Chesley Sullenberger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Chesley Sullenberger
 
Nome completo Chesley Burnett Sullenberger III
Conhecido(a) por Voo US Airways 1549
Nascimento 23 de janeiro de 1951 (71 anos)
Denison
Nacionalidade norte-americano
Cônjuge Lorraine Sullenberger
Ocupação Ex-piloto de aeronaves
Prémios
Página oficial
sullysullenberger.com

Chesley Burnett Sullenberger III (Denison, 23 de janeiro de 1951), mais conhecido como Sully, é um diplomata e ex-piloto de linha aérea norte-americano que ficou mundialmente conhecido por ter sido o comandante do voo 1549 da US Airways, que aterrissou no rio Hudson em 2009 após ambos motores serem atingidos por pássaros, garantindo a sobrevivência de todos a bordo. Desde fevereiro de 2022, ele atua como embaixador dos Estados Unidos na Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO). Sullenberger é um ávido defensor da segurança da aviação e ajudou a desenvolver novos protocolos de segurança para as companhias aéreas. Entre 2009 e 2013, ele atuou como vice-chairman no programa Experimental Aircraft Association (EAA).

Sullenberger se aposentou da US Airways em 3 de março de 2010 após trinta anos atuando como piloto de linha aérea. Em maio do ano seguinte, ele foi contratado como especialista em aviação e segurança pela CBS News.

Sullenberger é coautor, junto com Jeffrey Zaslow, do best-seller Highest Duty: My Search for What Really Matters, publicado pela HarperCollins em 2009, que conta memórias de sua vida e dos eventos em torno do voo 1549. Seu segundo livro, Making a Difference: Stories of Vision and Courage, foi publicado em 2012. Ele ficou em segundo lugar entre os 100 heróis e ícones mais influentes pela revista Time em 2009, ficando apenas atrás de Michelle Obama.

Em 15 de junho de 2021, o presidente Joe Biden anunciou que nomearia Sullenberger como representante dos Estados Unidos na ICAO com o posto de embaixador. Ele foi aprovado por unanimidade no Senado em 2 de dezembro de 2021.

Início de vida[editar | editar código-fonte]

Sullenberger nasceu em 23 de janeiro de 1951 na cidade de Denison, no Texas.[1] Seu pai era um descendente de imigrantes suíço-alemães chamados Sollenberger.[2] Ele tem uma irmã chamada Mary. De acordo com ela, Sullenberger costumava construir modelos de aviões e porta-aviões durante sua infância, afirmando que ele se interessou em voar depois de ver jatos militares decolando e pousando de uma Base Aérea próxima de sua casa.[3]

Quando ele tinha 12 anos de idade, seu QI foi considerado alto o suficiente para que pudesse ingressar na Mensa International.[4] Durante o ensino médio, ele atuou como presidente do clube latim, se destacou como flautista e foi eleito aluno honorário devido ao seu desempenho escolar.[5] Ele também foi um membro ativo da Igreja Metodista Unida.[6] Sullenberger se formou na Denison High School em 1969, e aos 16 anos aprendeu a voar em um Aeronca Champion 7DC a partir de uma pista de pouso particular perto de sua casa. Ele afirmou mais tarde que o treinamento que recebeu de seu instrutor de voo acabou influenciando sua carreira na aviação pelo resto de sua vida.[7]

Sullenberger recebeu um bacharelado em psicologia e pesquisa básica pela Academia da Força Aérea dos Estados Unidos. Ele também obteve um mestrado em psicologia industrial pela Universidade Purdue em 1973 e um mestrado em administração pública (MPA) pela Universidade do Norte do Colorado em 1979.[8]

Serviço militar[editar | editar código-fonte]

Sullenberger foi nomeado para a Academia da Força Aérea dos Estados Unidos, ingressando nela em junho de 1969. Ele foi selecionado, junto com alguns outros calouros, para o programa de planadorismo e, no final daquele ano, foi habilitado para dar instrução de voo.[3] No ano de sua formatura, em 1973, ele recebeu o prêmio Outstanding Cadet in Airmanship ao ser eleito o melhor Cadete Aviador da classe. Após sua graduação e seu comissionamento como oficial, a Força Aérea imediatamente encaminhou Sullenberger até a Universidade Purdue para que ele pudesse obter um mestrado antes de ingressar no Treinamento de Pilotos.[9]

Após concluir sua pós-graduação em Purdue, ele foi então designado para participar dos treinamentos na Columbus AFB, em Mississippi, pilotando as aeronaves T-37 Tweet e T-38 Talon. Depois de receber o distintivo wings em 1975, ele completou o treinamento a bordo do F-4 Phantom II na Base Aérea de Luke, no Arizona. Mais tarde, Sullenberger foi transferido para o Esquadrão de Caça N.° 493 da 48ª Ala de Caça, sediado na Base Aérea de RAF Lakenheath, na Inglaterra, onde operou o F-4D Phantom II.[10]

Após o seu serviço na RAF Lakenheath, Sullenberger foi transferido para o Esquadrão de Caça N.° 428 da 474ª Ala de Caça Tático, com sede na Base Aérea de Nellis, em Nevada, onde operou novamente o F-4D.[11][12] Mais tarde, ele assumiu o posto de capitão (O-3), com vasta experiência de voo na Europa, no Pacífico e na Base Aérea de Nellis, além de ter servido como comandante durante exercícios de combate aéreo Red Flag.[12] Durante seu período na Força Aérea, Sullenberger foi membro do conselho de investigação de acidentes aéreos.[13]

Carreira na Aviação Civil[editar | editar código-fonte]

Sullenberger em um simulator da NASA no Centro de Pesquisa Ames, em dezembro de 2011.

Sullenberger foi funcionário da US Airways de 1980 a 2010.[14][15][16] Possui licença de pilotagem para aviões monomotores e multimotores, licença de piloto comercial, licença de piloto de linha aérea, licença de piloto de planador e licença de instrutor de voo para aviões (monomotores, multimotores e instrumentos).[17] No total, ele acumulou mais de 20,000 horas de voo. Em 2007, ele se tornou o fundador e CEO da Safety Reliability Methods, Inc., uma empresa que fornece orientação estratégica e tática para melhorar a segurança, desempenho e confiabilidade.[18]

Ele também esteve envolvido em diversas investigações de acidentes aéreos conduzidas pela USAF e pelo Conselho Nacional de Segurança nos Transportes (NTSB), como no voo Pacific Southwest Airlines 1771 e no desastre da pista de Los Angeles.[19] Ele também atuou como instrutor, diretor de segurança de voo do sindicato de pilotos dos EUA, investigador de acidentes e membro do comitê técnico nacional.[10] Seu trabalho em prol da segurança para o sindicato levou ao desenvolvimento de Circulares Consultivas pela Administração Federal de Aviação, agência que regula todos os aspectos da aviação civil nos Estados Unidos.[12] Sullenberger teve um papel fundamental no desenvolvimento e implementação do curso de Crew Resource Management (CRM) utilizado pela US Airways, e ministrou o curso para centenas de tripulantes de diversas companhias aéreas.[12][20]

Ao trabalhar com cientistas da NASA, Sullenberger foi coautor de um artigo cuja pesquisa se concentrou nos fatores que induzem ao erro na aviação.[12] Ele também estuda a psicologia por trás do comportamento de uma tripulação durante momentos de crise.[21]

Voo 1549[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Voo US Airways 1549
O voo US Airways 1549 flutuando no rio Hudson.

Em 15 de janeiro de 2009, Sullenberger era o comandante do voo 1549 da US Airways, que decolou do Aeroporto LaGuardia em Nova Iorque com destino ao Aeroporto Internacional de Charlotte-Douglas na Carolina do Norte.[22] Logo após a decolagem, o Airbus A320 atingiu uma formação de gansos-canadenses e perdeu potência em ambos os motores.[23] Após constatar rapidamente que a aeronave seria incapaz de retornar para LaGuardia ou para o Aeroporto de Teterboro, Sullenberger pilotou o Airbus em direção ao rio Hudson para um pouso de emergência na água. Todas as 155 pessoas a bordo sobreviveram e foram resgatadas por barcos próximos.[24][25]

Sullenberger disse mais tarde: "Foi muito tranquilo enquanto trabalhávamos, meu copiloto Jeff Skiles e eu. Nós fomos uma equipe. Mas ter potência zero saindo desses motores foi chocante - o silêncio."[26] Sullenberger foi o último a deixar a aeronave, depois de realizar duas verificações pela cabine a fim de garantir que todos os passageiros e tripulantes foram evacuados.[3]

Sullenberger é descrito por amigos como "tímido e reticente", além de ser conhecido por sua postura calma durante um momento de crise; o então prefeito de Nova Iorque, Michael Bloomberg, o apelidou de "Captain Cool". No entanto, Sullenberger apresentou sintomas de transtorno de estresse pós-traumático nas semanas seguintes, incluindo insônia e analepse.[27] Ele disse que os momentos que antecederam o abandono da aeronave foram "uma sensação horrível, uma sensação na boca do estômago, de estar despencando, a pior que já senti na minha vida".[28]

O NTSB afirmou que Sullenberger tomou a decisão correta ao pousar no rio em vez de tentar retornar ao Aeroporto LaGuardia, já que os procedimentos padrões para perda de motor haviam sido projetados para altitudes de cruzeiro e não imediatamente após a decolagem. Simulações realizadas no Airbus Training Centre Europe em Toulouse mostraram que o voo 1549 poderia ter retornado para LaGuardia caso a manobra fosse iniciada imediatamente após a colisão com os pássaros. No entanto, tais cenários negligenciaram o tempo necessário para os pilotos entenderem e avaliarem a situação ao invés de simplesmente arriscarem a possibilidade de um acidente dentro de uma área densamente povoada.[29][30]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Chesley Sullenberger". Biography.com. Recuperado em 1 de agosto de 2017.
  2. «"Held vom Hudson" stammt aus Wynigen». Berner Zeitung (em alemão). 20 de janeiro de 2009. Consultado em 20 de janeiro de 2009 
  3. a b c Rivera, Ray (16 de janeiro de 2009). «In a Split Second, a Pilot Becomes a Hero Years in the Making». The New York Times (em inglês). Consultado em 17 de janeiro de 2009 
  4. «Hero Pilot's Records, IQ Scores Released by School District in 'Accident'» (em inglês). Fox News. 16 de janeiro de 2009. Consultado em 16 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 17 de janeiro de 2009 
  5. Longish, Dawn (16 de janeiro de 2009). «'Hero on the Hudson' Pilot grew up in North Texas». The 33 News (em inglês). Dallas, TX. Consultado em 18 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2009 
  6. Lovelace, John A. (17 de fevereiro de 2009). «United Methodist church nurtured hero pilot». gcah.org (em inglês). United Methodist News Service. Consultado em 4 de dezembro de 2017 
  7. «Hero Pilot 'Sully' Sullenberger Tries to Stay Grounded». NPR (em inglês). 11 de dezembro de 2009. Consultado em 2 de dezembro de 2017 
  8. Altman, Alex (16 de janeiro de 2009). «Two-Minute Bio: Chesley Burnett Sullenberger III». Time (em inglês). Consultado em 16 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2009 
  9. «Safety Reliability Methods, Inc.: About us» (em inglês). Safety Reliability Methods, Inc. 2007. Consultado em 16 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2009 
  10. a b «Profile: Captain Chesley Sullenberger, "hero of the Hudson"». BBC News (em inglês). 16 de janeiro de 2009. Consultado em 16 de janeiro de 2009 
  11. «Archived copy» (em inglês). Consultado em 24 de julho de 2016. Cópia arquivada em 14 de maio de 2014 
  12. a b c d e «Chesley B. Sullenberger III» (em inglês). AccessInterviews. 16 de janeiro de 2009. Consultado em 16 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 24 de janeiro de 2009 
  13. Moore, Matthew (16 de janeiro de 2009). «New York plane crash pilot Chesley B. Sullenberger III: Committed to air safety». The Telegraph (em inglês). Consultado em 16 de janeiro de 2009 
  14. Weiss, Mitch; Bomkamp, Samantha (3 de março de 2010). "'Miracle on the Hudson' pilot Sullenberger retires". The Seattle Times.
  15. Baker, Debbi (16 de janeiro de 2009). «US Airways pilot a mix of modesty and professionalism, says Coronado friend». Union-Tribune (em inglês). San Diego, CA. Consultado em 17 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2011 
  16. «US Airways flight 1549: Airline releases crew information» (em inglês). US Airways. 16 de janeiro de 2009. Consultado em 17 de janeiro de 2009 
  17. Federal Aviation Administration. «FAA Airman record for Chesley Burnett Sullenberger III» (em inglês). Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  18. "About Us".
  19. «Sully's Tale» (em inglês). Air & Space magazine. Consultado em 23 de fevereiro de 2009. Cópia arquivada em 11 de maio de 2014 
  20. Wilson, Reid (1 de outubro de 2009). «GOP tried to recruit hero pilot 'Sully' for 2010 Congress bid». The Hill (em inglês). Consultado em 5 de outubro de 2009 
  21. Martin L, Davison J, Orasanu O, et al. Identifying error-inducing contexts in aviation. Paper presented at: SAE World Aviation Conference; October 19 –21, 1999; San Francisco, CA
  22. «US1549 - US 1549 Flight Tracker». Flightstats.com (em inglês). Consultado em 9 de fevereiro de 2022 
  23. Burke, Kerry; Pete Donohue; Corky Siemaszko (16 de janeiro de 2009). «US Airways airplane crashes on Hudson River – Hero pilot Chesley Sullenberger III saves all aboard». Daily News (New York) (em inglês) 
  24. Wald, Matthew L.; Al Baker (18 de janeiro de 2009). «Dramatic details released on plane crash onto the Hudson». International Herald Tribune (em inglês). Consultado em 18 de janeiro de 2009. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2009 
  25. «N.Y. jet crash called 'miracle on the Hudson'» (em inglês). MSNBC. 15 de janeiro de 2009 
  26. «Hero pilot tells of 'shocking' moment engines cut out». The Sydney Morning Herald (em inglês). 4 de fevereiro de 2009. Consultado em 29 de setembro de 2016 
  27. Hewitt, Bill, Nicole Weisenssee Egan, Diane Herbst, Tiffany McGee and Shermakaye Bass (23 de fevereiro de 2009). «Flight 1549: The Right Stuff». People Magazine (em inglês). pp. 60–66. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
  28. «Worst moments of my life: pilot tells of ditching in Hudson». Sydney Morning Herald (em inglês). AP. 6 de fevereiro de 2009. Consultado em 6 de fevereiro de 2009 
  29. Paur, Jason (5 de maio de 2010). "Sullenberger Made the Right Move, Landing in the Hudson". Wired.
  30. Yang, Carter (4 de maio de 2010). "NTSB: Sully Could Have Made it Back to LaGuardia". CBS News.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]