Luís Amado Carballo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Luís Amado Carballo
Nascimento 2 de maio de 1901
Pontevedra
Morte 3 de setembro de 1927
Pontevedra
Sepultamento Cemitério de San Amaro
Cidadania Espanha
Alma mater
Ocupação poeta, escritor, autor
Causa da morte tuberculose
Assinatura
Luís Amado Carballo, sinatura.jpg
Amado Carballo, firma.jpg

Luís Amado Carballo (Pontevedra, 1901 — Pontevedra, 1927) foi um escritor em língua galega.

Cursou estudos de Filosofia e Letras, mas não os terminou, embora esta formação lhe permitisse posteriormente exercer de mestre de escola, trabalho que compaginou com o jornalismo. Conhecido primariamente como poeta de vanguarda e fundador do hilozoísmo, a paisagem e a ria da sua cidade natal marcarão a sua produção poética.

Vida[editar | editar código-fonte]

Os probes de Deus, 1925.
Proel, 1927.
O Galo, 1928.

Em 1920 trasladou-se a Madrid visando dedicar-se ao jornalismo, coisa que apenas conseguiu parcialmente. Levou uma vida boêmia e assistiu a algumas tertúlias literárias. De volta em Pontevedra, em 1922 fundou com Xoán Vidal Martínez a revista Alborada. Em 1924, após exercer de mestre com caráter interino, ingressou como redator de La Concordia em Vigo e depois em El Pueblo Gallego.

Faleceu aos vinte e sete anos, a consequência da tuberculose. Ainda assim, sua aceitação lírica foi tal no seu tempo que mesmo chegou a criar uma corrente poética, o hilozoísmo.

Obra[editar | editar código-fonte]

Prossística[editar | editar código-fonte]

Poética[editar | editar código-fonte]

Recopilações[editar | editar código-fonte]

  • Obras en prosa e verso, Castrelos, 1970.
  • Escolma de Amado Carballo, Departamento de Filoloxía Galega, USC, 1982, ISBN 8471912805.
  • Luís Amado Carballo. Vida e obra. Escolma de textos, Álvarez Blázquez, X. M., RAG, 1982.
  • Obra completa, Biblioteca Básica da Cultura Galega, 1985, ISBN 8471549743.
  • O Galo e poemas soltos, Biblioteca de Autores Galegos, Diario 16 de Galicia, 1992.
  • Poesía galega completa, L. Alonso Girgado, Sotelo Blanco, 1994, ISBN 978-84-7824-143-9.[1]
  • Obra poética galega, Luís Alonso Girgado, Xerais, 2001. ISBN 978-84-8302-640-3.[2]
  • Proel - O Galo, BG120 v. 16, 2002, ISBNs 84-88254-87-3 e 84-8302-737-2.
  • O mellor de... Luís Amado Carballo (1901-1927), La Voz de Galicia, 2010.[3]

Principais características da sua poesia[editar | editar código-fonte]

Em que pese a ser também autor em prosa, Amado Carballo é conhecido primariamente pela sua criação poética. Sua poesia, influenciada pelas vanguardas europeias e americanas, oferece uma mistura das imagens vanguardistas com as formas tradicionais galegas (octossílabo). O elemento cromático está muito presente em toda sua obra em verso, da qual a grande protagonista é a paisagem, uma paisagem que o autor quer apresentar humanizada mediante o uso de prossopeias. A poesia de Amado Carballo está enormemente conectada com os sentidos, tecendo os poemas com metáforas.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Abelleira Sanmartín, Xosé (2001). Luís Amado Carballo. A Nosa Terra. ISBN 8495350823
  • Méndez Ferrín, X. L. (1990) [1984]. De Pondal a Novoneyra (2ª ed.). Xerais. ISBN 84-7507-460-X.
  • Ramón Pena, Xosé (1982). Luís Amado Carballo, Ediciones Nos, ISBN 84-7540-002-7.
  • Vilavedra, D., ed. (1995). Diccionario da Literatura Galega I. Galaxia. pp. 51-53. ISBN 84-8288-019-5.
  • Enciclopedia Galega Universal. Ir Indo. 1999-2002. ISBN 84-7680-288-9.
  • Gran Enciclopedia Galega Silverio Cañada (DVD). Grupo El Progreso. 2005. ISBN 84-87804-88-8.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Luís Amado Carballo
Wikisource
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Luís Amado Carballo