Frevoador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Frevoador
Álbum de estúdio de Zé Ramalho
Lançamento 1992
Gravação Impressão Digital Studios, fevereiro de 1992
Gênero(s) MPB
Idioma(s) Português
Formato(s) CD
Gravadora(s) Columbia (Sony Music)
Produção Zé Ramalho e Luís Fernando Borges
Mariozinho Rocha ("Entre a Serpente e a Estrela")
Zé Ramalho e Mauro Motta ("Porta Secreta")
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Zé Ramalho
Brasil Nordeste
(1991)
Cidades e Lendas
(1996)

Frevoador é o décimo primeiro álbum do cantor brasileiro Zé Ramalho, lançado em 1992, após quatro anos sem álbuns de inéditas. Ao promover seu disco seguinte, Cidades e Lendas, o cantor afirmaria não ter ficado satisfeito com o resultado de Frevoador, sugerindo que o repertório e os músicos convidados não eram os ideais.[1]

Faixas[editar | editar código-fonte]

N.º TítuloMúsica Duração
1. "Frevoador (Hurricane)"  Bob Dylan, Jacques Levy, versão por Zé Ramalho 3:03
2. "Serpentária" (Contém a faixa escondida "Everybody's Talking", de Fred Neil)Zé Ramalho, Sivuca, Glorinha Gadelha 2:20
3. "Nona nuvem"  Zé Ramalho, Vital Farias 4:04
4. "Da mãe"  Zé Ramalho 2:02
5. "Entre a Serpente e a Estrela (Amarillo by Morning)"  Paul Fraser, Terry Stafford, versão por Aldir Blanc 2:59
6. "Cidadão"  Lucio Barbosa 3:50
7. "A história do Jeca que virou Elvis Presley"  Zé Ramalho, Carlos Fernando 2:56
8. "Botas de sete léguas"  Zé Ramalho, Hugo Leão 5:18
9. "Porta secreta"  Zé Ramalho 3:44
10. "Do terceiro milênio para frente - parte II"  Zé Ramalho, Oliveira de Panelas 3:37
11. "Sensual"  Tavito, Aldir Blanc 3:31
12. "Dona Chica (Francisca Santos das Flores)"  Dorival Caymmi 5:24
13. "Pai e mãe"  Gilberto Gil 3:17

Músicos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Zé Ramalho celebra ressurgimento». Folha de S.Paulo. Grupo Folha. 16 de agosto de 1996. Consultado em 16 de janeiro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Zé Ramalho é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.