daniel Petrie Jr. e estrelado por Eddie Murphy como Axel Foley, um policial de Detroit que visita as ruas de Beverly Hills, Califórnia, para resolver o assassinato de seu melhor amigo. Judge Reinhold, John Ashton, Ronny Cox, Lisa Eilbacher, Steven Berkoff e Jonathan Banks aparecem em papéis de apoio.

Este primeiro filme da série de filmes Beverly Hills Cop levou Murphy ao estrelato internacional, ganhou o People's Choice Award de "filme favorito" e foi indicado ao Globo de Ouro de melhor filme de comédia ou musical e ao Oscar de Melhor Roteiro Original em 1985. Ele arrecadou US$234 milhões nas bilheterias norte-americanas, tornando-o o filme de maior bilheteria lançado em 1984 nos EUA.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A mais recente e imprudente operação de polícia do detetive de Detroit, Axel Foley, azeda quando dois policiais uniformizados intervêm, resultando em uma perseguição em alta velocidade pela cidade, causando danos generalizados. Seu chefe, o inspetor Douglas Todd, repreende Axel por seu comportamento e ameaça demiti-lo, a menos que mude de comportamento. Axel chega ao seu apartamento para descobrir que foi invadido por seu amigo de infância, Mikey Tandino. Mikey passou um tempo na prisão, mas agora trabalha como segurança em Beverly Hills, graças a uma amiga de infância dos dois, Jenny Summers. Mikey mostra a Axel alguns títulos ao portador alemães e Axel se pergunta como ele os conseguiu, mas prefere não questioná-lo sobre isso. Depois de irem a um bar eles voltam para o apartamento de Axel, onde dois homens atacam Axel e o deixam inconsciente e então confrontam Mikey sobre os títulos ao portador e o matam.

Axel pede para investigar o assassinato de Mikey, mas o inspetor Todd não permite, por causa de seus laços com Mikey. Axel usa a desculpa de tirar férias para ir a Beverly Hills e solucionar o crime sozinho. Ele encontra Jenny trabalhando em uma galeria de arte e descobre sobre os laços de Mikey com Victor Maitland, o dono da galeria (que na verdade é um dos maiores traficantes de drogas que usa a galeria como fachada e o principal mandante do crime de assassinato de Tandino). Disfarçado como um entregador de flores, Axel vai ao escritório de Maitland e tenta questioná-lo sobre Mikey, mas é jogado fora pela janela pelos guarda-costas de Maitland e preso. Na delegacia, o tenente Andrew Bogomil designa o sargento John Taggart e o detetive Billy Rosewood para seguir Axel. Taggart e Rosewood tiveram um encontro humilhante com Axel naquela noite, e não se dão bem com ele no início, mas os três começam a desenvolver um forte laço de amizade depois de frustrarem um assalto em um bar striper.

Na trilha dos assassinos de Mikey, Axel entra em um dos armazéns de Maitland, onde encontra pó de café, suspeitos de serem usados ​​para embalar drogas. Ele também descobre que muitas das caixas de Maitland não passaram pela alfândega. Depois de ser preso novamente, desta vez após uma briga no clube de campo de Maitland, Axel admite a Bogomil que Maitland deve ser um contrabandista. O chefe de polícia Hubbard, que soube das ações investigativas mal orientadas de Axel, ordena que Axel seja levado para fora da cidade. No entanto, Axel convence Rosewood a pegar Jenny e levá-la com eles ao depósito de Maitland, onde um carregamento deve chegar naquele dia.

Axel e Jenny invadem o armazém e descobrem vários sacos de cocaína dentro de um caixote. Antes que Axel possa obter essa nova evidência para Rosewood, Maitland e seus associados chegam. Maitland leva Jenny e deixa Axel para ser morto, mas depois de alguma hesitação, Rosewood entra no armazém e resgata Axel. Taggart rastreia Axel e Rosewood até a propriedade de Maitland, onde ele se junta aos dois em seus esforços para resgatar Jenny e levar Maitland à justiça. Juntos, o trio extermina vários homens de Maitland, incluindo Zack, o braço direito de Maitland e assassino de Mikey. Com a ajuda de Bogomil, Axel atira e mata Maitland e resgata Jenny. Bogomil inventa uma história para Hubbard que protege todos os participantes do caso, sem desmerecer a força da Polícia de Beverly Hills. Percebendo que ele pode ser demitido em Detroit, Axel pede a Bogomil para falar com o inspetor Todd e suavizar as coisas para ele. Mais tarde, Taggart e Rosewood encontram Axel enquanto ele faz o check-out no hotel seu hotel e paga sua conta. Axel os convida para se juntar a ele, para uma bebida de despedida, e eles aceitam.

Elenco principal[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

A prefeitura de Beverly Hills apareceu com destaque nos filmes de Beverly Hills Cop como sede da polícia.

Em 1977, Don Simpson, executivo da Paramount Pictures, teve uma ideia do filme sobre um policial de East Los Angeles que se transferiu para Beverly Hills.[6] O roteirista Danilo Bach foi chamado para escrever o roteiro. Bach lançou sua idéia para Simpson e Paramount em 1981, sob o nome de Beverly Drive, sobre um policial de Pittsburgh chamado Elly Axel.[6] No entanto, seu roteiro era um filme de ação e Bach foi forçado a fazer alterações no script, mas depois de algumas tentativas, o projeto ficou obsoleto.[6] Com o sucesso de Flashdance (1983), Simpson viu o filme Beverly Hills como seu próximo grande projeto.[6] Daniel Petrie, Jr. foi contratado para reescrever o roteiro e a Paramount adorou a abordagem humorística de Petrie ao projeto, com o personagem principal agora chamado Axel Elly, de Detroit.[6] O produtor Jerry Bruckheimer afirmou que o papel de Axel Foley foi oferecido pela primeira vez a Mickey Rourke, que assinou um contrato de US$400,000 para fazer o filme. Quando as revisões e outros preparativos demoraram mais que o esperado, Rourke deixou o projeto para fazer outro filme.

Sylvester Stallone foi originalmente considerado para o papel de Foley.[7] Stallone deu ao roteiro uma reescrita dramática e transformou-o em um filme de ação.[6] Em um dos rascunhos anteriores escritos para Stallone, o personagem Billy Rosewood foi chamado "Siddons" e foi morto no meio do roteiro durante uma das cenas de ação.[8] Stallone renomeou o personagem principal para Axel Cobretti, com o personagem Michael Tandino sendo seu irmão e Jenny Summers interpretando seu interesse amoroso. No entanto, as idéias de Stallone foram consideradas "caras demais" para a Paramount produzir e Stallone finalmente desistiu duas semanas antes do início das filmagens. Dois dias depois, os produtores do filme, Simpson e Bruckheimer, convenceram Eddie Murphy a substituir Stallone no filme, levando a novas reescritas.[9] Além de Stallone e Rourke, outros atores considerados para o papel de Axel Foley incluíam Richard Pryor, Al Pacino e James Caan.[10]

O filme foi orçado em US$14 milhões, incluindo US$4 milhões para Murphy, mas foi trazido a um custo de apenas US$13 milhões.[2]

David Cronenberg foi chamado para dirigir o longa, mas não aceitou o trabalho.[11]

Stallone inclusive utilizou algumas de suas idéias para o roteiro em Stallone Cobra.[11]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Beverly Hills Cop foi bem recebido pela crítica e é considerado por muitos como um dos melhores filmes de 1984.[12][13] Eddie Murphy, em particular, recebeu muitos elogios por sua atuação. Janet Maslin do The New York Times escreveu "Beverly Hills Cop encontra Eddie Murphy fazendo o que ele faz de melhor: interpretando o azarão astuto, mais moderno e de fala mais rápida do mundo de um homem rico. Eddie Murphy sabe exatamente o que está fazendo e ganha a cada passo".[14] Richard Schickel da revista Time sentiu que "Eddie Murphy exalava o tipo de charme atrevido e arrogante que faltava na tela desde que Cagney era um filhote, rosnando para sair do gueto".[15] Axel Foley tornou-se o papel da assinatura de Murphy e foi classificado como o No. 78 na lista dos 100 maiores personagens de filmes de todos os tempos da revista Empire.[16] Além disso, a revista Entertainment Weekly classificou Beverly Hills Cop como o terceiro melhor filme de comédia dos últimos 25 anos. De acordo com Christopher Hitchens, o escritor e poeta britânico Kingsley Amis considera o filme "uma obra de arte perfeita."[17]

Hoje, Beverly Hills Cop é considerado um clássico no gênero de comédia e mantém um índice de aprovação de 83% no site Rotten Tomatoes.[18] Em 2003, o filme foi escolhido pelo The New York Times como um dos 1000 melhores filmes já feitos.[19]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

O filme foi lançado em 5 de dezembro de 1984 em 1,532 cinemas.[3] Ele estreou em primeiro lugar nas bilheterias dos EUA, faturando US$15,214,805 em seus primeiros cinco dias de lançamento. Expandiu em 21 de dezembro para 2,006 cinemas.[3] O filme ficou em primeiro lugar por 13 semanas consecutivas e voltou ao primeiro lugar em seu 15º fim de semana, fazendo 14 semanas não consecutivas em primeiro lugar, empatando com Tootsie como o filme com mais semanas em primeiro lugar.[20] O filme ganhou US$234,760,478 nos Estados Unidos, sendo o filme de maior bilheteria lançado em 1984.[21] Ajustado pela inflação, é o terceiro filme de classificação R de maior bilheteria de todos os tempos, atrás de O Exorcista e O Poderoso Chefão.[22] Box Office Mojo estima que o filme vendeu mais de 67 milhões de ingressos nos EUA.[23]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora foi lançada pela MCA Records e ganhou o Grammy Award de Melhor Trilha Sonora para Visual Media (1986). A música instrumental do título, "Axel F", composta e executada por Harold Faltermeyer, é um marco cultural e desde então tem sido coberto por inúmeros artistas. A trilha sonora também contou com a música "Neutron Dance, interpretada pelas Pointer Sisters, que se tornou um hit do Top 10 da Billboard. Além da versão mais famosa dessa musica que apareceu no desenho animado Crazy Frog. O álbum foi masterizado por Greg Fulginiti na Artisan Sound Recorders.

O perfil da faixa é como se segue:

  1. "New Attitude" por Patti LaBelle
  2. "Don't Get Stopped in Beverly Hills" por Shalamar
  3. "Do You Really (Want My Love?)" por Junior
  4. "Emergency" por Rockie Robbins
  5. "Neutron Dance" por Pointer Sisters
  6. "Dynamite" por Jermaine Jackson
  7. "The Heat Is On" por Glenn Frey
  8. "Gratitude" por Danny Elfman
  9. "Stir It Up" por Patti LaBelle
  10. "Rock 'N Roll Me Again" por The System
  11. "Axel F" por Harold Faltermeyer

Precedido por
Around the World in a Day por Prince e the Revolution
Billboard 200 álbum número um
22 de Junho - 5 de julho, 1985
Sucedido por
No Jacket Required por Phil Collins

Legado[editar | editar código-fonte]

O filme gerou uma franquia com duas sequências, Beverly Hills Cop II e Beverly Hills Cop III, ambas estreladas por Eddie Murphy, em 1987 e 1994, respectivamente. Judge Reinhold reprisou seu papel nas sequências. O segundo filme recebeu críticas mistas, mas foi um sucesso de bilheteria, enquanto o terceiro filme não teve sucesso tanto crítica quanto comercialmente.

Em 2013, uma série de televisão foi relatada como estando em produção para a CBS.[24] O piloto foi escrito por Shawn Ryan e dirigido por Barry Sonnenfeld. Brandon T. Jackson foi escolhido como filho de Axel Foley.[25] A série não foi escolhida, mas Ryan relatou que testou bem o suficiente para a Paramount colocar um quarto filme em produção.[26]

Prêmios e nomeações[editar | editar código-fonte]

Listas do American Film Institute

Videogames[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Beverly Hills Cop (15)». British Board of Film Classification. 10 de dezembro de 1984. Consultado em 28 de novembro de 2015 
  2. a b «Word-Of-Mouth Gets Par's 'Cop' Into 1,971 Sites». Variety. 5 de dezembro de 1984. p. 3 
  3. a b c «Beverly Hills Cop». Box Office Mojo 
  4. «Um Tira da Pesada». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 14 de fevereiro de 2019 
  5. «O Caça-Polícias». Portugal: CineCartaz. Consultado em 14 de fevereiro de 2019 
  6. a b c d e f Cronin, Brian (16 de janeiro de 2013). «Movie Legends Revealed: Sly Stallone as Axel Foley?». Comic Book Resources. Consultado em 12 de junho de 2014 
  7. O'Connell, Sean. «Sylvester Stallone turns down Beverly Hills Cop Script according to book». Consultado em 11 de agosto de 2016 
  8. «Re-Cast: Five Blockbusters Completely Changed For Their Star». Empire Magazine. Consultado em 13 de novembro de 2010 
  9. Gruson, Linsey (16 de dezembro de 1984). «EXIT STALLONE, ENTER EDDIE MURPHY». The New York Times. Consultado em 12 de junho de 2014 
  10. Gruson, Linsey (16 de dezembro de 1984). «20 Fascinating Facts About The 'Beverly Hills Cop' Franchise». The New York Times. Consultado em 12 de junho de 2014 
  11. a b c d e f Beverly Hills Cop no AdoroCinema
  12. «The Greatest Films of 1984». AMC Filmsite.org. Consultado em 12 de novembro de 2013 
  13. «The Best Movies of 1984 by Rank». Films101.com. Consultado em 12 de novembro de 2013 
  14. «Beverly Hills Cop, Film Review». The New York Times. 29 de abril de 2003. Consultado em 12 de novembro de 2013 [ligação inativa] 
  15. «Cinema: Eddie Goes to Lotusland». Time. 10 de dezembro de 1984. Consultado em 12 de novembro de 2013 
  16. «Empire's The 100 Greatest Movie Characters». Empire. Consultado em 12 de novembro de 2013 
  17. «The Amis Inheritance». New York Times. Consultado em 12 de novembro de 2013 
  18. «Beverly Hills Cop Movie Reviews, Pictures». Rotten Tomatoes. Consultado em 12 de novembro de 2013 
  19. «The Best 1,000 Movies Ever Made». The New York Times. 29 de abril de 2003. Consultado em 12 de novembro de 2013 
  20. «Longest Top Ranking Movies (Conesecutive Weeks». Box Office Mojo 
  21. «1984 Yearly Box Office Results - Box Office Mojo». Consultado em 30 de dezembro de 2016 
  22. Box Office Mojo All Time Grosses R-Rated tab
  23. «Beverly Hills Cop (1984)». Box Office Mojo. Consultado em 31 de maio de 2016 
  24. Hibberd, James (22 de fevereiro de 2013). «Hollywood Insider: What's Going on Behind the Scenes: TV's Pilot Season Goes (Very) High-Concept». Entertainment Weekly. New York: Time Inc. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  25. Child, Ben (22 de julho de 2013). «Beverly Hills Cop TV series shot down». The Guardian. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  26. Obenson, Tambay A. (22 de julho de 2013). «'Beverly Hills Cop' TV Series Officially Dead. BUT Pilot Tested Well, So 4th Movie In Development». Indiewire. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
  27. «Bravo's 100 Funniest Movies of All Time». Boston.com. 25 de julho de 2006. Consultado em 21 de maio de 2010 
  28. «Bravo's "100 Funniest Movies"». listsofbests.com. Consultado em 21 de maio de 2010. Cópia arquivada em 3 de julho de 2010 
  29. AFI's 100 Years...100 Movies Nominees
  30. AFI's 100 Years...100 Heroes and Villains Nominees
  31. The Movie Game Database

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Beverly Hills Cop