Larissa França

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Larissa França
campeã mundial
França em 2012.
Voleibol
Nome completo Larissa França
Modalidade Voleibol de praia
Nascimento 14 de abril de 1982 (36 anos)
Cachoeiro de Itapemirim, ES
Nacionalidade brasileira
Compleição Peso: 68 kg Altura: 1,74 m[1]
Medalhas
Competidora do  Brasil
Jogos Olímpicos
Bronze Londres 2012 Equipe
Campeonatos Mundiais
Ouro Roma 2011 Equipe
Prata Berlim 2005 Equipe
Prata Stavanger 2009 Equipe
Bronze Gstaad 2007 Equipe
Bronze Viena 2017 Equipe
Circuito Mundial
Ouro Temporada 2005 Equipe
Ouro Temporada 2006 Equipe
Ouro Temporada 2007 Equipe
Ouro Temporada 2009 Equipe
Ouro Temporada 2010 Equipe
Ouro Temporada 2011 Equipe
Ouro Temporada 2012 Equipe
Ouro Temporada 2017 Equipe
World Tour Finals
Ouro Fort Lauderdale 2015 Equipe
Bronze Hamburgo 2017 Equipe
Jogos Pan-Americanos
Ouro Rio de Janeiro 2007 Equipe
Ouro Guadalajara 2011 Equipe
Bronze Santo Domingo 2003 Equipe
Campeonato Mundial Militar
Prata Rio de Janeiro 2017 Equipe

Larissa França (Cachoeiro de Itapemirim, 14 de abril de 1982) é uma jogadora de voleibol de praia brasileira, que atua como defensora e atacante. Ao lado da parceira Juliana, conquistou os seus principais títulos como o heptacampeonato do Circuito Mundial,[2] o bicampeonato nos Jogos Pan-Americanos e o título do Campeonato Mundial, em 2011.

É a maior vencedora de etapas do Circuito Mundial na história, com 61 medalhas de ouro.[3][4] Além disso, é a atleta que mais arrecadou em premiações no Circuito Mundial na história, com 1.669.735 dólares,[5] estabelecendo duas vezes o recorde de maior arrecadação em uma temporada, em 2005 e 2015.[6]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Larissa nasceu no Espírito Santo e se mudou ainda jovem para o Pará, inicialmente em Paragominas. Sempre entusiasta de esportes, chegou a praticar basquetebol e handebol além do voleibol. Já em Belém, ganhou uma bolsa para jogar vôlei no Colégio Marista, e seu técnico a recomendou para um treinador de vôlei no Tuna Luso Brasileiro, levando Larissa a defender a equipe do Tuna. Em 2001, mudou para o voleibol de praia ao visitar um projeto da CBV para formar novos jogadores de praia em Fortaleza, onde conheceu suas eventuais parceiras Ana Richa e Juliana Silva. No ano seguinte, formou uma dupla com Richa que fechou 2002 como terceira colocada no circuito brasileiro. Uma hérnia de disco forçou Larissa a entrar na fisioterapia em vez de disputar o mundial sub-21, mas após retornar ao vôlei venceu junto de Richa o bronze nos Jogos Pan-Americanos de 2003. Em 2004, Juliana, que havia jogado com Larissa em Fortaleza, voltou à atividade após uma lesão no joelho e se tornou sua nova parceira, já rendendo vice-campeonatos no mundial e brasileiro atrás de Adriana Behar e Shelda.[7][8]

Ao lado de Juliana, Larissa conquistou o Circuito Brasileiro e o Circuito Mundial em 2005. Ganharam também os mesmos torneios em 2006. Em 2007, Larissa levou, ao lado de Juliana, o ouro dos Jogos Pan-Americanos de 2007, na cidade do Rio de Janeiro. Ainda nesse ano, conquistou o título de rainha da praia. No Circuito Brasileiro de 2008 jogou algumas etapas com Vivian Cunha, conquistando o título da temporada de forma antecipada.[9] Em março deste ano, ainda com Vivian, enfrentou Juliana e Talita Antunes, conquistando o bicampeonato e a coroa de rainha da praia. Devido a uma contusão de Juliana, Larissa disputou os Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, ao lado de Ana Paula Connelly. A dupla foi eliminada nas quartas de final pela parceria formada por Kerry Walsh e Misty May-Treanor.

No início de 2011, Larissa e sua parceira, Juliana, derrotaram a dupla americana formada por Kerri Walsh e Brooke Hanson e, com a vitória da dupla masculina brasileira Ricardo e Márcio sobre Rogers e Dalhausser, o Brasil venceu o Desafio Brasil x Estados Unidos de Vôlei de Praia. Em junho de 2011, depois de dois vice-campeonatos mundiais entre 2005 e 2009, tornou-se campeã mundial de vôlei de praia feminino ao lado de Juliana, em Roma, derrotando as bicampeãs olímpicas Kerri Walsh e Misty May-Treanor, dos Estados Unidos.[10]

Em 2012, junto com sua parceira Juliana, perdeu a chance de disputar o inédito ouro nas Olimpíadas de Londres, ao perder na semifinal para Jennifer Kessy e April Ross, que as derrotaram no Mundial de 2009. Na disputa pelo bronze, venceram as chinesas Zhang e Xue de virada por 2 sets a 1, fazendo de Larissa a primeira cachoeirense a conquistar uma medalha olímpica.[11]

Em 16 de julho de 2014, Larissa anunciou o seu retorno ao vôlei de praia, desta vez em dupla com a jogadora Talita, para tentar uma nova medalha olímpica nos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016.[2] A dupla garantiu sua vaga ao somar mais pontos nos nove eventos de maior relevância do Circuito Mundial de 2015.[12]

Com a jovem Ana Patrícia Ramos disputou a segunda edição do Campeonato Mundial de Vôlei de Praia em 2017 no Rio de Janeiro e conquistaram a medalha de prata[13] e ao lado de Talita Antunes conquistou o bronze na edição do FIVB World Tour Finals de 2017 disputada em Hamburgo[14].

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Aposentou-se em dezembro de 2012 para realizar o sonho de ser mãe.[2] Em julho de 2013, assumiu publicamente seu relacionamento com a também jogadora de vôlei de praia Liliane Maestrini.[2][15] Casaram-se em Fortaleza e nos anos seguintes tentaram por duas vezes gerar filhos por fertilização in vitro, mas ambas as gestações tiveram Larissa sofrendo aborto espontâneo.[16]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Premiações individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Larissa». Sports Reference (em inglês). Consultado em 17 de outubro de 2015.. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2015 
  2. a b c d Vecchioli, Demétrio (16 de julho de 2014). «Larissa volta ao vôlei de praia para ser raro caso de homossexual assumida no esporte brasileiro». Olimpílulas. Estadão. Consultado em 17 de outubro de 2015.. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2015 
  3. «15th FIVB World Tour gold medal for Talita & Larissa». FIVB (em inglês). 4 de junho de 2017. Consultado em 5 de junho de 2017.. Cópia arquivada em 5 de junho de 2017 
  4. «Circuito Mundial: Brasil supera neve e frio de Moscou e garante duas duplas femininas no pódio». Melhor do Vôlei. 4 de junho de 2017. Consultado em 5 de junho de 2017.. Cópia arquivada em 5 de junho de 2017 
  5. «Larissa named top player of World Tour 2015». FIVB (em inglês). 15 de outubro de 2015. Consultado em 17 de outubro de 2015.. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2015 
  6. «Talita & Larissa net gold medal & "richest" prize». FIVB (em inglês). 4 de outubro de 2015. Consultado em 18 de outubro de 2015.. Cópia arquivada em 18 de outubro de 2015 
  7. «Larissa França: rainha das quadras de areia». Diário do Pará. 11 de janeiro de 2010. Consultado em 11 de abril de 2016.. Cópia arquivada em 11 de abril de 2016 
  8. «Larissa e Talita: Coração & Mente». Editora Caras. Placar. Fevereiro de 2016. ISSN 0104-1762 
  9. «Circuito Banco do Brasil - Feminino - 2008». CBV. Consultado em 30 de setembro de 2016.. Cópia arquivada em 30 de setembro de 2016 
  10. a b «Juliana e Larissa são campeãs mundiais de vôlei de praia». O Globo. 19 de junho de 2011. Consultado em 17 de outubro de 2015.. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2015 
  11. a b «Juliana e Larissa superam início ruim e conquistam a medalha de bronze». globoesporte.com. Grupo Globo. 8 de agosto de 2012. Consultado em 17 de outubro de 2015.. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2015 
  12. «Larissa e Talita garantem vaga no vôlei de praia para os Jogos Olímpicos do Rio». iG. 28 de agosto de 2015. Consultado em 11 de abril de 2016.. Cópia arquivada em 11 de abril de 2016 
  13. «Brasil domina o pódio no Mundial militar de vôlei de praia». Lancenet!. Portal Terra. 12 de novembro de 2017. Consultado em 12 de janeiro de 2018.. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2018 
  14. «Final Standings - Women 2017». FIVB (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2018.. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2018 
  15. «Larissa assume namoro com jogadora de vôlei de praia». O Globo. 10 de julho de 2013. Consultado em 17 de outubro de 2015.. Cópia arquivada em 17 de outubro de 2015 
  16. Fricke, Gabriel (9 de março de 2015). «Apaixonadas, Larissa e Lili superam perda de bebês e sonham com família». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 11 de abril de 2016.. Cópia arquivada em 11 de abril de 2016 
  17. «Women's Gold goes to Brazil!». FIVB (em inglês). Swatchmajorseries.com. 4 de outubro de 2015. Consultado em 18 de outubro de 2015.. Cópia arquivada em 18 de outubro de 2015 
  18. Carneiro, Raphael (2 de maio de 2015). «Campeãs da temporada, Larissa e Talita estão na final do SuperPraia». SporTV.com. Grupo Globo. Consultado em 18 de outubro de 2015.. Cópia arquivada em 18 de outubro de 2015 
  19. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t «Player Awards». Beach Volleyball Database (em inglês). Consultado em 11 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 6 de junho de 2017 
  20. a b c d «Bruno Schmidt e Larissa são eleitos melhores da temporada 2015/2016». CBV (em portugues). 8 de maio de 2016. Consultado em 11 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2018 
  21. a b c d e f «Bruno Schmidt e Larissa são eleitos melhores da temporada 2015/2016». CBV (em portugues). 8 de maio de 2016. Consultado em 11 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 20 de janeiro de 2018 
  22. a b c d e f Regys Silva (6 de maio de 2015). «Bruno Schmidt e Larissa são eleitos os melhores do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia». Surto Olímpico (em portugues). Consultado em 10 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 8 de fevereiro de 2018 
  23. a b «Larissa e Ricardo são eleitos os melhores do Circuito Brasileiro 2011». GloboEsporte.com. 11 de dezembro de 2011. Consultado em 11 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2018 
  24. a b c «Larissa e Emanuel brilham em premiação do vôlei de praia». Portal Terra (em portugues). 28 de dezembro de 2010. Consultado em 11 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2018 
  25. a b c «Vôlei de praia: Ricardo e Larissa são eleitos os melhores do ano do Circuito B». O Globo (em portugues). 28 de novembro de 2006. Consultado em 11 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2018 
  26. «Shelda e Emanuel são eleitos os melhores do ano». Universo Online (em portugues). 21 de dezembro de 2003. Consultado em 11 de fevereiro de 2018.. Cópia arquivada em 11 de fevereiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]