China Miéville

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido de «China Miéville» na Wikipédia em inglês (desde agosto de 2016). Ajude e colabore com a tradução.
China Miéville
Nascimento 6 de setembro de 1972 (47 anos)
Norwich
Cidadania Reino Unido
Alma mater London School of Economics, Clare College
Ocupação escritor, romancista, escritor de ficção científica, político, acadêmico, crítico literário, blogueiro
Prêmios Grand Prix de l'Imaginaire, Arthur C. Clarke Award, Prêmio August Derleth, Prêmio August Derleth, Arthur C. Clarke Award, Arthur C. Clarke Award, prêmio Hugo de Melhor Romance, Membro da Sociedade Real de Literatura
Empregador Universidade de Warwick
Religião ateísmo
Página oficial
http://chinamieville.net

China Tom Miéville FRSL, ( /ˈnə miˈvəl/; Norwich, 6 de setembro de 1972) é um autor de fantasia e roteirista de histórias em quadrinhos, professor e político inglês. Muitas vezes ele descreve seu trabalho como weird fiction (ficção estranha) e pertence a um grupo restrito de escritores às vezes denominado new weird.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Norwich e foi criado em Willesden, noroeste de Londres, e viveu na cidade desde a infância. Ele cresceu com a irmã Jemima e a mãe Claudia, tradutora, escritora e professora. Seus pais se separaram logo após seu nascimento e ele disse que "nunca conheceu de fato" o pai. Os pais escolheram o primeiro nome dele, China, de um dicionário, procurando um nome bonito. Em virtude do nascimento de sua mãe em Nova York, Miéville tem dupla cidadania americana e britânica.

Aos 18 anos, em 1990, ensinou inglês durante um ano no Egito, onde desenvolveu um interesse pela cultura árabe e pela política do Oriente Médio.

Miéville fez bacharelado em Antropologia Social na Faculdade de Clare, em Cambridge, graduando-se em 1994, fez mestrado e doutorado em Relações Internacionais na Faculdade de Economia de Londres, em 2001.[2] Hoje é professor de Escrita Criativa na Universidade de Warwick.[3]

Ele se tornou membro da Sociedade Real de Literatura em 2015.[4]

Influências[editar | editar código-fonte]

Seu trabalho tem sido categorizado como ficção científica, fantasia e como "surrealismo urbano".[5] Miéville listou como "heróis" literários: M. John Harrison, Michael de Larrabeiti, Michael Moorcock, Thomas M. Disch, Charles Williams, Tim Powers e J. G. Ballard; também frequentemente aponta como influênciasː H. P. Lovecraft, Mervyn Peake, Ursula K. Le Guin e Gene Wolfe.

Política[editar | editar código-fonte]

Ele tem posicionamento político de esquerda e já foi membro da Organização Internacional Socialista (Estados Unidos), também Já foi membro do Partido dos Trabalhadores Socialistas (Reino Unido) e em 2013 foi membro fundador do Partido Unidade de Esquerda (Reino Unido).

Se candidatou a Câmara dos Comuns do Reino Unido nas eleições gerais de 2001, pela "Aliança Socialista", sem sucesso, ganhou 459 votos, ou seja, 1,2%,[6] disputando em Regent's Park e Kensington North (distrito eleitoral de Londres).

Adaptações[editar | editar código-fonte]

  • The City and the City, (Série de TV, 2018). Seu livro The City & the City de 2009, (No Brasil: A Cidade e a Cidade, 2014), foi adaptado para a televisão em uma minissérie de 4 episódios pela BBC, no Reino Unido.[7]

Obras de Ficção[editar | editar código-fonte]

Série Bas-Lag[editar | editar código-fonte]

  • Perdido Street Station (2000) no Brasilː Estação Perdido (Boitempo Editorial, 2016)
  • The Scar (2002)
  • Iron Council (2004)

Outros Romances[editar | editar código-fonte]

  • King Rat (1998) no Brasilː Rei Rato (Editora Tarja, 2011)
  • Un Lun Dun (2007)
  • The City & the City (2009) no Brasilː A Cidade e a Cidade (Boitempo Editorial, 2014)
  • Kraken (2010)
  • Embassytown (2011)
  • Railsea (2012)

Novelas[editar | editar código-fonte]

  • The Tain (2002)
  • This Census-Taker (2016)
  • The Last Days of New Paris (2016)

Contos[editar | editar código-fonte]

  • Looking for Jake (2005)
  • The Apology Chapbook (2013)
  • Three Moments of an Explosion: Stories (2015)

Livro de colorir infantil[editar | editar código-fonte]

  • The Worst Breakfast (2016) - (ilustrado por Zak Smith)

Livros de Quadrinhos (pt-BR) ou Banda Desenhada (pt) [editar | editar código-fonte]

  • Hellblazer (1988) – No. 250 "Holiday Special": "Snow Had Fallen"
  • Dial H (2012–2013)
  • Justice League (2011) – #23.3 "Dial E #1: Dial Q for Qued"

Obras de Não-ficção[editar | editar código-fonte]

  • Between Equal Rights: A Marxist Theory of International Law, (Tese de Doutorado, 2005)
  • Red Planets: Marxism and Science Fiction (com Mark Bould; Wesleyan University Press, 2009)
  • Pathfinder Chronicles: Guide to the River Kingdoms (com Elaine Cunningham, Chris Pramas e Steve Kenson; Paizo Publishing, 2010)

Ensaio[editar | editar código-fonte]

  • London's Overthrow (2011)

Referências

  1. «Folha de S.Paulo - Livros - "New weird": Nova onda atualiza a literatura fantástica - 18/03/2006». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2016 
  2. «Joan Gordon -- Reveling in Genre: An Interview with China Miéville». www.depauw.edu (em inglês). Consultado em 11 de novembro de 2016 
  3. «Renovador da literatura fantástica, China Miéville tem sua obra lançada no Brasil». O Globo. 18 de dezembro de 2014 
  4. «Royal Society of Literature » Current RSL Fellows». rsliterature.org (em inglês). Consultado em 11 de novembro de 2016 
  5. Hanks, By Robert. «The City and the City by China Miéville: review». Telegraph.co.uk (em inglês) 
  6. «RESULTS & CONSTITUENCIESː Regent's Park & Kensington North». news.bbc.co.uk (em inglês). Consultado em 11 de novembro de 2016 
  7. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.imdb.com 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre China Miéville