Ed Sullivan Theater

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ed Sullivan Theater
Hammerstein's Theatre
Vista do edifício de Ed Sullivan Theatre
Nomes anteriores Manhattan Theatre, Billy Rose's Music Hall
Nomes alternativos Radio Theatre #3, CBS Radio Playhouse e CBS-TV Studio 50
Estilo dominante Neogótico
Arquiteto Herbert J. Krapp
Início da construção 1925
Inauguração 1927
Função inicial teatral
Proprietário atual CBS Corporation
Função atual Estúdio de televisão
Capacidade 400
Promotor / construtor Arthur Hammerstein
Número de andares 13
Geografia
País  Estados Unidos
Cidade Nova York
Coordenadas 40° 45' 49.8" N 73° 58' 58" O
Geolocalização no mapa: Nova Iorque (cidade)
Ed Sullivan Theater está localizado em: Nova Iorque (cidade)
Ed Sullivan Theater
Localização em mapa dinâmico

Ed Sullivan Theatre é um teatro localizado nos números 1697 a 1699 da Avenida Broadway, entre a West 53rd e a West 54th, no Theater District em Manhattan, Nova York.[1] O teatro tem sido usado como local para transmissões ao vivo e gravadas da CBS desde 1936.[2]

É historicamente conhecido como a casa do The Ed Sullivan Show e o local da segunda e terceira aparições de Elvis Presley, além de ter sido palco para estréia dos Beatles nos Estados Unidos. Desde 1993, é o lar do talk show noturno da CBS, The Late Show. A CBS começou a usar o teatro durante o período que teve David Letterman como apresentador, até ser substituído por Stephen Colbert que assumiu o programa em 2015. Está no Registro Nacional de Lugares Históricos, e seu interior foi designado como um marco pela New York City Landmarks Preservation Commission.

Primeiros 66 anos[editar | editar código-fonte]

O edifício de escritórios possui 13 andares, tijolo marrom de terracota[3] com um teatro no andar térreo, foi projetado pelo arquiteto Herbert J. Krapp.[1] Foi construído por Arthur Hammerstein entre 1925 e 1927,[1] e foi nomeado Teatro de Hammerstein depois que seu pai, Oscar Hammerstein I, faleceu. O interior neogótico contém vitrais em arco pontudo com cenas das produções de ópera de Hammerstein. A primeira produção no teatro foi o musical Golden Dawn de três horas, o segundo protagonista masculino foi Cary Grant, que ainda usava seu nome de nascimento, Archie Leach.[3] Arthur Hammerstein faliu em 1931 e perdeu a propriedade do edifício.[3]

Mais tarde, recebeu o nome de Manhattan Theatre, Billy Rose's Music Hall.[4] Na década de 1930, tornou-se uma boate.[4] Depois que a CBS obteve um arrendamento de longo prazo da propriedade, a rede de rádio começou a transmitir a partir dali em 1936, se mudando portanto das instalações de transmissão que havia arrendado dos estúdios da NBC em Radio City.[3] O arquiteto William Lescaze renovou o interior, mantendo quase todo o design da Krapp, mas cobrindo muitas paredes com painéis brancos suaves, e seu trabalho ganhou elogios da revista Architectural Forum.[3] A transmissão de estréia foi Major Bowes Amateur Hour.[3] O teatro teve vários nomes durante a locação da rede, incluindo Radio Theatre #3 e CBS Radio Playhouse.[4] Foi convertido para a televisão em 1950, quando se tornou o CBS-TV Studio 50 .[4] No início e meados dos anos 50, o teatro foi palco de muitas das transmissões ao vivo de The Jackie Gleason Show.

Ed Sullivan com os Beatles em 1969.

O colunista e empresário de jornais Ed Sullivan, que havia começado a apresentar seu programa de variedades Toast of the Town, o renomeou para The Ed Sullivan Show, no Maxine Elliott Theatre (CBS Studio 51) que ficava na West 39th Street em 1948, se mudando para o Studio 50 alguns anos mais tarde. O teatro foi então renomeado oficialmente para Ed Sullivan no final de sua transmissão "20th Anniversary Celebration" em 10 de dezembro de 1967.

Na década de 1960, o Studio 50 foi um dos locais mais movimentados da CBS, sendo usado não apenas no programa de Sullivan, mas também para o The Merv Griffin Show,[5] além de vários outros shows. Em 1965, o Studio 50 foi convertido em cores, e o primeiro episódio colorido do The Ed Sullivan Show se originou no teatro em 31 de outubro de 1965 (O programa se originou da CBS Television City em cores nas seis semanas anteriores, enquanto o equipamento de cores estava em uso). Um episódio colorido anterior do programa teve origem no Studio 72 na Broadway no dia 22 de agosto de 1954.[6]) What's My Line?, To Tell the Truth e Password também foram gravados no mesmo estúdio depois que a CBS começou a transmitir regularmente em cores; anteriormente, eles haviam sido gravados no Studio 52, que mais tarde se tornou o Studio 54. O primeiro episódio de transmissões regulares a cores de What's My Line? foi transmitido ao vivo em 11 de setembro de 1966.

O Ed Sullivan Theatre também foi o primeiro lar do The $10,000 Pyramid, com seu enorme tabuleiro de fim de jogo situado na parte traseira do palco, em 1973. Outros shows de curta duração produzidos no Ed incluíram o Musical Chairs com o cantor Adam Wade (1975), Shoot For The Stars com Geoff Edwards (1977) (que foi um programa da NBC) e Pass the Buck com Bill Cullen (1978).

O arrendamento da CBS no prédio expirou em 1981[5] e tornou-se uma instalação da Teletape Studios. Como tal, se tornou o local de gravações da sitcom Kate & Allie, que foi exibida entre 1984 e 1989, bem como palco do início do programa de entrevistas Livewire, da Nickelodeon[7] Em 1990, David Niles assinou um contrato de locação com o teatro para abrigar seu estúdio de HDTV e seu novo show da Broadway, o musical Dreamtime . Em 17 de outubro de 1992, um especial da NBC comemorando os 25 anos de Phil Donahue na televisão foi gravado no teatro. No mês seguinte, a NBC News usou o teatro para sua cobertura das eleições de novembro de 1992.[8]

Late Show with David Letterman[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Late Show with David Letterman
Marquise do teatro com letreiro do programa de Letterman.

Quando David Letterman mudou saiu da NBC e foi para a CBS, a CBS então comprou o teatro em fevereiro de 1993 da Winthrop Financial Associates de Boston por US$ 4,5 milhões, transformando-o no local de transmissão de seu novo programa, Late Show with David Letterman.[9] O inquilino da época, Dreamtime, recebeu quatro semanas para desocupar o teatro. Devido à falta de recursos para mudar o espetáculo de lugar e também à falta de um teatro equivalente disponível na Broadway, o Dreamtime foi encerrado. A rápida venda do edifício renderam ao corretor de imóveis o prêmio Henry Hart Rice Achievement[10] pelo negócio mais engenhoso do ano em 1993.[11]

O teatro foi reconfigurado em um estúdio de televisão, com ajustes de iluminação e som; o número de assentos foi reduzido de 1.200 para 400. Durante a reforma, os vitrais foram removidos e armazenados pela CBS em um acordo com a Comissão de Preservação de Marcos da Cidade de Nova York; as aberturas das janelas estavam cobertas com material acústico.[3] A firma de arquitetura que fez o trabalho, a Polshek Partnership, observa em seu site que "para preservar a integridade arquitetônica do marco, todas as intervenções são reversíveis".[12]

Em 2005, foram necessários quase quatro meses para modernizar o teatro com os cabos e equipamentos necessários para a transmissão de televisão de alta definição. A empresa de produção da Letterman Worldwide Pants teve seus escritórios no prédio do teatro de 1993 até pouco depois da saída de Letterman do Late Show em 2015.[13]

The Late Show with Stephen Colbert[editar | editar código-fonte]

Marquise do teatro com o letreiro de Colbert iluminado.

O sucessor de Letterman, Stephen Colbert, continua transmitindo o The Late Show with Stephen Colbert no Ed Sullivan Theatre, embora tenham sido feitas extensas reformas entre os mandatos dos dois anfitriões.[14] A remoção do cenário de Letterman ocorreu apenas algumas horas após seu último show, em 20 de maio de 2015.[15] A marquise com o letreiro de Letterman também foi removida e temporariamente substituída por uma faixa que promovia o restaurante Angelo's Pizza ao lado do teatro, tendo Colbert posando com uma fatia de pizza.[16]

O teatro passou por uma restauração completa, incluindo uma exposição da cúpula do teatro, coberta por dutos de ar e amortecedores de som, a reinstalação dos vitrais originais, que foram removidos e armazenados durante a época de Letterman e a restauração de um lustre de madeira com câmaras de vidro colorido que abrigam suas lâmpadas. A restauração foi possível devido aos avanços da tecnologia que permitiram menos equipamentos de som e vídeo para encobrir os detalhes arquitetônicos do auditório.[17] O executivo da CBS Richard Hart explicou que Colbert estava inicialmente hesitante em usar o teatro, mas pediu a restauração depois que ele foi informado sobre a cúpula enquanto visitava a instalação.[18]

Colbert descreveu seu novo cenário como sendo "íntimo"; ele possui um design de várias camadas, com amplo uso da iluminação e projeção de vídeo em LED e uma área de mesa maior que a de Letterman.[18] Exposta para o novo show, a cúpula de Sullivan é iluminada com um sistema de projeção digital usado para exibir imagens acima do teatro, como um padrão caleidoscópico com imagens do rosto de Colbert e o logotipo da CBS.[18] Novos assentos de audiência maiores foram instalados, reduzindo a capacidade geral de 461 para 370.[18] A nova tenda do teatro foi projetada para ter uma aparência "chamativa" apropriada para a Broadway.

Outros usos[editar | editar código-fonte]

O teatro já recebeu a maioria das finais de Nova York do reality show Survivor.

No século XXI, o teatro já recebeu alguns concertos no telhado ou no marquise de alguns músicos:

Em 9 de fevereiro de 2014, na comemoração dos 50 anos da primeira apresentação dos Beatles no Ed Sullivan, a CBS News promoveu uma mesa redonda no teatro. Anthony Mason moderou o painel, composto por Pattie Boyd, Neil Innes, Mick Jones, Tad Kubler, John Oates, Andrew Oldham, Nile Rodgers e Julie Taymor. Uma réplica do palco do teatro, como parecia na noite da apresentação original, também encobriu o cenário do Late Show de David Letterman naquele fim de semana.[23] David Letterman entrevistou Paul McCartney e Ringo Starr no teatro como parte de um tributo especial ao Grammy que foi ao ar na CBS na mesma época.

Referências

  1. a b c White, Norval & Willensky, Elliot; AIA Guide to New York City, 4th Edition; New York Chapter, American Institute of Architects; Crown Publishers/Random House. 2000. ISBN 0-8129-3106-8; ISBN 0-8129-3107-6. p.266.
  2. The History of the Ed Sullivan Theater at EdSullivan.com
  3. a b c d e f g Gray, Christopher. "Streetscapes | Ed Sullivan Theater: If the Soundproofed Walls Could Talk", The New York Times, December 23, 2009
  4. a b c d http://www.ibdb.com/venue.php?id=1182
  5. a b McFadden, Robert D. "A Building With a History, From Bootleggers to Beatles" The New York Times, February 22, 1993]
  6. TV.com listing for September 19, 1965 episode of the Ed Sullivan Show.
  7. Greene, Alexis. "What Cable Offers Children", The New York Times, April 25, 1982
  8. Frazier Moore (3 de novembro de 1992). «Networks Ready the Grand Finale of Election Night '92». Associated Press. Consultado em 17 de agosto de 2015 
  9. Carter, Bill (22 de fevereiro de 1993). «CBS Buys a Theater To Keep Letterman On New York's Stage». The New York Times 
  10. "Ed Sullivan Theater Is Deal of the Year", Real Estate Weekly, April 20, 1994
  11. Gerard, Eric R. "Deal-of-the-year: how it got done" Arquivado em 2008-06-02 no Wayback Machine., Real Estate Weekly, May 11, 1994. Opening of article, via encyclopedia.com
  12. «The Ed Sullivan Theater». Polshek Partnership. Consultado em 22 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 31 de março de 2003 
  13. «David Letterman's Final 'Late Show': What's Next for His Production Company Worldwide Pants». The Wrap. 21 de maio de 2015. Consultado em 21 de maio de 2015 
  14. Lovett, Ken (23 de julho de 2014). «Live from New York: It's the 'Late Show' with Stephen Colbert». NYDailyNews.com. New York Daily News. Consultado em 23 de julho de 2014 
  15. Rosenbaum, Sophia; Strum, Beckie (21 de maio de 2015). «CBS throws Letterman set into Dumpster». New York Post 
  16. Koffler, Jacob (6 de julho de 2015). «Ed Sullivan Theater Marquee Gets An Unexpected Makeover». Time. Consultado em 16 de julho de 2015 
  17. Joel Lovell (17 de agosto de 2015). «The Late, Great Stephen Colbert». GQ. Consultado em 17 de agosto de 2015 
  18. a b c d Koblin, John (9 de setembro de 2015). «Stephen Colbert's Shiny New Home on Broadway Reflects Its Past». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 15 de setembro de 2017 
  19. «Audioslave Make Live Debut In New York City». Blabbermouth.net. 2002. Consultado em 23 de dezembro de 2017 
  20. «21 de junho de 2004 Setlist». phish.net. Notes: Phish performed on top of the theater's second-floor marquee at West 53rd Street and Broadway 
  21. Carter, Bill (16 de julho de 2009). «Helped by a Big Name, Letterman Bounces Back». The New York Times 
  22. «Jay-Z and Eminem Perform Surprise Rooftop Concert in NYC». CBS Local Media. 21 de junho de 2010. Consultado em 22 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 5 de abril de 2014 
  23. CBS News: 50 Years Later CBS New York

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ed Sullivan Theater