Catarina da Suécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Catarina Vasa
Condessa Palatina, Duquesa de Kleeburg
Duquesa de Sudermânia
Princesa da Suécia
Retrato por Jacob Heinrich Elbfas.
Condessa de Zweibrücken-Kleeburg
Período 11 de Junho de 1615 - 13 de Dezembro de 1638
Antecessor(a) Madalena de Cleves
Sucessor(a) Isabel de Wisingsborg
 
Cônjuge João Casimiro do Palatinado-Zweibrücken-Kleeburg
Descendência Cristina Madalena do Palatinado-Zweibrücken-Kleeburg
Carlos Frederico de Zweibrücken-Kleeburg
Isabel Amália de Zweibrücken-Kleeburg
Carlos X Gustavo da Suécia
Maria Eufrosina de Zweibrücken-Kleeburg
Leonor Catarina de Zweibrücken-Kleeburg
Adolfo João I do Palatinado-Kleeburg
João Gustavo de Zweibrücken-Kleeburg
Nascimento 10 de novembro de 1584
  Nicopinga, Suécia
Morte 13 de dezembro de 1638 (54 anos)
  Västerås, Suécia
Pai Carlos IX da Suécia
Mãe Ana Maria do Palatinado-Simmern

Catarina da Suécia (em sueco; 10 de novembro de 158413 de dezembro de 1638) foi uma princesa sueca e uma condessa palatina e Duquesa de Kleeburg pelo seu casamento com o conde palatino João Casimiro, Duque de Kleeburg. É conhecida por ter sido, por um tempo, a mãe adoptiva da rainha Cristina da Suécia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Catarina foi a única filha que sobreviveu até a idade adulta do primeiro casamento do rei Carlos IX da Suécia com a condessa Ana Maria do Palatinado-Simmern. A sua personalidade foi descrita nos seguintes termos: "era uma mistura perfeita do poder e sabedoria do pai com a humildade branda da mãe". Quando a sua mãe morreu em 1589, o seu pai voltou a casar-se, desta vez com a duquesa Cristina de Holstein-Gottorp.

Catarina da Suécia

Catarina dava-se bem com a sua madrasta e também se pensa que tivesse uma relação muito boa com os seus meios-irmãos, principalmente com o seu meio-irmão Gustavo Adolfo, o futuro rei, que mostrou várias vezes o afecto que sentia por ela. O seu pai tornou-se regente em 1595 e foi coroado rei em 1607. Em 1611, o seu meio-irmão tornou-se rei. Gustavo Adolfo considerava-a sensível e sensata e Catarina terá sido sua confidente e conselheira em várias ocasiões. A 11 de Junho de 1615, casou-se com o conde palatino João Casimiro de Zweibrücken-Kleeburg e o casal permaneceu na Suécia até 1617, quando partiram para a propriedade do conde na Alemanha. Viveram lá durante cinco anos.

Em 1622, o seu irmão, o rei, preocupou-se com a segurança dela e da sua família quando rebentou a Guerra dos Trinta Anos, por isso pediu-lhes que regressassem à Suécia. Catarina e o marido aceitaram a proposta e passaram a viver no Castelo de Stegeborg na Östergötland. Catarina recebeu o título de condessa de Stegeborg. Foi ela quem tomou conta da princesa Cristina quando os pais dela foram para a Alemanha onde ficaram entre 1631 e 1633 durante a guerra.

Após a morte do irmão, Catarina foi a mãe adoptiva da jovem rainha Cristina depois de a mãe dela não ser responsável o suficiente para educar a filha. Catarina teve custódia oficial de Cristina desde 1636 até 1638, um período que a rainha iria descrever mais tarde como muito feliz.

A Igreja de Catarina em Estocolmo recebeu o nome em sua honra.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Catarina teve oito filhos do seu casamento com João Casimiro de Zweibrücken-Kleeburg[1]:

  1. Cristina Madalena de Zweibrücken-Kleeburg (27 de maio de 1616 - 4 de agosto de 1662), casada com o marquês Frederico VI de Baden-Durlach; com descendência.
  2. Carlos Frederico de Zweibrücken-Kleeburg (13 de julho de 1618 - 11 de maio de 1619), morreu com nove meses de idade.
  3. Isabel Amália de Zweibrücken-Kleeburg (11 de setembro de 1619 - 2 de julho de 1628), morreu aos oito anos de idade.
  4. Carlos X da Suécia (18 de novembro de 1622 - 23 de fevereiro de 1660), rei da Suécia de 1654 até à sua morte; casado com a duquesa Edviges Leonor de Holsácia-Gottorp; com descendência.
  5. Maria Eufrosina de Zweibrücken-Kleeburg (14 de fevereiro de 1625 - 24 de outubro de 1687), casada com o conde Magnus Gabriel De la Gardie; com descendência.
  6. Leonor Catarina de Zweibrücken-Kleeburg (27 de maio de 1626 - 13 de março de 1692), casada com o conde Frederico de Hesse-Eschwege; com descendência.
  7. Adolfo João I do Palatinado-Kleeburg (11 de outubro de 1629 - 14 de outubro de 1689), casado primeiro com a condessa Isabel de Wisingsborg; com descendência. Casado depois com a condessa Elsa Isabel de Wisingsborg; com descendência.
  8. João Gustavo de Zweibrücken-Kleeburg (nascido e morto em 1630)

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Catarina da Suécia em três gerações
Catarina da Suécia Pai:
Carlos IX da Suécia
Avô paterno:
Gustavo I da Suécia
Bisavô paterno:
Erik Johansson Vasa
Bisavó paterna:
Cecilia Månsdotter
Avó paterna:
Margarida Leijonhufvud
Bisavô paterno:
Erik Abrahamsson Leijonhufvud
Bisavó paterna:
Ebba Eriksdotter Vasa
Mãe:
Ana Maria do Palatinado-Simmern
Avô materno:
Luís VI, Eleitor Palatino
Bisavô materno:
Frederico III, Eleitor Palatino
Bisavó materna:
Maria de Brandenburg-Kulmbach
Avó materna:
Isabel de Hesse
Bisavô materno:
Filipe I de Hesse
Bisavó materna:
Cristina da Saxónia
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catarina da Suécia

Referências