Biologia teórica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Biologia Teórica, designação quase-unânime empregada para assinalar áreas como Biología Matemática ou Biomatemática, é um círculo de indagação interdisciplinar de estudo e investigação focada na modelação dos processos biológicos valendo-se de técnicas matemáticas, das ciências exatas para ser mais justo. O termo originou-se muito provavelmente nos anos 1900s como forma de busca novos modos de estudar os desafios trazidos pelo crescimento da biologia e ciências médicas, ciências da vida de forma genérica, como campos de pesquisa; o termo biologia em se surgiu no fim do século XIX como forma de estudar vida sem responder a questão chave "o que é vida?".[1]

Como destacou Sidney Brenner [2], tradução livre, "Eu penso que nos próximos vinte cinco anos teremos de ensinar biólogos uma nova língua, como se chama, ainda não sei". Atualmente essa nova língua se chama matemática e computação, generalmento designados como in silico, ou "biologia seca". Erwin Schrodinger previu essa problemática bem antes do que hoje se chama biologia teórica. [2]


A disciplina tem um extenso campo de aplicações teóricas e prácticas na investigação biológica. Devido à grande diversidade de conhecimentos específicos que em geral estão envolvidos nestes estudos, a investigação em biologia teórica é em geral feita em colaboração entre matemáticos, físicos, biólogos, químicos e fisiólogos, entre outros cientistas.

Algumas Definições
"A biomatemática é a disciplina que combina os usos simultâneos das ciências biomédicas e da matemática"[3].
Este é uma visão simplificada do que é biomatemática


Como destaca Merks[4], tradução livre, "No seu livro Making sense of life, E.F. Keller surpreendentemente descreve a divisão cultural entre biologistas usando experimentos contra aqueles que usam matemática e métodos computacionais." No seu trabalho, E F Keller[5] explica como a biologia matemática surgiu, desafios passados e atuais.


Biomatemática como campo central para pesquisa e ensino[editar | editar código-fonte]

Interdisciplinaridade é algo central nos tempos atuais, por exemplo devido às limitações cada vez mais clara de "mono-abordagens". Exemplos: Sampaio e Silva abordam na importância da transdisciplinaridade [6], Pires na importância da biologia em engenharias [7]


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Isaac Asimov. Life and Energy: Exploration of the physical and chemical basis of modern biology. Published with arrangements with Doubleday and Company, Inc. 1962.
  2. a b Fritjof Capra. The Web of Life: A New Scientific Understanding of Living Systems. Anchor Books Doubleday, 1996.
  3. João José Pedroso de Lima; Francisco José Amado Caramelo; João Miguel Couceiro; Rosa da Conceição Reis. Biomatemática: uma introdução para o curso de Medicina. Imprensa da Universidade de Coimbra. Acessado em: http://www.uc.pt/imprensa_uc/catalogo/ensino/biomatematica. 06 01 2015
  4. 1. Merks, R. Letter from the president. In: Communications. European Communications in Mathematical and theoretical biology. No. 18. 2015: 3-4.
  5. 1. Keller EF. Making Sense of Life: Explaining Biological Development with Models, Metaphors, and Machines. Harvard University Press: 2002.
  6. Cassia Ferreira Sampaio; Amanda Gomes da Silva. Uma introdução à biomatemática: a importância da transdisciplinaridade entre biologia e matemática. VI Colóquio Internacional. PDF: http://educonse.com.br/2012/eixo_06/PDF/26.pdf. Acessado em 06 01 2016.
  7. J G Pires. Na importância da biologia em engenharias: biomatemática e bioengenharias. XX SIMPEP. PDF: acessado em 06 01 2016. http://www.simpep.feb.unesp.br/abrir_arquivo_pdf.php?tipo=artigo&evento=8&art=154&cad=3786&opcao=com_id


Referências adicionais[editar | editar código-fonte]

  • S.H. Strogatz, Nonlinear dynamics and Chaos: Applications to Physics, Biology, Chemistry, and Engineering. Perseus., 2001, ISBN 0-7382-0453-6
  • N.G. van Kampen, Stochastic Processes in Physics and Chemistry, North Holland., 3rd ed. 2001, ISBN 0-444-89349-0
  • P.G. Drazin, Nonlinear systems. C.U.P., 1992. ISBN 0-521-40668-4
  • L. Edelstein-Keshet, Mathematical Models in Biology. SIAM, 2004. ISBN 0-07-554950-6
  • G. Forgacs and S. A. Newman, Biological Physics of the Developing Embryo. C.U.P., 2005. ISBN 0-521-78337-2
  • A. Goldbeter, Biochemical oscillations and cellular rhythms. C.U.P., 1996. ISBN 0-521-59946-6
  • F. Hoppensteadt, Mathematical theories of populations: demographics, genetics and epidemics. SIAM, Philadelphia, 1975 (reprinted 1993). ISBN 0-89871-017-0
  • D.W. Jordan and P. Smith, Nonlinear ordinary differential equations, 2nd ed. O.U.P., 1987. ISBN 0-19-856562-3
  • J.D. Murray, Mathematical Biology. Springer-Verlag, 3rd ed. in 2 vols.: Mathematical Biology: I. An Introduction, 2002 ISBN 0-387-95223-3; Mathematical Biology: II. Spatial Models and Biomedical Applications, 2003 ISBN 0-387-95228-4.
  • E. Renshaw, Modelling biological populations in space and time. C.U.P., 1991. ISBN 0-521-44855-7
  • S.I. Rubinow, Introduction to mathematical biology. John Wiley, 1975. ISBN 0-471-74446-8
  • L.A. Segel, Modeling dynamic phenomena in molecular and cellular biology. C.U.P., 1984. ISBN 0-521-27477-X
  • L. Preziosi, Cancer Modelling and Simulation. Chapman Hall/CRC Press, 2003. ISBN 1-58488-361-8

Ligações externas[editar | editar código-fonte]