Caxirola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caxirola
O criador, Carlinhos Brown proximo do instrumento.
Informações
Classificação Hornbostel-Sachs Idiofone
Instrumentos relacionados
Chocalho
Relacionados
Carlinhos Brown

Caxirola é um instrumento musical do tipo chocalho criado por Carlinhos Brown para ser o instrumento musical oficial da copa do mundo de futebol de 2014. A caxirola foi certificada dia 27 de setembro de 2012 pelo Ministério do Esporte. Sua concepção teve inspiração no caxixi, que é espécie de chocalho utilizado na capoeira. Embora o caxixi seja feito de palha e sementes, a caxirola é de plástico e material sintético[1], que, segundo ele, "são mais ecológicos que o bambu usado, há séculos, pelas comunidades indígenas" no caxixi[2]. A questão é polêmica, pois o chamado PE (Polietileno) verde retira CO2 (dióxido de carbono) da atmosfera tal como os vegetais com que se confecciona a palha do caxixi, mas possui baixa degradabilidade, tal como o polietileno convencional, tornando-se fundamental a correta destinação do lixo, enquanto os defensores da não-degradabilidade afirmam que a degradabilidade não-controlada libera gases do efeito estufa[3].

Carlinhos Brown informou que houve preocupação para que o som emitido pela caxirola não fosse desagradável aos ouvidos, como no caso das vuvuzelas.

A caxirola respeita os limites sonoros. Ela reproduz sons da natureza, do mar, por isso trabalhamos com os melhores engenheiros acústicos para que o som fosse gostoso, agradável.[4]

Ainda segundo Brown, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e a Fifa acompanharam de perto a concepção do instrumento, que faz parte da linha de produtos oficiais da Fifa[4].

O instrumento foi apresentado ao público durante a abertura da mostra "O Olhar que Ouve", composta por 19 obras do artista baiano e que ficou em exposição na sede da presidência da República, em 2013. A presidenta Dilma Roussef aprovou o instrumento[5][6].

O Carlinhos é um autor e um grande artista. E ele expressa um mundo diverso, mas muito específico, do Brasil, e especialmente da Bahia. A pluralidade, o fato de que esse mundo tem milhões de aspectos. (…) Nos encanta porque ele combina essa imagem verde e amarela da caxirola, esse fato que… estamos falando de um plástico verde, de um país que tem a liderança da sustentabilidade no mundo e ao mesmo tempo é um objeto capaz de fazer duas coisas: de combinar a imagem com som e nos levar a gols.[7]

Em março de 2013, a Fifa tentou proibir o uso do instrumento alegando que o mesmo poderia ser usado como arma ou como método de publicidade (autocolante)[8].

Críticas[editar | editar código-fonte]

Em 2010, especialistas ligados à preservação e à promoção das culturas tradicionais e ao direito intelectual criticaram a certificação dada pelo Ministério dos Esportes ao instrumento, uma vez que, segundo eles, a caxirola é uma cópia do caxixi. Para eles, faltou cuidado das autoridades ao promover iniciativas privadas sem se atentar para a proteção ao patrimônio cultural brasileiro. Por isso, eles defendem que o governo deve pensar em como beneficiar os artesãos e os povos tradicionais pelo uso de seus conhecimentos.

Somos contrários ao registro desse objeto pela iniciativa privada sem que as comunidades tradicionais que criaram os instrumentos originais sejam beneficiadas. É necessário discutir melhor a questão da propriedade intelectual e como recompensar os povos tradicionais por iniciativas como essas.[9]
Josilene Magalhães, diretora substituta do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-Brasileiro da Fundação Palmares

No primeiro dia em que o instrumento foi distribuído ao público, no jogo do Bahia contra o Vitória em 28 de abril de 2013, a torcida do Bahia jogou centenas de caxirolas no gramado da Arena Fonte Nova demonstrando o potencial negativo da iniciativa.[10]

Proibição[editar | editar código-fonte]

Em 27 de maio de 2013, o Comitê Organizador Local (COL) anunciou que o instrumento não será permitido nos estádios. Esta proibição valerá, inclusive, para o jogo amistoso entre Brasil e Inglaterra. O mesmo valerá para a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de 2014.[11]

Referências

  1. «Caxirola, apresentada por Carlinhos Brown, vai embalar a Copa do Mundo de 2014». Bom Dia Brasil. Globo. 2012 
  2. «Carlinhos Brown diz que caxirola é mais sustentável que caxixi», Poder em linha (colunia), BR: iG, 2013 abr 23  Verifique data em: |date= (ajuda).
  3. [[Plástico]] ambientalmente correto, BR: RV ambiental  Ligação wiki dentro do título da URL (ajuda).
  4. a b , DF, BR: GloboG1, 2013 http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2013/04/em-exposicao-no-planalto-carlinhos-brown-ensina-tocar-caxirola.html  Parâmetro desconhecido |ttile= ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda).
  5. «Futebol», Globo, Globo Esporte, 2013  |contribution= ignorado (ajuda).
  6. Dilma elogia caxirola e diz que é mais bonita que a vuvuzela, BR: Rede TV .
  7. Presidente Dilma Roussef abre exposição e conhece a caxirola, BR: Governo do Brasil .
  8. «Fifa proíbe vuvuzela, pedhuá e caxirola na Copa de 2014», BR, 97 news .
  9. «Especialistas criticam reconhecimento do governo a instrumentos musicais para a Copa», BR: EBC, Agêcia Brasil, 2012 dez 4  Verifique data em: |date= (ajuda).
  10. «Revolta da Caxirola: indignação e falta de educação causam vexame», Globo, Globo esporte, 2013  .
  11. «No Rio, ministro da Justiça confirma veto da caxirola na Copa». G1. 31 de maio de 2013. Consultado em 2 de junho de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]