CLIPSAS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Parte de uma série de artigos sobre
Maçonaria
Maçom
Artigos principais

Maçonaria · Grande Loja · Loja Maçônica · Venerável Mestre · Graus maçônicos · Lojas Simbólicas · Loja de Perfeição

História

História da Maçonaria · Manuscritos Maçônicos · Constituição de Anderson ·CLIPSAS · SIMPA · União Maçónica Internacional CATENA · C.I.MA.S.

O CLIPSAS ou Centro de Ligação e de Informação das Potências Maçónicas Signatárias do Apelo de Estrasburgo é um organismo internacional que visa reagrupar Obediências Maçônicas da maçonaria liberal e adogmática de todo o mundo e congregar maçons, homens e mulheres, que considerem que a "Liberdade Absoluta de Consciência é a grande vitória da humanidade sobre ela mesma".

Objectivo principal[editar | editar código-fonte]

O seu principal objectivo é o de criar um centro de união fraternal entre os Maçons "que consideram que a liberdade de consciência é uma vitória da humanidade sobre si mesma e que, longe de ser um factor de desunião, ela conduz, graças à livre confrontação de opiniões, à supressão de todas as barreiras".

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 22 de Janeiro de 1961 por convocatória dirigida à maçonaria mundial pelo Grande Oriente da Bélgica e o Grande Oriente de França, para um encontro em Estrasburgo, encontro esse motivado pela intransigencia crescente que a Grande Loja Unida de Inglaterra e outras a esta associadas, nomeadamente as Grandes Lojas dos vários estados dos Estados Unidos da América, que pretendiam impor como regra às restantes Obediências Maçônicas mundiais a exclusividade da crença dogmatica e obrigatória de DEUS (não aceitando religiosos de outras religiões não monoteístas, agnósticos, descrentes ou ateus) para além da não aceitação como iniciados de "mulheres, escravos e deficientes".

As Obediências Maçônicas então reunidas e que não aceitam nem se revêm nas regras atrás referidas e respeitando as suas soberanias, os seus ritos e os seus símbolos numa real e verdadeira cadeia de União Universal, decidiram assinar entre si um acordo em que se revêm no Apelo que as reuniu em Estrasburgo.

Deve-se entender que o CLIPSAS é por isso uma federação de Obediências Maçônicas (associações legais nos seus próprios países) e não centralizada não tendo por isso os seus órgãos que promulgar decretos impositivos ou que invadam o espaço das Obediências membros que a esta pertençam.

Os seus fundadores e continuadores consideram por isso que o CLIPSAS deve ser a pedra angular de uma União Fraternal de Maçons que consideram que a liberdade de consciência é a maior vitória da humanidade e que deve ser por isso um factor de união e não de desunião entre todos os homens e mulheres iniciados e que isto deve ser o princípio de supressão de barreiras entre estes e entre toda a humanidade.

Assim, o CLIPSAS, organiza colóquios anuais em que se discutem não só temas maçónicos mas também temas sociais que preocupam o mundo moderno, efectuando sinteses, para que, e de forma positiva se possa reflectir em conjunto e possam participar de forma construtiva na criação de uma opinião e aprofundamento de uma reflexão interna não só nas Obediências Maçônicas que desta fazem parte mas e mais importante sobre os seus membros, Maçons (mulheres e homens), que enquanto seres sociais poderão contribuir para que um mundo seja um lugar mais justo, fraternal e livre.

Deste modo, o CLIPSAS, não proíbe que algumas Lojas ou até de Obediências signatárias, abram algum livro sagrado (Biblia, Torah, Alcorão, etc) durante seus trabalhos e roguem pela proteção dogmática do Grande Arquiteto Do Universo ou que imponham acesso exclusivo de homens ou de mulheres à sua iniciação, apenas pretende que as suas signatárias não proíbam que outras o façam e ao estabelecer mútuo reconhecimento entre as suas signatárias na prática permitem visitas e a participação em igualdade de circunstâncias de homens e mulheres maçons aos seus trabalhos desde que assim aceites pelas suas Lojas.[1]

Começando de forma muito centrada nas Obediências Maçônicas liberais e adogmáticas europeias e norte-americanas e evoluindo para a aceitação dos primeiros membros não fundadores apenas dez anos depois de ter sido fundada conhece desde então um crescimento sustentado em número de Obediências Maçônicas que a esta pertencem.

Nos primeiros vinte e nove anos a sua presidência foi detida pelo Grande Oriente da Bélgica (de 1961 a 1990) e nos três anos seguintes pelo Grande Oriente de França (1990 a 1993), seguido pelo Grande Oriente do Luxemburgo no trénio seguinte (1993 a 1996) e pela Grande Loja Feminina de França que ocupa o lugar entre 1996 e 1998. De 1998 a 2000 o presidente foi da Grande Loja Simbólica Espanhola, depois novamente o Grande Oriente de Luxemburgo, de 2000 a 2004 sucedido pelo Grande Oriente e Loja Associada do Congo 2004 a 2007, Em 2007 foi presidido pelo brasileiro Jefferson Scheer, da Grande Loja Unida do Paraná, que faleceu em 31 de dezembro de 2007, sendo atualmente dirigido por Marc-Antoin Cauchie, do Grande Oriente de Luxemburgo.

No ano de 1996 dá-se um abandono de parte dos seus fundadores, os motivos alegados foram mais de ordem administrativa e também porque as Obediências Maçônicas de origem francesa queriam que a organização seguisse outra via, mas nenhum destes motivos é contrário ao Apelo assinado, mantendo aliás todos estes fundadores relações de amizade e tratados com todas as obediências que pertencem ao CLIPSAS, saem deste modo em 1996, o Grande Oriente de França (que retornou em 2010), o Grande Oriente da Bélgica (que retornou em 2008), a Federação Francesa do Le Droit Humain e o Grande Oriente da Suíça, sendo que este último retorna em 2005 e a Grande Loja Feminina de França em 1998, estas Obediências Maçônicas fundaram nesse ano o SIMPA.[2]

Desde então o CLIPSAS não parou de ter, como já anteriormente detinha, um crescimento sustentado em número de Obediências Maçônicas entrando desde então membros de quatro continentes, contando atualmente com mais de sessenta.

Estrutura de funcionamento[editar | editar código-fonte]

O órgão supremo do CLIPSAS é a sua Assembleia Geral anual, composta por representantes especialmente designados pelos seus membros, geralmente o próprio Grão Mestre ou alguém em representação deste e da qual todos os Maçons, mesmo aprendizes, de cada Obediência, podem participar.

Para a sua administração entre as reuniões das Assembleias electivas (que ocorrem de três em três anos), o CLIPSAS elege uma Direcção, integrada por um Presidente e seis Vice-Presidentes, com mandatos de três anos e elege desde há uns anos um representante regional para os três continentes onde tem obediências, a saber, Europa, América e África, embora na Ásia também detenha três Obediências Maçónicas filiadas.

Situação actual[editar | editar código-fonte]

Contanto hoje em dia com mais de sessenta Obediências Maçônicas membros activos e com grande parte dos Maçons liberais e adogmáticos filiados na sua estrutura, encontra-se na vanguarda da criação do Espaço Maçónico Europeu e já pediu à ONU um assento como membro observador para a questão dos Direitos Humanos,[3] será caso aceite o coroar de uma luta que começou com os Maçons franceses que por este lutaram nas ruas de Paris entre 1789 e 1799 na Revolução Francesa, fecha-se assim um ciclo de reconhecimento do que a maçonaria liberal e adogmática conseguiu nestes últimos séculos e abre-se outro de defesa da liberdade, da igualdade e da fraternidade entre todos os homens nesta nossa nave espacial que nos transporta a todos, designada por nós como Terra.

Membros[editar | editar código-fonte]

As Obediências Maçónicas membros do CLIPSAS são:

  1. Grande Oriente de França, desde 1961 (sai em 1996 e retorna em 2010)
  2. Grand Orient de Belgique, desde 1961 (sai em 1996 e retorna em 2008)
  3. Gran Loggia d’Italia, desde 1961
  4. Grand Orient de Suisse, desde 1961 (saí em 1996 e retorna em 2005)
  5. Gran Orient d´Autriche, desde 1961
  6. Grand Orient de Luxembourg, desde 1961
  7. Serenísima Gran Logia de Lengua Española, desde 1961
  8. Grand Lodge of Denmark, desde 1970
  9. Gran Logia Mixta de Puerto Rico, desde 1976
  10. George Washington Union, desde 1979
  11. Gran Logia de la República de Venezuela, desde 1980
  12. Grand Rite Malgache, desde 1981
  13. Omega Grand Lodge of the State of New York, desde 1982
  14. Grands Orient & Loge Unis du Cameroun, desde 1982
  15. Gran Logia Simbólica Española, desde 1983
  16. Grand Orient du Congo, desde 1984
  17. Grande Loge Féminine de Belgique, desde 1984
  18. Nederlandse Grootloge der Gemengde Vrijmetsalerij, desde 1985
  19. Grande Oriente Lusitano, desde 1985
  20. Grande Loge Haitienne de St. Jean des Orients D'Outre-Mer, desde 1985
  21. Grande Loge de Haïti, desde 1987
  22. HUMANITAS-Freimaurergrossloge für Frauen und Männer in Deutschland, desde 1987
  23. Gran Oriente Latino Americano, desde 1987
  24. Grand Bénin de la République du Bénin, desde 1988
  25. Großloge Humanitas Austria, desde 1989
  26. Grands Orient & Loge Associés du Congo, desde 1989
  27. Liberal Grand Lodge of Turkey, desde 1989
  28. Gran Logia Mixta de Chile, desde 1991
  29. Grande Loge Française de Memphis-Misraïm, desde 1991
  30. Grande Loge Féminine de Memphis-Misraïm, desde 1992
  31. Grande Loge Symbolique Helvétique, desde 1992
  32. Grande Eburnie, desde 1992
  33. Gran Logia Femenina de Chile, desde 1994
  34. Gran Loggia Massonica Femminile d’Italia, desde 1995
  35. Grande Loja Unida do Paraná[4] , desde 1995
  36. Séréníssime Grand Orient de Grèce, desde 1996
  37. Grande Loge de la Caraïbe, desde 1997
  38. Gran Oriente de México, desde 1997
  39. Grande Loge Nationale du Canada, desde 1997
  40. Grande Oriente Nacional Gloria do Occidente do Brasil, desde 1998
  41. Gran Logia del Norte de Colombia, desde 2000
  42. Grande Loja Maçônica Mista do Brasil, desde 2001
  43. Ordre Maçonnique International DELPHI, desde 2001
  44. Grande Loge Centrale du Liban, desde 2002
  45. Grand Orient Mixte de Grèce, desde 2002
  46. Grande Loja Unida de Pernambuco, desde 2002
  47. Grande Loge Mixte de Memphis-Misraïm, desde 2003
  48. Gran Logia Central de Colombia, desde 2003
  49. Grande Loge de Cèdres, desde 2003
  50. Grande Loge Symbolique Maçonnique d'Afrique, desde 2003
  51. Grand Rite Galagasy Féminin, desde 2003
  52. Grande Oriente Masónico Chileno, desde 2004
  53. Gran Logia Femenina de Argentina, desde 2004
  54. Grande Loja Arquitetos de Aquário - GLADA, desde 2005
  55. Grande Loge Bet-El, desde 2005
  56. Grande Loge Féminine de Roumanie, desde 2006
  57. Gran Logia Benjamin Herrera, desde 2006
  58. Grande Loge Independante et Souveraine des Rites Unis, desde 2008
  59. Gran Oriente de la Francmasonería Universal, desde 2008
  60. Gran Loge du Maroc, desde 2008
  61. Gran Logia Constitucional del Peru, desde 2009
  62. Gran Oriente Federal de la República Argentina, desde 2009;
  63. Gran Oriente de El Salvador, desde 2009
  64. Gran Logia Hiram Habif, desde 2009
  65. Gran Oriente de Rumania, desde 2009
  66. Gran Logia Nacional Unida de Rumania, desde 2009
  67. Grande Loja Feminina do Brasil, desde 2010
  68. Federação Colombiana de Lojas Maçônicas, desde 2010

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências