Gossypium barbadense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaAlgodão upland
Cápsulas de algodão

Cápsulas de algodão
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Malvales
Família: Malvaceae
Género: Gossypium
L.
G. barbadense
Gossypium barbadense

O Gossypium barbadense é uma variedade de Algodão que produz fibras com comprimento extra-longo[1]

Gossypium barbadense, também conhecido em inglês como extra long staple (ELS) cotton[2] . Este tipo de algodão tem de possuir, pelo menos, cerca de 26 mm (1 3/8</ref>,[3] é uma espécie da planta do Algodoeiro.

Algumas variedade tipos de Algodão extra-longo são Pima Americano, o Pima Peruano, o egípcio Giza, o Indiano Suvin, o Sudanês Barakat e o Russo Tonkovoloknistyi .[3] . Estas variedades são todas originárias do Gossypium Barbadense.

O Gossypium Barbadense produz flores amarelas e sementes pretas. Cresce como um pequeno arbusto. Para o seu crescimento requer muito sol, elevada humidade e pluviosidade.

Esta espécie de Algodão possui um químico natural, o Gossypol, que reduz a susceptibilidade da planta aos insectos e aos fungos. Na medicina tradicional do Suriname, as folhas do G. Barbadense são usadas para o tratamento da hipertensão e menstruação irregular[4] .

História[editar | editar código-fonte]

Origens[editar | editar código-fonte]

Os primeiros sinais da domesticação desta espécie de algodão vêm da costa do Equador e do Peru onde foram encontrados capulhos que datavam de 4200 AC. Cerca do ano 1000 AC, as variedades cultivadas eram já iguais às actuais.

O cultivo desta espécie de Algodão espalhou-se por toda a América do sul e central e Caraíbas, onde Cristóvão Colombo a encontraria.

A plantação de algodão tornou-se numa cultura intensiva nas caraíbas, onde usava a mão-de-obra escrava, de tal maneira que osBarbados se tornaram a primeira colónia Inglesa a exportar Algodão

Pima Cotton Peruano[editar | editar código-fonte]

A região de vales próxima a costa que é protegida pela cordilheira dos Andes possui um micro clima único (desertos de areia na costa e relevos andinos nas montanhas).Por ser seu local de origem o gossypium barbadense ali nasce com sua plenitude.

Com a temperatura média anual de 34.2 °C, está posicionada 4° ao sul do equador e recebe duas correntes oceânicas ao mesmo tempo. A corrente fria de Humboldt (13-20 °C) e a quente El Niño (20-27 °C). Esses fenômenos proporcionam certo nível de umidade que favorece a produção do Gossypol (cera natural que reveste a fibra do algodão), proporcionando um brilho natural e maior suavidade.

Cultivado a 70 metros acima do nível do mar sem pesticidas e fertilizantes, sua colheita é feita manualmente para não danificar a fibra.

Fibra extra longa (ELS): Comprimento de 38,10 a 41,27 milímetros.Fibras convencionais tem de 20 a 32 milímetros.Finura: 3,3 a 4,0 (Micronaire). Até 45% mais fino que o convencional.

Resistência intrínseca da fibra de algodão: 92 a 100 (Pressley). Até 50% maior que as fibras convencionais.

Principais características: brilho e extrema suavidade.

Sea Island[editar | editar código-fonte]

Em 1756, a plantação de algodão da espécie de Gossypium Barbadense começou nas ilhas conhecidas por Sea Island (Conjunto de ilhas costeiras entre o estado da Geórgia e a Carolina do Norte) com sementes trazidas dos Barbados .[5] .

Os algodões Sea Island devido ao seu longo comprimento (35 a 60 mm) e finura, permitiam a fiação de fios muito finos usados nos produtos topo de gama.

Algodão do Egipto[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter sido uns dos locais no mundo onde se começou a plantar algodão, até 1850 a sua produção era de baixa qualidade e em números insignificantes. Apenas com a introdução do Gossypium Barbadense, proveniente da variedade “Sea Island” em 1850 é que o Egipto começou a exportar algodão. O sucesso da plantação de algodão foi tal que, sobretudo na Europa o termo Algodão do Egipto passou a sinónimo de Algodão para artigos de luxo, fazendo esquecer a própria origem americana da espécie

Pima Americano[editar | editar código-fonte]

O Algodão Pima que deve o sem nome em honra aos Índios Pima, que ajudaram a cultivá-lo nas quintas experimentais do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos no início do Século XX. .Hoje em dia representa apenas 5% da produção total dos Estados Unidos. As suas zonas de cultivo são sobretudo na Califórnia

[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "7 USC 7202 - Sec. 7202. Definitions". vLex. Consult. 20 de novembro de 2011. O termo "extra long staple cotton" significa Algodão [...] que é produzido a partir de variedades de raça pura da espécie Barbadense ou mesmo qualquer híbrido, ou outros tipos similares de algodão de fibra extra longa. 
  2. . vLex http://us-code.vlex.com/vid/sec-definitions-19268936. Consult. 20 de novembro de 2011. The term "O termo "extra long staple cotton" significa Algodão [...] que é produzido a partir de variedades de raça pura da espécie Barbadensee  Parâmetro desconhecido |tituloe= ignorado (Ajuda); Falta o |titulo= (Ajuda)
  3. a b Goggin, Brian (dezembro 1991). "Extra-long staple cotton report - production and export statistics for marketing year 1989/90-1991/92 including USSR, Egypt, Israel, Peru and Sudan; U.S. pima cotton production and export statistics". U.S. Dept. of Agriculture, Foreign Agricultural Service report. Consult. 20 de novembro de 2011. 
  4. "Medicinal Plants of the Guianas (Guyana, Surinam, French Guiana)" (PDF). Smithsonian - Department of Botany. p. 183. Consult. 20 de novembro de 2011. 
  5. Cotton Year Book 1910, Textile Mercury Annual, 1910, Manchester

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Malvales, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.