Eosina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Eosina define um conjunto de compostos químicos que são corantes utilizados para análises histológicas em microscópio óptico. Existem atualmente dois compostos muito próximos tratados pelo nome de eosina, a eosina Y sendo o derivado tetrabromado da fluoresceína,[1] e a eosina B, o derivado dibromo dinitro da fluoresceína.[2] O mais usado é a eosina Y.

Eosina Y[editar | editar código-fonte]

Eosina Y

A Eosina Y (também conhecida como Eosina Y ws, Eosina Amarelada - de onde seu nome, oriundo do inglês yellowish, Vermelho Ácido 87, C.I. 45380, Bromoeosina, Ácido Bromofluorescêico, Vermelho D&C No. 22) é um corante vermelho rosado com leve tom amarelado com fluorescência róseo-alaranjada quando em solução alcóolica ou aquosa, bordô escuro quando sólido, resultante da ação do bromo sobre a fluoresceína.[3] É posteriormente levado a sua apresentação comercial mais comum, que é na forma de sal de sódio. Nesta apresentação, quimicamente, seu nome sistemático é 2-(2,4,5,7-tetrabromo-6-óxido-3-oxo-3H-xanteno-9-il)benzoato de dissódio.[4]

Corte histológico da traqueia do avestruz. Coloração hematoxilina-eosina.

Possui fórmula química C20H6O5Br4Na2 e massa molecular 691.9 u. Possui uma solubilidade de 40% em água e 2% em etanol. Possui um ponto de fusão de 295°C.[5]

É listada como um carcinógeno classe 3 pela IARC.

Métodos de produção de eosina por síntese eletroquímica a partir da fluoresceína em diferentes meios, como o bicarbonato de sódio, o acetato de sódio e a amônia tem sido objetos de pesquisa.[6][7]

Usos[editar | editar código-fonte]

É usado em conjunto com outros corantes (tal como o alaranjado G - Orange G , o verde luz amarelado e a fucsina ácida) na coloração de citoplasma, colágeno e fibras musculares para exame sob o microscópio.[8]

É um corante ácido que confere cor vermelha em tais colorações. Na célula, sua estrutura aniônica (-) liga-se a estruturas acidófilas ou eosinófilas corando o citoplasma e outras estruturas que têm afinidade com a porção básica (proteínas citoplasmáticas, hemoglobina, mitocôndrias, alguns grânulos de armazenagem e secreção) - estruturas catiogênicas (+).

É utilizado em formulações de soluções de uso tópico, até cirúrgico, como antisséptico e desinfetante, tanto em soluções aquosas como alcoólicas (70% em água) em concentrações em torno de 2% da eosina dissódica.

A Eosina Y é um traçador utilizado em estudos de águas subterrâneas para a determinação dos caminhos de migração da água e identificar a distribuição de poluentes ambientais. Para sua detecção nesta aplicação, aplicam-se métodos como a espectrofluorimetria, cromatografia líquida de alta pressão de fluorescência e cromatografia líquida capilar, que são técnicas bastante sensíveis para a detecção deste corante.[9]

Proteínas podem ser coradas usando-se eosina Y em gel de poliacrilamida.[10] A formação de complexos químicos da eosina Y com proteínas em condições ácidas, com forte coloração rosa, permite a determinação de proteínas com absorvância máxima no comprimento de onda de 535-545nm.[11] Pode ser usada para uma rápida coloração reversível de polipeptídeos em pH baixo, em gel de poliacrilamida contendo ureia, para a detecção de proteínas por eletroforese.[12]

Tem sido testada para a coloração de nematoide in vivo.[13]

Óxido de grafeno quimicamente reduzido pode ser funcionalizado por eosina Y para a produção de hidrogênio a partir da água.[14] Fotobranqueamento de eosina Y e eritrosina podem ser conduzidos por hexacianoferrato (II) de potássio (ferrocianeto de potássio).[15]

Eosina B[editar | editar código-fonte]

Eosina B

O outro composto chamado Eosina é a Eosina B (Eosina Azulada, Vermelho Ácido 91, C.I. 45400, Safrosina, Eosina Escarlate, ou Vermelho Imperial); ela tem um tom azulado muito leve.

Possui fórmula química C20H8Br2N2O9 e massa molecular 580.09352 u.

Os dois corantes são intercambiáveis, e o uso de um ou outro é matéria, pelo menos no que tange ao tingimento industrial, de preferência e tradição.

Soluções para uso em histologia[editar | editar código-fonte]

Eosina Y aquosa a 5%[editar | editar código-fonte]

Fórrmula:

Dissolver os cristais de Eosina Y em água com aquecimento suave. Esfriar e filtar. Alguns cristais de timol podem ser acrescentados para prevenir a formação de grumos.

Eosina Y Solução Alcoólica Estoque[editar | editar código-fonte]

Fórmula:

  • 1 g Eosina Y
  • 20 mililitro H2O destilada
  • Completar a 100 mL com álcool a 95% (ou 96 °GL)

Dissolve-se a eosina Y na água com aquecimento suave. Esfriar e acrescentar o álcool.

Para uso, uma parte da "solução estoque" é normalmente diluída com três partes de álcool a 80% em água. A adição de 0,5 mL de ácido acético glacial (HOAc) para cada 100 mL de solução corante irá normalmente dar uma coloração vermelha mais profunda ao tecido.

Esta formulação é usada no método de coloração hematoxilina-eosina de Carazzi.[16]

Solução de eosina Y para histotécnica de dentes humanos[editar | editar código-fonte]

Solução estoque de eosina aquosa a 1%.[17]:

Eosina Y 2 gramas
Água destilada 200 ml

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. CAS 17372-87-1 - www.emolecules.com
  2. Eosin B - PubChem
  3. Arthur I. Vogel- Química orgânica qualitativa 3vol- Ao Livro Técnico 1971.
  4. Eosin - www.chemspider.com
  5. Eosin Y - www.wolframalpha.com
  6. D. Vasudevan and P. N. Anantharaman, Electrochemical synthesis of eosin from fluorescein, JOURNAL OF APPLIED ELECTROCHEMISTRY, Volume 23, Number 8 (1993), 808-812, DOI: 10.1007/BF00249953
  7. R. W. Sabnis; Handbook of Biological Dyes and Stains: Synthesis and Industrial Applications; John Wiley & Sons, 2010.
  8. Bruce-Gregorios, Jocelyn; Histopathologic Techniques; Good will book store., Quezon City, Philippines, 2006.
  9. Susanne Fabel, Holger Franz; HPLC-Fluorescence Detection of Eosin Y in Groundwater Studies; THE APPLICATION NOTEBOOK, Jun 1, 2010.
  10. Fan Lin, Wei Fan, Gary E. Wise; Eosin Y staining of proteins in polyacrylamide gels; Analytical Biochemistry, Volume 196, Issue 2, 1 August 1991, Pages 279–283.
  11. Hee-Youn Hong, Gyurng-Soo Yoo & Jung-Kap Choi; An Eosin Y Method for Protein Determination in Solution; Analytical Letters, Volume 32, Issue 12, 1999. DOI:10.1080/00032719908542979
  12. Michael E. Selsted, Heber W. Becker III; Eosin Y: A reversible stain for detecting electrophoretically resolved protein; Analytical Biochemistry, Volume 155, Issue 2, June 1986, Pages 270–274 - DOI 10.1016/0003-2697(86)90436-7
  13. Chaudhuri, N.; Dick, R.I.; Engelbrecht, R.S.; Austin, J.H.; Staining of Free-Living Nematodes By Eosin Y Dye; Nematologica, Volume 12, Number 2, 1966 , pp. 337-344(8) - DOI 10.1163/187529266X00761
  14. Gang Mou, Yupei Dong, Shujin Li, Yukou Du, Xiaomei Wang, Ping Yang, Suidong Wang; Eosin Y functionalized graphene for photocatalytic hydrogen production from water; Int. J. Hydrogen Energy, 2011,36, 8885-8893.
  15. Abhishek Jain, Abhilasha Jain, Savitri Lodha, B.Pinki, B., and R.C.Ameta; [http://203.199.213.48/1323/1/748.pdf Photobleaching of Eosin-Y and Erythrosine using Hexacyanoferrate(II); Bulletinof the Catalysis Scoeity of India, 7 (2008)160-167.
  16. Carazzi's Hematoxylin-Eosin Staining Method - www5d.biglobe.ne.jp
  17. HISTOTÉCNICA DE DENTES HUMANOS
  • Kabeer Fatima, Sofia Nosheen, Humera and Munazza Azhar; SYNTHESIS AND APPLICATION OF EOSIN; Pakistan Journal of Agriculture Sciences, 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.