Júlio de Castilhos (Rio Grande do Sul)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o advogado, jornalista e político brasileiro, veja Júlio de Castilhos.
Município de Júlio de Castilhos
Bandeira de Júlio de Castilhos
Brasão de Júlio de Castilhos
Bandeira Brasão
Hino
Fundação fevereiro de 7
Gentílico castilhense
Prefeito(a) João Vestena (PSB)
Localização
Localização de Júlio de Castilhos
Localização de Júlio de Castilhos no Rio Grande do Sul
Júlio de Castilhos está localizado em: Brasil
Júlio de Castilhos
Localização de Júlio de Castilhos no Brasil
29° 13' 37" S 53° 40' 55" O29° 13' 37" S 53° 40' 55" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Centro Ocidental Rio-grandense IBGE/2008[1]
Microrregião Santiago IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Tupanciretã, Quevedos, São Martinho da Serra, Santa Maria, Itaara, Ivorá, Nova Palma, Pinhal Grande
Distância até a capital 349 km
Características geográficas
Área 1 929,383 km² [2]
População 20 032 hab. est. IBGE/2016[3]
Densidade 10,38 hab./km²
Altitude 513 m
Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,804 muito elevado PNUD/2000[4]
PIB R$ 360 780,365 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 18 032,71 IBGE/2008[5]
Página oficial

Júlio de Castilhos é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

Localizado na Mesorregião do Centro Ocidental Rio-Grandense e na Microrregião de Santiago. De acordo com o censo populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística o município possui uma população de 19.579 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Segundo o historiador Firmino Costa, nas terras do atual município de Júlio de Castilhos, em tempos imemoráveis, vagavam os índios tapes.

No início do século XVII, foram encontrados pelos jesuítas da Companhia de Jesus que os reuniram e os organizaram em uma aldeia: a Redução de Natividade de Nossa Senhora, fundada em 1633 pelo padre Pedro Álvares, que poderia estar localizada dentro dos limites do atual município.

Temendo o ataque dos bandeirantes, que caçavam índios para vendê-los aos engenhos do norte, em 1638, foi abandonada em uma fuga para além do Rio Uruguai.

Meio século depois, os jesuítas começam a voltar fundando os Sete Povos das Missões (1660 a 1690) e as grandes estâncias jesuíticas. Duas delas estariam em terras do atual município: a Estância de São Pedro e a de Santo Antônio, pertencentes ao Povo de São Lourenço.

Eram terras do domínio espanhol até 1801, quando houve a Conquista das Missões pelos portugueses. Começa então o povoamento da região.

Chegam os pioneiros na ocupação das terras do atual município: paulistas e paranaenses. Entre eles, de 1809 a 1811, André Pereira Garcia e Manuel Moreira Pais.

Em 1812 ou 1813, chega João Vieira de Alvarenga, jovem com cerca de 24 anos, sua mulher Maria Rosa de Morais e seu primeiro filho, o menino Manoel, e alguns escravos, ocupando terras devolutas entre os pioneiros citados, cujo título de Sesmaria ele teria recebido em 1826.

Escolheu o alto da Coxilha do Durasnal, onde hoje é o centro da cidade, ali estabelecendo seus ranchos e mangueira começando a criar gado. O local do rodeio teria sido o da atual praça que leva seu nome. O local, entre São Martinho e Cruz Alta, era ponto de pouso e sesteada de tropeiros de mulas e ele denominou sua fazenda de "Boa Vista", que pode ser considerado como o primeiro topônimo de Júlio de Castilhos.

Com o tempo, o lugar ficou sendo mais conhecido como "o João Vieira".

Em 1834, surgiu o Município de Cruz Alta, desmembrado do de Rio Pardo. A sede do atual Município de Júlio de Castilhos ficava em terras de seu distrito de São Martinho.

O generoso e bem estimado curitibano João Vieira de Alvarenga, que se dedicava mais a carretear, levando erva para o Uruguai, deixou que muitos se estabelecessem junto à sua fazenda, no desejo de vê-la transformada em um povoado.

Em 1870, procedia-se o traçado e demarcação das ruas e praça da incipiente povoação que passou a ser conhecida como Povo Novo.

Em 1876, com a emancipação de São Martinho, foi criado o seu 2º Distrito de Povo Novo.

Em 17 de junho de 1877, Manuel Vieira de Alvarenga que herdou a área do Povo Novo, por falecimento de seu pai em 1856, faz a doação oficial de uma área de 43 hectares que ocupa grande parte do centro da atual cidade. Essa data pode ser considerada como a de fundação da cidade de Júlio de Castilhos.

Em 1885, foi trocada a denominação do lugar para Vila Rica e, em 14 de julho de 1891 - Lei nº 607, emancipado de São Martinho, passou a constituir o município de Vila Rica.

De início teve duas comissões administrativas composta de cinco pessoas e, em fins de 1892, foi nomeado o primeiro intendente (prefeito) provisório, Gonçalo Soares da Silva.

Em fins de 1896 houve a primeira eleição do município, com a vitória do capitão Luís Gonzaga de Azevedo.

De 1905 em diante, homenageando seu filho mais ilustre, a cidade passou a denominar-se Júlio de Castilhos.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município localiza-se a uma latitude de 29º13'37" sul e a uma longitude de 53º40'54" oeste, estando a uma altitude média de 513 metros.

Altitudes:

  • 529 metros (centro da Praça João Vieira de Alvarenga),
  • 516 metros (Estação Meteorológica)
  • 503,81 metros (Estação Ferroviária)

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Divisão distrital do município. Dados do OpenStreetMap.

O município de Júlio de Castilhos está oficialmente divido em três distritos e os distritos reúnem localidades[6]:

  1. Sede: Ou Júlio de Castilhos, sede do município. Localidades/bairros: Centro, Minuano, Taquara, São Cristóvão, São Lourenço, Santa Júlia.
  2. Três Mártires[7]: O distrito possui cerca de 1 000 habitantes e está situado na região sul do município.[8] Localidades/bairros: Val de Serra, Linha Quarta Norte, Três Martires
    1. Val de Serra: Possui uma população de 1 500 pessoas e está localizado na região sul do município de Júlio de Castilhos.[carece de fontes?]
  3. São João dos Mellos[7]: Distrito que possui cerca de 700 habitantes e está situado na região sul do município.[8] Localidades/bairros: Santa Teresinha, São João dos Mellos, Santo Antão.

Economia[editar | editar código-fonte]

Era considerada a capital brasileira do gado charolês, também foi considerada a primeira cidade do mundo à nascer o primeiro gado charolês mocho (sem aspas)

Atualmente com o aquecimento da economia castilhense nos últimos anos, assegurada pelo grande aumento na produção do binômio Trigo/Soja, o município tem o título de 3°maior produtor de soja do estado do RS.

Exportações totais do município (2006): U$ FOB 3.959.575,00

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Júlio de Castilhos possui uma infraestrutura em constante crescimento, devido ao aquecimento da economia castilhense nos últimos anos, assegurada pelo binômio Trigo/Soja. Embora tenha um IDH relativamente alto, a cidade acumula bolsões de pobreza em algumas áreas, sobretudo nas zonas rurais, onde não há um sistema de saúde e educação de qualidade. As ruas da cidade começaram a receber asfalto apenas há alguns anos atrás, e somente nas ruas principais. A cidade conta com três escolas que capacitam alunos ao Ensino Médio, sendo duas delas Estaduais e uma Federal. O IF Farroupilha Campus Julio de Castilhos, conta além de cursos técnicos integrados ao ensino médio, enceja e sub-sequente ao ensino médio, também com cursos de nível superior, como tecnólogos, bacharelados e licenciaturas.O instituto também possui pós graduações.

O saneamento básico da cidade encontra diversos problemas, principalmente nos bairros mais modestos, onde não há uma vigilância por parte do governo municipal em relação aos problemas mais precários. A segurança pública vem melhorando nos últimos anos, devido a investimentos na área, mas não atende boa parte da população rural, e necessita de uma política de velocidade no atendimento.

Transportes[editar | editar código-fonte]

O município é servido com transporte rodoviário e ferroviário (ALL – América Latina Logística).

Esporte[editar | editar código-fonte]

Assim como em todo o Brasil, destaca-se no município o futebol, tendo como principal representante o Esporte Clube Milan, que disputa a segunda divisão do Campeonato Gaúcho de Futebol. Além disso, o município é representado pelo time de futsal AJUC, que disputa a série prata do Campeonato Gaúcho de Futsal.

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

Nome Partido Início do mandato Fim do mandato Observações
1 Aristides Moraes Gomes 1930 1932 Prefeito nomeado
2 Harvey de Azambuja 1932 1934 Prefeito nomeado
3 José Pereira de Vasconcelos Filho 1934 1935 Prefeito nomeado
4 Novembrino Brás Lenzi 1936 1938 Prefeito nomeado
5 Canápio Barcelos Feio 1938 1938 Prefeito nomeado
6 Carlos Correia da Silva 1938 1940 Prefeito nomeado
7 Aristides de Morais Gomes 1940 1943 Prefeito nomeado
8 Pedro Sousa 1944 1945 Prefeito nomeado
9 Dulcemar de Melo Ribas 1945 1945 Prefeito nomeado
10 Antônio Augusto Uflacker 1945 1945 Prefeito nomeado
11 Mário de Almeida Gomes 1945 1946 Prefeito nomeado
12 Dulcemar de Melo Ribas 1946 1947 Prefeito nomeado
13 Ângelo Reginatto 1947 1947
14 Jorge Alberto Mascarenhas 1947 1951
15 Ibis Castilhos Lopes 1951 1955
16 Victor Waihrich 1955 1959
17 Ibis Castilhos Lopes 1959 1963
18 Paulo Rosa Waihrich 1963 1969
19 Vicente Mileno de Castro Moreira PDS 1969 1973
20 Paulo Rosa Waihrich 1973 1974
21 Sérgio Paulo Rosa Guimarães 1974 1977
22 Vicente Mileno de Castro Moreira PDS 1977 1982
23 Romeu Martins Ribeiro PMDB 1983 1988 Prefeito eleito
24 José Antônio Razia PMDB 1989 1992 Prefeito eleito
25 Romeu Martins Ribeiro PMDB 1º de janeiro de 1993 31 de dezembro de 1996 Prefeito eleito
26 Getúlio Barros Vargas PP 1º de janeiro de 1997 31 de dezembro de 2000 Prefeito eleito
27 Romeu Martins Ribeiro PMDB 1º de janeiro de 2001 31 de dezembro de 2004 Prefeito eleito
28 João Vestena PSB 1º de janeiro de 2005 31 de dezembro de 2008 Prefeito eleito
João Vestena PSB 1º de janeiro de 2009 31 de dezembro de 2012 Prefeito reeleito
29 Vera Dalcin PSDB 1º de janeiro de 2013 31 de dezembro de 2016 Prefeita Eleita
-- João Vestena PSB 1º de janeiro de 2016 Atual

Atração principal[editar | editar código-fonte]

O principal evento que acontece no município é realizado durante o mês de outubro anualmente,Exposição Feira Agropeucária Expojuc, onde há várias atrações artísticas e exposições, que atualmente esta dentre as dez maiores feiras do estado do Rio Grande do Sul.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE; IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Estimativas populacionais para os municípios e para as Unidades da Federação brasileiros em 01.07.2016» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 24 de junho de 2017 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. Busca no mapa do OpenStreetMap
  7. a b Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Júlio de Castilhos - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 8 de fevereiro de 2012. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2013 
  8. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. «Censo Demográfico 2000». Consultado em 8 de fevereiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]