Eugène Viollet-le-Duc

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eugène Viollet-le-Duc
Félix NADAR (1820-1910), Retrato de Eugène Viollet-le-Duc, fotografia.
Nascimento 27 de janeiro de 1814
Paris, França
Morte 17 de setembro de 1879 (65 anos)
Lausana, suiça
Nacionalidade França Francês
Ocupação Arquitecto e Inspector geral dos edifícios diocesanos

Eugène Emannuel Viollet-le-Duc (Paris, 27 de Janeiro de 1814  — Lausana, 17 de Setembro de 1879) foi um arquitecto francês ligado à arquitectura revivalista do século XIX e um dos primeiros teóricos da preservação do património histórico. Pode ser considerado como um precursor teórico da arquitectura moderna. O autor John Summerson considera-o, juntamente com Leon Battista Alberti, o maior teórico de arquitectura na história ocidental.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Viollet-le-Duc estudou arquitectura na Escola de Belas Artes de Paris, mas interrompeu os estudos devido ao carácter arquitectónico fechado em relação ao futuro que verificava no ensino. O seu trabalho foi desenvolvido sobretudo na área de restauro (catedrais e castelos medievais) por falta de encomenda de obras novas.

Dictionnaire Raisonné de Architecture pequeño.png

Da sua obra fazem parte desenhos de obras imaginárias (baseados na imagem medieval com recurso a meios de construção modernos) e também algumas obras completas de que são exemplo: Igreja de St. Denis de l’Estrée e a Casa de Henri Courmont. Escreveu também alguns livros: Ensaio sobre a arquitectura militar na Idade Média e Dicionário da arquitectura francesa do sec. XI ao sec. XVI.

A sua inclinação e o seu gosto arquitectónicos foram desde cedo para o Gótico, para ele o valor das obras medievais residia na sua honestidade em relação à expressão dos materiais e dos processos construtivos. Desta forma o Gótico ganhava importância em relação ao Classicismo pela comunicação de meios.

Como teórico estava interessado na procura de um estilo próprio para o século XIX, apostando assim nas novas técnicas de construção, e na importância da máquina (isto estava associado aos novos desenvolvimentos como a electricidade, o vapor, a velocidade, o ferro e outros novos materiais e técnicas).

O seu pensamento foi de certa forma visionário embora restrito às possibilidades de então. Previu a construção de arranha-céus: grandes estruturas de ferro revestidas a pedra.

Obra[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Eugène Viollet-le-Duc


Algumas restaurações[editar | editar código-fonte]

Edifícios religiosos[editar | editar código-fonte]

Câmaras Municipais

Cidade Histórica Fortificada de Carcassonne

Castelos[editar | editar código-fonte]

Algumas realizações[editar | editar código-fonte]

Alguns alunos de Viollet-le-Duc[editar | editar código-fonte]

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Essai sur l'architecture militaire au Moyen-âge, Paris, 1854 ;
  • Mémoire sur la défense de Paris. Septembre 1870 - janvier 1871, Paris, A. Morel, 1871;
  • Dictionnaire raisonné de l'architecture française du XIe au XVIe siècle, 10 vol., Paris, Bance et Morel, 1854 à 1868;
  • Dictionnaire raisonné du mobilier français de l'époque carolingienne à la Renaissance, 6 vol., Paris, 1858-1870;
  • Entretiens sur l'architecture, 2 vol., Paris, 1858-1872;
  • Cités et ruines américaines : Mitla, Palenqué, Izamal, Chichen-Itza, Uxmal, Paris, 1862 ;
  • Description du château de Coucy, Paris, 1875;
  • Description du château de Pierrefonds, Paris, 1857;
  • La Cité de Carcassonne, Paris, 1888;
  • Histoire d’une maison, Paris : Hetzel, 1873;
  • Histoire d'un hôtel de ville et d'une cathédrale, Paris, Hetzel, 1874;
  • Histoire d’une forteresse, Paris, Hetzel, 1874;
  • Histoire de l'habitation humaine, depuis les temps préhistoriques jusqu'à nos jours, Paris, Hetzel, 1875;
  • L'art russe, Paris : Ve A. Morel et Cie, 1877;
  • Comment on devient un dessinateur, Paris, Hetzel, 1878;
  • De la décoration appliquée aux édifices, Paris, s.d.
  • Le Massif du Mont Blanc ; étude sur sa constitution géodésique et géologique, sur ses transformations, et sur l'état ancien et moderne de ses glaciers, Paris, Baudry, 1876.
  • Lettres d'Italie, 1836-1837, éd. Françoise Viollet-le-Duc, Paris, Lagret, 1971.
  • La Correspondance Mérimée - Viollet-le-Duc, éd. Françoise Bercé, Paris, CTHS, 2001.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.