José Ornelas Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
José Ornelas
Bispo da Igreja Católica
Bispo de Leiria-Fátima
Info/Prelado da Igreja Católica
Hierarquia
Papa Francisco
Arcebispo metropolita Rui Manuel Sousa Valério, S.M.M.
Congregação Carlos Luis Suárez Codorniú, S.C.J.
Atividade eclesiástica
Congregação Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus
Diocese Diocese de Leiria-Fátima
Nomeação 28 de janeiro de 2022
Entrada solene 13 de março de 2022
Predecessor António Marto
Mandato 2022 -
Ordenação e nomeação
Profissão Solene 23 de setembro de 1977
Ordenação presbiteral 9 de agosto de 1981
Funchal
Nomeação episcopal 24 de agosto de 2015
Ordenação episcopal 25 de outubro de 2015
Setúbal
por Manuel Clemente
Lema episcopal "O Filho do Homem veio para servir e dar a vida"
Brasão episcopal
Dados pessoais
Nascimento Porto da Cruz, Machico
5 de janeiro de 1954 (70 anos)
Nacionalidade português
Funções exercidas -Superior Geral da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus (2003-2015)
-Bispo de Setúbal (2015-2022)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

José Ornelas Carvalho S.C.I. (Porto da Cruz, Machico, 5 de janeiro de 1954)[1] é um bispo católico português, sendo atualmente Bispo de Leiria-Fátima e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa. Anteriormente foi Bispo de Setúbal (2015–2022) e Superior-Geral da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus (27 de maio de 2003 até 6 de junho de 2015).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Professou os votos temporários em 29 de setembro de 1972, ano em que iniciou os estudos em Filosofia. Dois anos mais tarde seguiu para uma formação missionária em Moçambique. Foi ordenado presbítero a 9 de agosto de 1981 no Funchal. Obteve o doutoramento em Teologia Bíblica em 1997 e foi professor na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, secretário da Faculdade de Teologia e instrutor no Seminário de Alfragide. Em 2000 foi eleito Superior Provincial da Província Portuguesa.

Integrou a comissão de preparação do 21º Capítulo sob o tema "Dehonianos em Missão: um coração aberto e solidário". Nesta reunião, em 27 de maio de 2003 foi eleito Superior Geral da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus.[2]

Em 2009 foi reconduzido no cargo para o período de 2009 a 2015.[3]

Em 26 de fevereiro de 2013 foi pela primeira vez indicado na comunicação social como um dos possíveis sucessores do Patriarca de Lisboa.[4]

A 24 de agosto de 2015, D. José Ornelas Carvalho foi nomeado Bispo de Setúbal pelo Papa Francisco, sucedendo a D. Gilberto Canavarro dos Reis que renunciou por motivos de idade.[5] A ordenação episcopal ocorreu em Setúbal, em 26 de outubro de 2015.[6]

Em 2020, foi eleito para um mandato de três anos como presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, tendo sido reeleito em 2023 para novo mandato de três anos.[7]

Em 28 de janeiro de 2022, D. José Ornelas Carvalho foi nomeado Bispo de Leiria-Fátima pelo Papa Francisco.[8]

Alegações de encobrimento de casos de abuso sexual[editar | editar código-fonte]

Em Outubro de 2022, foi noticiado que D. José Ornelas está a ser investigado pela Procuradoria-Geral da República por suspeitas de "comparticipação em encobrimento" de casos de abusos sexuais de menores.[9]

O caso teria acontecido em 2011, em Moçambique, quando José Ornelas era alto representante dos dehonianos (Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus), congregação à qual pertencia o padre que dirigia o orfanato onde os abusos terão alegadamente ocorrido.

Nessa altura, um professor português, João Oliveira, ouviu de um aluno que frequentava o Centro Polivalente Leão Dehon, em Gurué, o relato de alegados abusos cometidos sobre crianças no orfanato, dirigido pelo padre italiano Luciano Cominotti.

O docente deu conhecimento do caso a D.José Ornelas, que agradeceu dizendo que o padre Cominotti não estava sob a sua autoridade, mas da diocese.

Já em 2022, o mesmo docente enviou uma denúncia, agora visando José Ornelas por inação. A queixa foi enviada diretamente ao Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, que a remeteu à PGR. "Não tenho conhecimento formal dessa denúncia. Não sinto que tenha existido negligência da minha parte", afirmou o bispo aos jornais, assegurando que cumpriu "com toda a sinceridade com os procedimentos adequados". Admitiu, no entanto, que este tipo de casos são agora tratados de forma diferente. [10][11][12]

A 8 de Outubro de 2022, foi novamente envolvido no caso de um padre de Fafe, Abel Maia, acusado em 2015.[13]

Em março de 2023, enquanto presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, durante uma conferência de imprensa de reação à entrega aos bispos dos nomes de sacerdotes suspeitos, por parte da Comissão Independente para o Estudo dos abusos sexuais de menores na Igreja Católica, causou forte polémica por ter afirmado que apenas havia sido recebida «uma lista de nomes», o que tornaria a Igreja Católica impotente para investigar os casos e os sacerdotes suspeitos. Dias depois, afirmou não ter sido feliz na reação e nas palavras utilizadas durante a conferência de imprensa, mas continuou a recusar comprometer-se com o afastamento preventivo dos sacerdotes suspeitos indicados nas listas elaboradas pela Comissão Independente. As posições expressas por D. José Ornelas motivaram fortes críticas do presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que considerou a reação da Conferência Episcopal Portuguesa «uma desilusão» e que esta havia falhado pela demora na assunção de responsabilidades e na reação ao relatório da Comissão Independente, que aponta para cerca de cinco mil vítimas de abuso sexual na Igreja Católica, e na recusa do afastamento preventivo de sacerdotes suspeitos de abuso sexual de menores. Também os membros da Comissão Independente e as testemunhas e vítimas de abuso sexual de menores criticaram fortemente as posições expressas por D. José Ornelas.[14][15][16] D. José Ornelas respondeu ao presidente da República, referindo que respeitava, mas não concordava com a opinião de Marcelo Rebelo de Sousa, e que a Igreja Católica assumia as suas responsabilidades, mas recusava fazer «caça às bruxas» e que só com indícios sólidos seriam afastados sacerdotes suspeitos de abuso sexual de menores.[17][18]

Referências

  1. Biografia de D. José Ornelas - Diocese de Setúbal
  2. «Agência Fides». Consultado em 26 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 26 de novembro de 2005 
  3. «Agência Ecclesia». Consultado em 26 de fevereiro de 2013 
  4. «Notícias ao minuto». Consultado em 26 de fevereiro de 2013 
  5. «D. José Ornelas Carvalho, antigo superior geral dos Dehonianos, sucede a D. Gilberto Reis, que renunciou por motivos de idade». Agência Ecclesia. 24 de Agosto de 2015. Consultado em 24 de Agosto de 2015 
  6. observador. «D. José Ornelas Carvalho é o novo bispo de Setúbal». 26-10-2015. Consultado em 27 de outubro de 2015 
  7. José Ornelas reeleito presidente da Conferência Episcopal, DN 18.04.2023
  8. publico.pt. «D. José Ornelas é o novo bispo de Leiria-Fátima». 28-1-2022. Consultado em 28 de janeiro de 2022 
  9. «Enquête. Pédocriminalité dans l'Église: une plainte contre le chef des évêques portugais». Le Dauphine (em francês). 1 de Outubro de 2022 
  10. Hatton, Barry (12 de outubro de 2022). «Portuguese bishop says conscience clear about abuse claims». National Catholic Reporter (Arq. em Wikiwix Arquive) (em inglês) 
  11. Cordeiro, Ana Dias (1 de Outubro de 2022). «Bispo José Ornelas investigado pelo MP após denúncia de encobrimento de abusos sexuais». Público 
  12. «Pédophilie dans l'Eglise : le chef des évêques portugais se défend». Euronews (em francês). 13 de Outubro de 2022 
  13. Cordeiro, Ana Dias (9 de Outubro de 2022). «Bispo José Ornelas investigado noutro caso de suspeita de encobrimento de abusos sexuais». Público 
  14. Abusos na Igreja. Marcelo desiludido com posição da Conferência Episcopal, Rádio Renascença 09.03.2023
  15. Ana Nunes de Almeida critica D. José Ornelas, SIC Notícias 07.03.2023
  16. Abusos na Igreja. Quem são e como pensam os bispos que já decidiram afastar os padres suspeitos?, Observador 10.03.2023
  17. D. José Ornelas responde a Marcelo: "Respeito muito a opinião dele. Não concordo, mas respeito", TVI 12.03.2023
  18. Exclusivo RTP. D. José Ornelas recusa fazer uma "caça às bruxas", RTP 13.03.2023

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: José Ornelas Carvalho
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre José Ornelas Carvalho

Precedido por
Pe. Virginio Domingo Bressanelli

Superior Geral da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus

20032015
Sucedido por
Pe. Heiner Wilmer
Precedido por
Gilberto Canavarro dos Reis

Bispo de Setúbal

20152022
Sucedido por
Américo Aguiar
Precedido por
António Marto

Bispo de Leiria-Fátima

2022 — atual
Sucedido por
(incumbente)